01 janeiro 2016

[Inglaterra/França 2015] 1º dia: Chegada a Londres (via Paris)

No relato deste dia, irei compartilhar detalhadamente nossa chegada a Paris, com imigração europeia feita no aeroporto de Lisboa. Porém, a viagem não vai ter início em Paris. Daqui, pegaremos um trem Eurostar de Paris a Londres, onde passaremos uma semana antes de voltar a França.

A seguir, o roteiro para o dia de hoje, o relato detalhado e, ao final, a estimativa de gastos comparada com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Domingo – 20/09/2015):

Chegada ao aeroporto Orly em Paris às 12:30
Metrô do aeroporto Orly à estação Gare du Nord
Trem Eurostar de Paris a Londres às 17:13
Check-in no hotel Studios 2 Let Serviced Apartments

RELATO DO DIA:

Como saímos do Brasil rumo a França pela TAP, companhia aérea portuguesa, inevitável a conexão em Lisboa. Desembarcamos no aeroporto de Lisboa às 6:30 e fomos direto para a fila da imigração, na qual ficamos um pouco mais de meia hora. Chegando ao guichê, o agente da imigração não nos perguntou nada, apenas carimbou os nossos passaportes (meu e do marido).

O voo para Paris só sairia às 9:05, então resolvemos tomar café no PAUL Boulangerie et Pâtisserie, uma espécie de padaria não só especializada em pães mas também em bolos e doces. O PAUL é uma rede francesa que possui estabelecimentos em vários países.

Vitrine do PAUL, onde tomamos café da manhã no aeroporto de Lisboa.

Nosso café da manhã!


Abaixo, a quantia que pagamos no café da manhã com o valor de cada item (em euros):

- Sanduíche de queijo e presunto: 4,95
- Café com leite (grande): 3,80
- Copo de salada de frutas: 4,90
- Garrafa de água: 3,50
TOTAL: $17,15

Depois do café da manhã, seguimos para o portão de embarque. O voo de Lisboa a Paris dura em torno de 2:30h, mas como Paris está uma hora na frente de Lisboa, chegamos ao aeroporto Orly, em Paris, às 12:30.

Observação: Paris possui dois aeroportos internacionais: Charles de Gaulle (CDG) e Orly (ORY). O Charles de Gaulle é o principal aeroporto e fica à nordeste de Paris, enquanto que Orly fica ao sul. No que diz respeito a distâncias, o aeroporto Charles de Gaulle fica a uns 25km de Paris e Orly fica a uns 18km.

Depois que desembarcamos e pegamos nossa única mala despachada (viajamos com uma mala média e uma pequena de bordo), percebemos que não tivemos que passar pela imigração. Bem, provavelmente porque estamos na União Europeia e nosso voo de Lisboa a Paris deve ser considerado um voo interno.

Infelizmente, durante o planejamento dessa viagem, nem eu nem o marido nos demos conta disso, e, achando que teríamos que passar pela imigração francesa, acabamos escolhendo um horário bem tarde, às 17:13, do trem Eurostar de Paris a Londres.

Enfim... continuando com o planejado, ainda no aeroporto, resolvemos comprar logo o Paris Museum Pass, que é um passe para visitar 60 museus e monumentos em Paris e arredores. Existem três opções: para 2, 4 ou 6 dias consecutivos. Pelo tempo que vamos passar em Paris, compramos o passe para 6 dias, que custa $69,00 euros cada, no balcão de informações turísticas (Tourist Information Desk) do Portão A, na área de desembarque.

Daqui, seguimos as placas rumo ao Orlyval, um trem que conecta o aeroporto Orly à estação Antony. Nessa estação passa a linha de metrô RER B que leva a outros pontos de Paris, inclusive à estação Gare du Nord, de onde saem os trens Eurostar para Londres.

Observação: As linhas de metrô do tipo RER (Réseau Express Régional - Rede Expressa Regional) conectam o centro de Paris a áreas mais distantes. Existem 5 linhas (A-E) e as tarifas são mais caras do que as tarifas das linhas que circulam dentro de Paris.

Seguindo as placas rumo ao Orlyval, trem que conecta o aeroporto Orly à estação de metrô Antony.


Durante o planejamento da viagem, vi no site da RATP (empresa de transportes públicos de Paris) as seguintes informações adicionais sobre o Orlyval:

- Horário de funcionamento: 6:00 às 23:00
- Frequência de saída do trem: 4 a 7 minutos
- Preço do bilhete até à estação Antony: $9,30 euros
- Tempo de viagem entre Orly à estação Antony: 6 minutos
- Preço do bilhete até o centro de Paris: $12,05 euros
- Tempo de viagem entre Orly ao centro de Paris: 25 a 30 minutos

Chegando na estação do Orlyval, é possível comprar o bilhete nas máquinas automáticas ou no guichê com um(a) atendente. Porém, mesmo com as informações acima, ficamos com medo de comprar o bilhete errado nas máquinas automáticas, então resolvemos ir direto com a atendente. Falei a ela que queríamos ir para a estação Gare du Nord, então ela nos vendeu dois bilhetes Orlyval + RER no valor de $12,05 euros cada. A indicação RER no bilhete nos garante pegar o metrô da estação Antony até a Gare Du Nord.

Bilhete Orlyval+RER necessário para ir do aeroporto Orly até a estação Gare du Nord, via estação Antony.


Como expliquei anteriormente, o trem Orlyval conecta o aeroporto Orly à estação de metrô Antony. Sendo assim, obrigatoriamente temos que descer na estação Antony para pegar a linha de metrô RER B que leva a outros pontos de Paris, inclusive à estação Gare du Nord. É de extrema importância observar o sentido que o trem está indo, ou seja, qual é a sua estação final, para saber se o trem vai passar/parar na estação de interesse. No nosso caso, tínhamos que pegar o trem no sentido Aeroport Charles de Gaulle. Daqui à estação Gare du Nord são 13 paradas, cerca de 28 minutos.

Dica: O site da RATP possui uma opção para planejar os trajetos de metrô, bastando informar a origem e o destino que o resultado mostra qual linha pegar, tempo de viagem, quantas estações terão pelo meio do caminho e se é necessário fazer baldeação. Simplesmente planejei todos os trajetos de metrô que provavelmente vamos fazer nesta viagem. A louca do planejamento!

Na estação Antony esperando o metrô que nos levará à estação Gare du Nord.


Finalmente desembarcamos do metrô na estação Gare du Nord. Porém, nos deparamos com um lugar enorme, cheio de diferentes caminhos para seguir, só não sabíamos qual seria a direção que nos levaria ao local de embarque da Eurostar! Felizmente, havia por perto um balcão de informação e a atendente nos explicou como chegar até lá. Foi um pouco complicado, mas acabamos encontrando!

Pena que ainda eram 14:15, significando três horas de espera até a saída do nosso trem a Londres. Resolvemos comer alguma coisa, mas antes, fomos atrás de um banheiro. Quando encontramos um, descobrimos que era pago, um valor simbólico de $0,70 euro por pessoa. Tudo bem... para o tamanho e quantidade de gente que circula nesta estação, só cobrando uma taxa de utilização do banheiro para mantê-lo limpo!

Depois do banheiro, começamos a saga na busca de um local para comer. Foi neste momento que a dificuldade com o idioma começou a pesar. Nem eu nem o marido falamos francês, o máximo que fizemos foi estudar algumas frases para garantir um primeiro contato com os franceses, que são conhecidos por não gostarem nem um pouco de serem abordados em inglês.

Ficávamos parados olhando para os cardápios, para as plaquinhas descrevendo as comidas e não fazíamos ideia do que escolher e de como pedir. Passamos por umas três lanchonetes fazendo isso. O fato é que havia um pouco de vergonha dentro de nós para iniciar uma abordagem aos franceses!

Finalmente, encontramos um local chamado Autogrill, que parecia menos complicado, com poucas pessoas e com uma atendente aparentemente bem simpática! Usei tudo que aprendi em francês e minha abordagem foi assim:

Bonjour! (Olá!)
- Pardon, je ne parle pas français. (Desculpe, eu não falo francês.)
Parlez-vous anglais? (Você fala inglês?)

Para a nossa sorte, ela falava inglês e foi super simpática. Ufa! Como não estávamos com muita fome, dividimos uma baguete de queijo e presunto e um refrigerante, totalizando em $8,00 euros. Depois ainda compramos uma garrafa de água a $2,50 euros.

Com a barriguinha cheia, fomos dar uma volta pela estação, afinal, tempo não nos faltava... Até fomos ao guichê de informações da Eurostar para tentar antecipar nossas passagens, mas isso custaria $40,00 euros cada. Resolvemos esperar mesmo!

Estação Gare du Nord. Na parte superior, está a área de embarque para os trens Eurostar de Paris a Londres.

Um piano fica disponível para quem quiser tocar.

Um pedacinho da enorme estação Gare du Nord, em Paris.


Enquanto planejava esta viagem, li muitos relatos negativos com relação a Gare du Nord, inclusive sobre golpes e furtos. Por conta disso, tratamos de tomar atenção redobrada por aqui.

Então, eis as minhas considerações a respeito da estação Gare du Nord, que, pelo que pude perceber, é a mais importante de Paris:

  1. A estação é enorme e um pouco confusa em relação aos direcionamentos, principalmente para nós que chegamos de metrô.
  2. A quantidade de pessoas circulando por aqui é grande. Uma verdadeira muvuca!
  3. Apesar da indicação de internet WiFi gratuita, em nenhum momento conseguimos conectar.
  4. Achei a estação um tanto feia e suja.
  5. Há muitos pedintes, muitos mesmo. E alguns doidinhos também! Um desses doidinhos, inclusive, tentou pegar a mala de um turista que havia se distanciado por algum momento. Eita turista bobinho!
  6. Há pouquíssimos lugares para sentar. O que para nós foi bem ruim, visto o grande tempo de espera que tínhamos pela frente.
  7. Há muitas pessoas a esmo, parecendo observar a movimentação. Há relatos na internet dizendo que aqui há muito golpe às pessoas que estão tentando comprar bilhetes nas máquinas automáticas. Um estranho chega oferecendo "ajuda" e acaba comprando um bilhete errado, bem mais barato, e cobra um valor mais caro à pessoa. Não posso afirmar pois não presenciei o golpe, porém sempre ficava desconfiada dessas pessoas a esmo!
  8. Outro golpe comum aqui na estação e em outros pontos turísticos de Paris... meninas que circulam com uma prancheta solicitando assinaturas e dinheiro para ajudar uma determinada "causa". Nossa, esse acontece aqui descaradamente! Elas abordam em francês, inglês e até em espanhol! Nós fomos abordados diversas vezes enquanto caminhávamos pela estação para passar o tempo. A maioria das pessoas abordadas, como nós, ignoram essas meninas. Porém, fiquei surpresa em ver alguns turistas ingênuos e desavisados caindo nessa.
  9. Existem policiais armados até os dentes circulando pela estação e colocando pedintes mais insistentes e as meninas das pranchetas para correr, mas não chegam a expulsá-los da estação. Ou seja, basta o policial desaparecer que todos retornam às suas atividades normalmente!
  10. Por duas vezes, presenciamos policiais abordando homens e pedindo para que esvaziassem os bolsos. Lembram dos sujeitos a esmo que relatei anteriormente e a venda de bilhetes errados? Não sei porque mas acho que há alguma relação...


Enfim, durante as nossas três horas de espera circulando pela Gare du Nord pudemos observar muitas coisas!

Com uma hora de antecedência, pudemos entrar na área de embarque para o trem Eurostar de Paris a Londres. Primeiro, passamos por uma catraca eletrônica onde devemos passar nossos tickets. Depois, temos que preencher um formulário de imigração inglesa. Em um mesmo corredor, primeiro passamos pela imigração francesa, para registrar a saída do país, depois pela imigração inglesa para registrar a entrada. Após a imigração, as malas e demais pertences devem passar por um scanner e as pessoas por um detector de metais, tal como acontece nos aeroportos.

Vinte minutos antes da saída do trem, começou o embarque. Nosso vagão era o 2 e nossos assentos, 21 e 22. Como nossas malas não eram grandes, conseguimos colocá-las no compartimento que fica sobre os assentos.

Trem da Eurostar.

Hora de embarcar no trem para Londres.

Nosso vagão.


O trem saiu na hora exata, às 17:13. A viagem dura em torno de 2:30h e foi bem tranquila. As poltronas são confortáveis e conseguimos tirar uma soneca! Para quem não sabe, o trem passa pelo Canal da Mancha por um túnel dentro d'água. Porém, isso ocorre quase no fim da viagem e dura uns 20 minutos.

Enfim chegamos à estação St Pancras International em Londres, horário local 18:30 (Londres está uma hora a menos que Paris). Daqui, seguimos a pé rumo ao hotel Studios 2 Let Serviced Apartments, que fica a uns 10 minutos de caminhada da estação.

Dica: O aplicativo para smartphone do TripAdvisor possui a opção de baixar mapas das principais cidades do mundo para utilizá-los off-line, ou seja, sem internet, apenas com o sistema de localização (GPS) do celular. Então, antes da viagem, baixei os mapas das cidades de Londres e Paris. Por isso, quando saímos da estação, fomos nos guiando com este mapa para chegar até o hotel.

Chegando ao hotel, onde ficaremos hospedados pelos próximos sete dias, fizemos o check-in e descobrimos que nosso quarto ficava no último andar (quarto andar, creio eu). Isso não era uma boa notícia, pois já sabíamos de antemão, pelas avaliações que lemos, que o hotel não tem elevador. Ainda bem que um rapaz muio simpático da recepção carregou nossas malas escada acima. Por isso, nos sentimos na obrigação de dar uma gorjeta de $5,00 euros para ele. De início ele recusou, mas como insisti, ele acabou aceitando!

O quarto tem um bom tamanho e possui uma pequena cozinha toda equipada e com os utensílios e louças necessários. Já o banheiro, por sua vez, é minúsculo! Quando fui tomar banho, me senti oprimida com tanto aperto!

Cozinha do nosso quarto de hotel, em Londres.

Nosso pequenino e apertado banheiro!

Quarto pequeno, porém confortável.


Descansamos só um pouquinho e logo voltamos a sair para jantar e comprar suprimentos para o café da manhã.

Em Londres, há uma rede de fast food chamada Pret a Manger. Aqui, os alimentos são vendidos como orgânicos, naturais, saudáveis e preparados diariamente. Sem contar no preço super acessível! Então, procuramos uma Pret próxima (em frente à estação de metrô Russel Square) e fomos conferir. E não é que é bom mesmo! Tomamos sopa, comemos sanduíche com batata chips, bebemos um suco de laranja gostoso e de sobremesa comemos um mousse de chocolate, totalizando em $14,89 libras.

Dica: A Pret a Manger possui alguns itens com preços diferenciados para quem vai comer no local e para quem vai levar a comida para viagem (take away). O preço para viagem, logicamente, é mais barato.

Do lado da Pret, há um supermercado Tesco Express, onde compramos água, itens para o café da manhã e outros lanchinhos. As compras totalizaram em $12,39 libras. Achamos os preços bem acessíveis.

Já eram 21:30 quando voltamos ao hotel. Estávamos exaustos depois dessa verdadeira maratona para chegar a Londres.

Abaixo, o trajeto que percorremos a pé por Londres:




GASTOS DIÁRIOS (para o casal):

Em Euros:

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Paris Museum Pass: 69,00x2=138,00 Paris Museum Pass: 138,00 0,00
OrlyVal + RER B: 12,05x2=24,10 OrlyVal + RER B: 24,10 0,00
Alimentação: 40,00 Alimentação: 27,65 12,35
Banheiro Gare du Nord: 0,70x2=1,40 -1,40
Gorjeta hotel em Londres: 5,00 -5,00
202,10 196,15 5,95
Saldo Inicial: 2.200,00 / Saldo Atual: 2.003,85 / Economia Geral: 5,95

Em Libras:

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Alimentação: 40,00 Alimentação: 14,89 25,11
40,00 14,89 25,11
ESTIMATIVA INICIAL PARA SUPRIMENTOS GASTOS EFETIVOS SALDO
70,00 12,39 57,61
70,00 12,39 57,61
Saldo Inicial: 600,00 / Saldo Atual: 572,72 / Economia Geral: 25,11

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...