15 janeiro 2016

[Inglaterra/França 2015] 4º dia: Londres (Notting Hill, Kensington Gardens, Victoria & Albert Museum e Musical)

No relato deste dia, compartilho o nosso passeio a pé (walking tour) pelo bairro Notting Hill, que ficou famoso após o filme "Um lugar chamado Notting Hill", com Julia Roberts e Hugh Grant. Outros passeios que fizemos e recomento muito: Kensington Gardens, parque de Londres muito bonito e agradável; e o Victoria and Albert Museum, mais um museu gratuito em Londres. Ao final desta postagem, apresento o mapa com os lugares visitados e o trajeto percorrido a pé.

Além disso, Londres possui vários espetáculos provenientes da Broadway. Aproveitamos para assistir ao clássico musical The Phantom of the Opera (O Fantasma da Ópera). Lindíssimo!

A seguir, o roteiro para o dia de hoje, o relato detalhado e, ao final, a estimativa de gastos comparada com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Quarta-Feira – 23/09/2015):

Notting Hill
Kensington Gardens
Royal Albert Hall
Victoria and Albert Museum
Musical "The Phantom of the Opera" às 19:30

RELATO DO DIA:

Hoje o dia começou lindo! Céu azul e nada de chuva, bem diferente dos dias anteriores! Tomamos café da manhã no quarto e saímos para pegar o metrô rumo ao bairro Notting Hill. Pense no frio que estava fazendo!

Caminhamos até a estação Euston Square (não confundir com a estação Euston), onde pegamos um metrô da linha Circle na direção de Hammersmith e descemos na estação Ladbroke Grove (um total de 6 estações, aproximadamente 14 minutos de viagem).

Chegamos por volta das 10:00, quando começamos nosso walking tour pelo bairro Notting Hill, que passou a ser tão procurado pelos turistas após o filme "Um Lugar Chamado Notting Hill", de 1999, com Julia Roberts e Hugh Grant.

Da estação de metrô, seguimos para a rua Blenheim Crescent, onde, no número 13, está localizada a livraria que inspirou a existente no filme, cujo dono era o personagem de Hugh Grant.

Iniciando nosso passeio por Notting Hill pela rua Blenheim Crescent.

Livraria que inspirou a do filme "Um Lugar Chamado Notting Hill".


Chegamos a Portobello Road, onde há 150 anos acontece seu famoso mercado de rua, o Portobello Market, com várias barraquinhas apresentando itens de antiguidade, frutas e vegetais, roupas, e muito mais! Essa feira funciona de segunda a sábado, porém, sábado é o principal dia de visitação, quando está em total funcionamento, seguido da sexta-feira. Então, se você for visitar o mercado em um desses dias, espere encontrar muita, mas muita gente!

Como não gostamos de muvuca, resolvemos visitar na quarta-feira mesmo, e já pudemos ver muitas barracas vendendo roupas e outras vendendo frutas e vegetais.

Portobello Market em um dia mais tranquilo de visitação.

150 anos de Portobello Market.


Na Portobello Road há uma loja muito bacana chamada Poundland, onde todos os seus produtos custam 1 libra. Impossível não se empolgar e cair na tentação! Encontrei um chocolate alemão que simplesmente amo! Tive que comprar! Aproveitamos para comprar também umas besteiras para comer, tipo cookies e salgadinhos. Nossa compra totalizou em $6,00 libras.

Chocolate alemão que amo e encontrei na loja Poundland. Tudo a $1 libra!


Continuando pela Portobello Road, encontramos o The Electric Cinema, um dos mais antigos cinemas em funcionamento do país, datado de 1910.

The Electric Cinema, datado de 1910 e ainda em funcionamento.

Barraquinha de frutas e vegetais da Portobello Market.

Loja que se aproveitou do nome do famoso mercado!


Seguindo pela Portobello Road, encontramos no número 142 o local que serviu de cenário para a livraria do filme "Um Lugar Chamado Notting Hill", cujo dono era o personagem de Hugh Grant. Atualmente, funciona uma loja de souvenir (lembrancinhas).

Loja que serviu de cenário para a livraria do filme "Um Lugar Chamado Notting Hill".

Caminhando pela Portobello Road neste belo dia de sol.

Notting Hill tem um charme todo especial.

Finalizando o passeio pela Portobello Road.


Quando acabamos de caminhar pela Portobello Road, chegamos a Pembridge Road. Nosso walking tour por Notting Hill foi rápido, durando um pouco mais de uma hora. Antes de deixarmos este charmoso bairro, resolvemos almoçar na Arancina, uma pizzaria com um pequeno carro laranja exposto em sua vitrine. Pedimos duas fatias de pizza de pepperoni e dividimos um refrigerante. A conta totalizou em $9,90 libras.

A pequena loja possui em seu segundo andar uma área com mesas onde pudemos almoçar tranquilamente. A pizza estava uma delícia! Recomendo!

Fachada da pizzaria Arancina, em Notting Hill, onde comemos uma deliciosa pizza de pepperoni.

As mesas ficam localizadas no segundo andar da pizzaria.

Pizza de pepperoni deliciosa!


Depois do almoço, seguimos pela Pembridge Road até a rua Notting Hill Gate. De esquina, está o Recipease, loja do famoso chef inglês Jamie Oliver. Entramos rapidinho para dar uma checada na loja e é bem bacana. Quem gostar de utensílios, livros e tudo mais relacionado à arte de cozinhar, sugiro uma visita.

E por aqui nos despedimos de Notting Hill. Caso deseje mais dicas sobre o bairro, recomendo acessar a postagem do blog Ideias na Mala, de onde peguei algumas dicas.

Agora seguiremos para o parque Kensington Gardens, que fica a oeste do Hyde Park. Vendo no mapa, estes dois parques parecem ser um só, pois estão coladinhos um no outro. Na verdade, o Kensington Gardens originalmente fazia parte do Hyde Park, antes de serem separados em dois parques distintos.

Para economizar 15 minutos de caminhada, resolvemos pegar a linha Central do metrô na estação Notting Hill Gate e descer na próxima estação Queensway, que fica bem em frente à entrada do parque. Chegamos ao parque por volta das 12:00.

Começamos nosso passeio pelo Broad Walk, um caminho em linha reta que passa bem em frente ao Palácio de Kensington. Porém, antes de chegar ao palácio, encontramos o The Orangery, prédio histórico do século 18, onde atualmente funciona um restaurante.

Caminhando pelo parque Kensington Gardens.

The Orangery, prédio histórico do século 18, onde atualmente funciona um restaurante.


Continuamos nosso passeio por um lindo caminho, todo arborizado, até chegarmos aos jardins do Palácio de Kensington. Simplesmente lindos! E tão coloridos!

É possível visitar o interior do Palácio de Kensington mediante a compra de um ingresso de $16,50 libras. Porém, em tempos de desvalorização do Real, resolvemos não visitar esta atração!

Ao fundo, o restaurante The Orangery.

Jardins do Palácio de Kensington.

Jardins do Palácio de Kensington. Ao fundo, o restaurante The Orangery. 

Que dia lindo em Londres! E a galera aproveitando para pegar uma vitamina D!

Estátua da Rainha Vitória. Ao fundo, o Palácio de Kensington.

Palácio de Kensington.

Lago que fica em frente à área do Palácio de Kensington. Muitos cisnes e patos.

Até os patinhos estão aproveitando este dia lindo!


Continuamos caminhando pelo Broad Walk até sair do parque na Kensington Road. Pegamos à esquerda, passando pelo Royal Albert Hall, um salão de espetáculos com capacidade para quase 6.000 pessoas, inaugurado em 1871 pela Rainha Vitória. Sua estrutura circular com uma abóbada de vidro é singular.

Em frente ao edifício, dentro do parque Kensington Gardens, está o Albert Memorial, monumento em homenagem ao esposo da Rainha Vitória, falecido em 1861.

Saindo do parque Kensigton Gardens, uma tradicional cabine telefônica vermelha.

Royal Albert Hall, imponente sala de espetáculos datada de 1871.

The Albert Memorial, monumento em homenagem ao esposo da Rainha Vitória, falecido em 1861.


Dobramos à direita na Exhibition Road rumo ao Victoria and Albert Museum, que fica do ladinho do Natural History Museum, o qual visitamos no nosso segundo dia em Londres. Chegamos ao museu por volta de 13:00. Este também possui entrada gratuita. Estou amando essa história de museus gratuitos em Londres!

O Victoria and Albert Museum é o maior museu de artes decorativas do mundo, com uma coleção permanente que ultrapassa os 4,5 milhões de peças. Foi fundado em 1852 e seu nome é uma homenagem à Rainha Vitória e seu esposo, o Príncipe Albert. Realmente o museu impressiona por sua bela arquitetura e diversidade da sua coleção. Entendi o motivo pelo qual é uma das atrações mais bem avaliadas de Londres no TripAdvisor.

Entrada lateral do Victoria and Albert Museum, na Exhibition Road.

Galeria de esculturas com muitas obras de Rodin.

Galeria de arte Medieval e Renascentista da Europa.

Escultura "Sansão derrota o Filisteu" do artista Giambologna, datada de 1562.

The John Madejski Garden, uma área aberta em meio ao museu.

Decoração linda no teto do restaurante do museu.

Salão principal do museu entrando pela Cromwell Road.

Detalhe da fachada da entrada principal do Victoria and Albert Museum.


Fizemos um lanche rápido no próprio museu, mais exatamente no Garden Cafe, que fica em uma área aberta denominada "The John Madejski Garden". Dividimos uma baguete de queijo e presunto ($5,25) mais um suco de laranja ($3,50), totalizando em $8,75 libras.

Deixamos o museu às 15:00. Foi uma visita bem rápida, mas tínhamos que voltar ao hotel para descansar um pouco antes de irmos ao musical que começava às 19:30. Pegamos a linha Piccadilly na estação de metrô South Kensington e descemos na estação Russel Square, que é a mais próxima do nosso hotel.

Cartwright Gardens, rua do hotel onde ficamos hospedados, o Studios 2 Let Serviced Apartments.


Depois de um belo descanso, voltamos a sair, por volta das 18:15, rumo a Piccadilly Circus, pois tínhamos ingressos para assistir ao musical The Phantom of the Opera (O Fantasma da Ópera) às 19:30 no Her Majesty's Theatre. Em 2016, o musical completa 30 anos de exibição neste teatro.

Pegamos a linha Piccadilly na estação Russel Square e descemos na estação Piccadilly Circus. Antes de seguir para o teatro, fizemos um lanche rápido em uma Pret a Manger. Dividimos um sanduíche e um pacotinho de amendoins, totalizando em $4,44 libras.

Chegando a Piccadilly Circus.

Piccadilly Circus, uma pequena Times Square em Londres.


Chegamos ao teatro, trocamos nossos vouchers pelos ingressos e entramos. Ficamos um pouco decepcionados com o tamanho do teatro, tudo bem apertadinho, e nem vendia pipoca! Fomos para os nossos assentos, que, infelizmente, não eram muito bons, mas também não eram péssimos. Temos que lembrar o quanto a libra está cara para nós brasileiros, por isso acabamos escolhendo lugares apenas razoáveis.

Durante o intervalo, já que não havia pipoca, acabamos comprando um potinho de sorvete da Häagen-Dazs que estava sendo vendido no interior do teatro, no valor de $3,50 libras. Lembrando que quem converte, não se diverte!

O musical tem duração total de 2:30h. Já era a minha terceira vez vendo este musical, e a primeira do marido. Dentre tantos musicais em exibição em Londres, confesso que preferia ter assistido a um diferente. Contudo, como o Fantasma da Ópera é simplesmente um clássico dos musicais, achei que o marido deveria incluir este espetáculo em sua lista. O musical é lindo e emocionante. Particularmente, um dos meus favoritos. Super recomendo!

Fachada do Her Majesty's Theatre, local de apresentação do musical "The Phantom of the Opera".

Visão do palco dos nossos assentos, que não eram tão bons, mas tudo bem!


Saímos do teatro por volta das 22:00 e fomos direto pegar o metrô para voltar ao hotel. Estávamos exaustos, foi um longo dia.

Abaixo, o mapa com os lugares visitados e o trajeto percorrido no dia de hoje (aproximadamente 5km):




GASTOS DIÁRIOS (em Libras, para o casal):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Alimentação: 70,00 Alimentação: 26,59 43,41
70,00 26,59 43,41
SALDO ANTERIOR PARA SUPRIMENTOS GASTOS EFETIVOS SALDO
45,24 6,00 39,24
45,24 6,00 39,24
Saldo Anterior: 430,70 / Saldo Atual: 398,11 / Economia Geral: 148,87

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...