24 julho 2015

[Viagens Curtas] Rio de Janeiro 2015




"Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades
Rio, seu mar
Praia sem fim
Rio, você foi feito prá mim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara"

(Samba do Avião - Tom Jobim)



Minha primeira viagem ao Rio de Janeiro! Muitos se espantam quando digo isso! Por motivos que não vêm ao caso, nunca me interessei em conhecer o Rio, apesar de vários amigos já terem tentado me convencer anteriormente. Precisou a gravidez de trigêmeos da minha prima para que eu planejasse essa viagem com o marido para visitá-la, e para fazer um pouquinho de turismo também, é claro!

Nossa viagem foi de uma semana, no início do mês de julho (inverno), porém dividida entre Búzios, Arraial do Cabo e Rio de Janeiro. Então, tivemos apenas dois dias efetivamente para visitar o Rio. Apesar do pouquíssimo tempo, garanto que foi o suficiente para que me deslumbrasse por este lugar. Definitivamente, o Rio de Janeiro tem uma geografia espetacular, gerando belezas naturais inacreditáveis. Impossível não ficar embasbacado com o visual desta cidade!

Assim, nesta postagem vou relatar minha experiência na denominada "cidade maravilhosa".

1. Chegada (Búzios - Rio de Janeiro)

A viagem começou por Búzios, então resolvemos contratar um transfer com a empresa In Búzios para que nos levasse ao Rio e nos deixasse diretamente no hotel Windsor Plaza, em Copacabana, onde ficamos hospedados (ao fim falarei com detalhes sobre nossa hospedagem). 

O ônibus deixou Búzios por volta das 10h rumo ao Rio de Janeiro. O percurso foi de três horas. Porém, por conta da quantidade de pessoas para deixar em diferentes hotéis em Ipanema e em Copacabana, fomos chegar ao hotel somente às 14h. Fizemos check-in, deixamos as mala no quarto e já saímos para aproveitar a cidade.

2. Passeios

2.1. Forte de Copacabana

O primeiro lugar que visitamos no Rio foi o Forte de Copacabana. Para entrar no Forte, que é uma área militar, paga-se um valor de R$ 6,00 por pessoa.

Entrada do Forte de Copacabana.


Chegamos por volta das 15h e aproveitamos para fazer um lanche/almoço no Café do Forte, que pertence à famosa e tradicional Confeitaria Colombo. Outra opção de restaurante é o Café 18 do Forte.

Café do Forte, da Confeitaria Colombo.

Café 18 do Forte, outra opção para refeições dentro do Forte de Copacabana.


Depois de matar quem estava nos matando, pudemos finalmente aproveitar o local e principalmente a vista. E que vista?! De um lado do Forte, é possível ver a orla das praias de Copacabana e Leme, com o Pão de Açúcar ao fundo, e, do outro lado, subindo a Cúpula dos Canhões, é possível ver a Pedra do Arpoador.

Praia de Copacabana, e muitas pessoas praticando SUP (Stand Up Paddle).

Praia de Copacabana.

Copacabana e Leme, com o Pão de Açúcar à direita ao fundo.

Detalhes da decoração do Forte de Copacabana.

Entrada para a Fortificação, onde funciona um museu.

Pedra do Arpoador, vista do alto do Forte, na Cúpula dos Canhões.


No inverno, época em que visitamos o Rio, o sol estava se pondo por volta das 17:15. É claro que aproveitamos a visita ao Forte para apreciar o belo fim de dia que se fazia e ver a cidade se iluminando.

Pôr do sol visto do Forte de Copacabana.

Pôr do sol visto do Forte de Copacabana.

Lindos tons de rosa após o pôr do sol.

Cidade se iluminando após o pôr do sol.


O Forte de Copacabana é tão agradável e possui uma vista tão linda que não dá vontade de ir embora!

2.2. Corcovado (Cristo Redentor)

Aproveitamos para contratar um passeio de dia inteiro pelo Rio de Janeiro com a empresa In Búzios, a mesma que contratamos para o transfer entre Búzios e Rio. Achamos que esta seria a melhor forma de otimizar nossa visita ao Rio, além de nos sentirmos mais seguros e ficarmos despreocupados com o deslocamento entre uma atração e outra. Este passeio, por pessoa, custou R$ 220,00 e estavam incluídos: ingressos para o Cristo Redentor e Pão de Açúcar, almoço e traslados.

A van passou no hotel um pouco depois das 8h e seguimos direto para o Corcovado para visitar a estátua do Cristo Redentor. Nosso guia foi o Armando, muito divertido e cheio de informações sobre as atrações.

Descemos ao final da Estrada das Paineiras, onde devemos pegar obrigatoriamente uma das vans oficiais do Parque Nacional da Tijuca.

Informação Importante: O valor do ingresso é de R$ 62,00 por pessoa. Porém, se o ingresso for comprado na estação Paineiras, o valor cai para R$ 35,00, uma vez que a maior parte do percurso já foi feita por conta própria, sem a utilização das vans oficiais. Se você quiser ir a pé, o valor cai mais um pouco, para R$ 22,00.

Estação Paineiras, onde devemos pegar a van oficial para subir ao topo do Corcovado. Essas ruínas são do antigo Hotel Paineiras.


Como chegamos bem cedo, não enfrentamos fila, e quando chegamos ao topo do Corcovado, onde fica a estátua do Cristo Redentor, havia pouquíssimas pessoas. Assim, pudemos apreciar tranquilamente a vista, que é incrível, e tirar muitas fotos (nosso guia Armando já trabalhou como fotógrafo profissional, então nos ajudava com as fotos). A estátua do Cristo é simplesmente linda! Uma visita bem emocionante e, com certeza, imperdível!

Céu azul perfeito para emoldurar o Cristo!

Vista que temos do Rio ao pé do Cristo.

Vista do Pão de Açúcar e da Baía de Guanabara, com a praia de Botafogo ao centro.

Pão de Açúcar à esquerda. Leme e Copacabana à direita.

Estádio Maracanã.

Vista da Lagoa Rodrigo de Freitas, com o Jockey Club à direita. Ao fundo, Ipanema e Leblon.


2.3. Maracanã

Deixamos o Corcovado e seguimos para o Maracanã (Mário Filho). Porém, não deu nem para se empolgar muito, pois só visitamos a frente do estádio!

Entrada principal do estádio Maracanã (Mario Filho).


2.4. Sambódromo Marquês de Sapucaí

Visitamos também o Sambódromo, onde acontece o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, um dos principais eventos brasileiros e que costuma caracterizar o Brasil no exterior. Ressalte-se que seu projeto é de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer.

Sambódromo Marquês de Sapucaí.


2.5. Catedral Metropolitana de São Sebastião

Visitamos também a Catedral Metropolitana de São Sebastião que fica no centro do Rio de Janeiro, e que possui uma arquitetura bem diferente do que estamos acostumados para uma igreja.

Fachada da Catedral Metropolitana de São Sebastião.


Conforme o site oficial da Catedral, sua arquitetura teve inspiração na pirâmide que os Maias construíram na Península de Yucatan, no México. Na base, a pirâmide é quadrada e larga, mas se estreita a medida em que sobe, até tomar, no topo, a forma de um platô. Diferentemente das pirâmides dos Maias, a Catedral tem forma circular e cônica para significar a equidistância e proximidade das pessoas em relação a Deus.

Pudemos visitar a igreja por dentro e é bem bonita.

Teto da Catedral.


2.6. Escadaria Selarón

A escadaria Selarón leva esse nome em homenagem ao artista chileno Jorge Selarón que se mudou para o local por volta de 1990, onde possuía um ateliê. Em 1994, o pintor e ceramista decidiu fixar azulejos nos degraus da escada. Isto fez com que a escadaria atraísse vários visitantes, que muitas vezes traziam azulejos de suas cidades, do Brasil e do mundo, para doá-los ao artista e contribuir com sua obra.

Escadaria Selarón adornada com azulejos.


A escadaria Selarón é, na verdade, a Rua Manuel Carneiro, uma ladeira que leva à parte alta de Santa Tereza, bairro vizinho à Lapa.

Infelizmente, no início de 2013, aos 65 anos, o artista foi encontrado morto no local. E até hoje ninguém sabe ao certo o real motivo de sua morte.

Azulejo com a foto do artista Jorge Selarón.


Pena que, como muitas coisas no Brasil, falta zelo e segurança, e hoje podemos ver que vários azulejos foram arrancados do local.

Muitos azulejos têm sido arrancados do local. Uma pena...


Esta escadaria me remete ao clipe da música Beautiful, gravado no Rio de Janeiro, do Snoop Dogg com o Pharrell Williams, na época em que o Pharrel nem era tão conhecido!

Antes de chegar à escadaria, passamos pela frente do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, que tem uma arquitetura linda!

Fachada do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.


2.7. Bondinho do Pão de Açúcar

Chegamos ao Pão de Açúcar um pouco depois das 11h. A fila da bilheteria já estava enorme. Porém, impressionante como um guia credenciado, e que conhece todo mundo, faz a diferença! Rapidamente ele comprou todos os ingressos, no valor de R$ 62,00 cada, e entramos para pegar o famoso bondinho do Pão de Açúcar.

Ressaltando que o ingresso é utilizado em todos os embarques nos bondinhos. Então não o perca!

Base do bondinho do Pão de Açúcar, na Praia Vermelha.


A primeira parada, onde obrigatoriamente temos que descer do bondinho é no morro da Urca. Daqui, temos que pegar outro bondinho para seguir ao topo do Pão de Açúcar. Só posso dizer que a vista, em ambos os morros, é incrível!

Subindo! Rumo ao topo do morro da Urca. À esquerda, a Praia Vermelha.

Praça dos Bondes no Morro da Urca, onde ficam expostos os bondinhos das duas gerações anteriores. Imagina subir nesse aí?!

Pão de Açúcar e seu famoso bondinho.

Que linda vista! Praia Vermelha, Copacabana, Morro Dois Irmãos, Pedra da Gávea...

Topo do Morro da Urca, onde fica a primeira estação, Baía da Guanabara com a enseada de Botafogo, e o Cristo ao fundo.

Flamengo, Aeroporto Santos Dumont e a Ponte Rio-Niterói.


Depois de visitar o Pão de Açúcar, o guia nos levou a um restaurante em Copacabana, pois o almoço estava incluído no pacote. Chegamos ao hotel por volta das 16h.

2.8. Pedra do Arpoador e Praia de Ipanema

Aproveitamos para passar o fim do dia na Pedra do Arpoador, famosa pela vista do pôr do sol. Porém, como o sol muda de posição no decorrer do ano, não pudemos (nós dois e a multidão que estava na Pedra do Arpoador) presenciar o pôr do sol sobre o mar, e sim por detrás das montanhas.

Um monte de gente na expectativa para ver o pôr do sol da Pedra do Arpoador.

À direita, ao fundo, o Pão de Açúcar e o Forte de Copacabana.


Como estava ventando demais, resolvemos descer da Pedra do Arpoador e caminhar um pouco pela orla da Praia de Ipanema, com as cores do fim do dia ficando cada vez mais bonitas.

Praia de Ipanema com a Pedra do Arpoador à esquerda.

Praia de Ipanema, com este fim de dia espetacular!


Enfim o cansaço de um dia inteiro passeando pelo Rio bateu e resolvemos voltar ao hotel, com uma parada antes para jantar no restaurante La Fabrique, no Leme (vizinho de Copacabana).

2.9. Praias de Copacabana e Leblon

No dia de ir embora do Rio, aproveitamos para visitar rapidinho a Praia de Copacabana, pela parte da manhã, caminhando até o luxuoso hotel Copacabana Palace. O dia estava lindo e ensolarado (nem parecia inverno), com muitas pessoas curtindo a praia e se exercitando pelo calçadão.

Calçadão característico de Copacabana.

O luxuoso hotel Copacabana Palace.

Praia de Copacabana.


Por indicação da minha prima, fomos almoçar no restaurante CT Boucherie, do Chef Claude Troisgros, localizado no Leblon. Depois do almoço maravilhoso, aproveitamos para caminhar um pouco pela orla e apreciar a vista da praia do Leblon.

Galera curtindo o sol do inverno na Praia do Leblon.


3. Restaurantes

Café do Forte (Confeitaria Colombo)

O Café do Forte, da tradicional Confeitaria Colombo, fica dentro do Forte de Copacabana e possui um ambiente super agradável, principalmente a área externa com uma bela vista para Copacabana.

Assim que chegamos, por volta das 15h, não havia mesa externa disponível. Como a fome estava grande, aceitamos uma mesa no ambiente interno, que estava bem tranquilo. Apesar de no site haver a informação de disponibilidade de menu especial de almoço a la carte das 12h às 16h, de terça a sexta, o garçom não confirmou esta informação e apresentou o cardápio padrão, onde o mais próximo de almoço seriam as massas e saladas. O cardápio é bem extenso e variado. Prepare o bolso porque os preços são bem salgados!

Depois do pôr do sol, voltamos ao Café do Forte para uma sobremesa, mas dessa vez esperamos para conseguir uma mesa na área externa, o que valeu muito à pena!

O que experimentei achei saboroso, mas nada excepcional.

O marido pediu baguete com presunto, queijo, alface e tomate.

Eu pedi macarrão penne aos quatro queijos.

Brownie.


La Fabrique

O restaurante La Fabrique fica na Avenida Atlântica (orla de Copacabana), quase esquina com a Avenida Princesa Isabel. Foi uma opção para um jantar simples e rápido, próximo ao hotel em que estávamos hospedados (Windsor Plaza).

O filé aperitivo estava saboroso e a cerveja bem gelada.

Área externa do La Fabrique.

Filé aperitivo acompanhado de fatias de pão. Delícia!


CT Boucherie

Minha prima nos indicou para o almoço o restaurante CT Boucherie, do Chef Claude Troisgros, e que fica localizado no Leblon. É uma casa de carnes muito bem avaliada no TripAdvisor, e extremamente requisitada, tanto que fizemos questão de chegar para a abertura às 12h, o que foi uma ótima estratégia, visto que o local é bem pequeno e fica rapidamente lotado.

Fachada do restaurante CT Boucherie.

Área interna do restaurante.


O restaurante funciona da seguinte forma: você escolhe a carne grelhada, que vem servida com banana assada, batata crisp, farofa especial Panko, e um molho de preferência. O restante dos acompanhamentos são servidos em rodízio (veja o menu do restaurante CT Boucherie).

Os garçons circulam constantemente oferecendo os acompanhamentos, que são muitos! Alguns que lembro: tomate assado e recheado, legumes salteados, arroz maluco, purê de maçã, purê de batata baroa, arroz de quinoa e ratatouille.

Acompanhamento fixo: farofa especial Panko e batata crisp.

Escolhi Escalopines de Mignon (120g) acompanhado de banana assada e um molho de preferência, no caso chimichurri.

Agora com dois acompanhamentos do rodízio: tomate recheado assado e legumes salteados.

O marido escolheu outra ótima opção: Filé Mignon em Crosta de Ervas.

Petit gateau de doce de leite com sorvete de tapioca. Simplesmente divino!


Só posso dizer que foi uma das melhores experiências gastronômicas que já tive. A carne suculenta e bem temperada, todos os acompanhamentos que experimentei estavam deliciosos, sendo que, para mim, o purê de batata baroa e os legumes salteados foram os melhores. Sem falar no petit gateau de doce de leite com sorvete de tapioca. Simplesmente divino! Melhor indicação, impossível! Obrigada prima!

A conta deu alta, mas valeu cada centavo!

4. Hotel

Ficamos hospedados no hotel Windsor Plaza, localizado na Av. Princesa Isabel, 263, no bairro de Copacabana, na fronteira com o Leme. Escolhi este hotel por dois motivos: super próximo ao apartamento onde minha prima estava morando e ótima avaliação no TripAdvisor.

Fiz a reserva de duas diárias pelo Hoteis.com, que permite o parcelamento no cartão de crédito, uma ótima vantagem, visto que o valor da diária do hotel é relativamente alta.

No momento do check-in, para a nossa agradável surpresa, recebemos um upgrade de quarto sem custo adicional! Eita coisa boa!

Achei o quarto relativamente amplo e agradável. O banheiro era bem espaçoso, com vários produtinhos disponibilizados de cortesia. Além disso, quando voltávamos dos passeios à noite, havia chocolates sobre a cama. Adoro esses pequenos mimos!

O café da manhã era bem variado e com muitas comidinhas deliciosas e calóricas!

Quarto 1004 do hotel Windsor Plaza, onde ficamos hospedados.

Chocolatinhos sobre a cama todas as noites. Adorei!

Meu café da manhã... apenas o início!


O hotel é muito bem localizado, a apenas duas quadras da orla de Copacabana. Porém, para se chegar ao hotel de carro, vindo de Copacabana subindo a Av. Princesa Isabel, há uma desvantagem: como o hotel fica do outro lado da avenida, deve-se fazer o retorno em Botafogo (dois motoristas fizeram este percurso), o que não é tão próximo, e para quem está de táxi, acaba gerando um custo a mais. Por conta disso, sempre pedíamos ao taxista para nos deixar no hotel Windsor Atlântica, que fica na esquina da Av. Atlântica (orla de Copacabana) com a Av. Princesa Isabel, e então caminhávamos tranquilamente as duas quadras até o Windsor Plaza.

5. Considerações Finais

Sem dúvida, o Rio de Janeiro tem uma geografia que proporciona belezas naturais incríveis. O tempo todo ficava impressionada com as paisagens. Depois de viajar bastante pelo Brasil, posso dizer que o Rio de Janeiro é uma das mais belas capitais do nosso País.

Infelizmente, é fato que a cidade possui muitos problemas, porém o mesmo também ocorre em outras grandes cidades brasileiras. Resultado da má gestão dos nossos governantes. Uma pena...

Contudo, apesar de todo o meu medo acumulado de anos assistindo aos noticiários (afinal, tudo de ruim que acontece no Rio toma proporções enormes), posso dizer que não tivemos nenhum problema durante a nossa rápida estadia e na maioria das vezes nos sentimos seguros e tranquilos nos locais que visitamos.

Se você não conhece o Rio de Janeiro, providencie o quanto antes a sua viagem!

2 comentários:

  1. Pati, não vou ao Rio tem um certo tempo, mas desse post já quero !!!

    Suas dicas e sua visão dos passeios, restaurantes, atrações, são sempre pautados de forma justa e objetiva.

    Mais um excelente post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karen! Adoro receber esse tipo de feedback. Fico feliz em ajudar, ou pelo menos inspirar, as pessoas em suas viagens. Bjs!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...