23 janeiro 2016

[Inglaterra/França 2015] 5º dia: Londres (Tower Bridge, Borough Market, London Eye e Big Ben)

A postagem de hoje está especial! Um dos dias mais aguardados por mim, com visita aos principais pontos turísticos de Londres, incluindo a Tower Bridge, a London Eye e o Big Ben.

As dicas que deixo no relato são: almoço no Borough Market e compra antecipada do ingresso para a London Eye.

A seguir, o roteiro para o dia de hoje, o relato detalhado (com mapa dos lugares visitados e do trajeto percorrido) e, ao final, a estimativa de gastos comparada com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Quinta-Feira – 24/09/2015):

Tower Bridge
Tower of London
St. Paul's Cathedral
Millennium Bridge
Shakespeare's Globe Theatre
Borough Market
The London Eye
Westminster Abbey
Palácio de Westminster

RELATO DO DIA:

Hoje a primeira visita do dia será a Tower Bridge. Para chegar lá, pegamos a linha Northern na estação Euston Bus e descemos na estação London Bridge (cerca de 11 minutos de viagem). Chegamos por volta das 10:00 e, saindo da estação, fomos caminhando até chegar às margens do Rio Tâmisa, passando pela Hay's Galleria, uma galeria bem bonita cheia de lojas e restaurantes.

O dia começou um pouco nublado mas com cara de que as nuvens dariam lugar ao sol a qualquer momento!

Cruzando a Hay's Galleria para chegar às margens do Rio Tâmisa.

Às margens do Tâmisa, rumo a Tower Bridge.


A Tower Bridge é, sem dúvida, um dos cartões postais de Londres. Foi construída entre os anos de 1886 a 1894, e possui uma arquitetura belíssima constituída de duas torres, sobre o Rio Tâmisa. Além disso, seu meio abre, em horários pré-determinados, para que embarcações possam passar sob a ponte.

Fomos caminhando tranquilamente pelas margens do Tâmisa, apreciando a bela vista, quando chegamos à escadaria que leva os pedestres até a Tower Bridge.

Primeira visão da Tower Bridge.

Do outro lado do Tâmisa está a Tower of London.

Tower Bridge mais de perto, com o céu ficando cada vez mais bonito.

Nos aproximando para entrar na Tower Bridge.

Cruzando a Tower Bridge. Muita emoção!


Enquanto cruzávamos a Tower Bridge, paramos um pouco para apreciar a bela vista. Nesta região, há vários prédios modernos do distrito financeiro e comercial de Londres, incluindo o City Hall (prefeitura), The Shard (o prédio mais alto de Londres), 20 Fenchurch Street (apelidado de "The Walkie-Talkie") e o 30 St Mary Axe (mais conhecido como "The Gherkin", ou em português, pepino em conserva), todos esses com arquitetura bem peculiar!

Prédios modernos da região. Da esquerda para a direita: The Shard, City Hall e 20 Fenchurch Street.

Mais à esquerda, o prédio 20 Fenchurch Street. E mais à direita, o 30 St Mary Axe.

Terminando de cruzar a Tower Bridge. Detalhes de sua arquitetura.


Existe uma atração dentro da ponte chamada Tower Bridge Exhibition. Inaugurada em 1982, a exibição conta a história da ponte, incluindo a experiência de caminhar sobre um piso de vidro e vistas panorâmicas a partir dos pontos mais altos da ponte. Esta é uma atração paga e optamos por não visitá-la. Porém, no blog Meus Planos de Viagem, o Arnóbio conta a sua experiência de visitar esta atração.

Depois de cruzar a Tower Bridge, algo muito rápido pois ela tem apenas 245 metros de comprimento, resolvemos nos sentar às margens do Tâmisa para apreciar a vista e descansar um pouco antes de dar continuidade ao passeio.

Momento em que a ponte se abriu para uma embarcação passar.

Fonte denominada "Girl with a Dolphin" com a Tower Bridge ao fundo.


Daqui, seguimos caminhando até a Tower of London (Torre de Londres), nome dado a um castelo histórico datado em torno de 1080, que foi utilizado como prisão de 1100 a 1952. Em 2012, foi inaugurada a exibição "The Crown Jewels". Além da exibição das Joias da Coroa, é possível fazer um tour guiado pelo interior do prédio. Ficamos bem interessados, principalmente o marido, porém achamos o preço do ingresso muito caro, $24,50 libras! Além disso, às 11:00, quando chegamos ao local, as filas para visitação estavam enormes.

Mais uma vez, recomendo o blog Meus Planos de Viagem, onde o Arnóbio relata detalhadamente sua visita à Torre de Londres.

Aproveitamos que havia uma lanchonete no local e fizemos um lanche rápido. Dividimos um sanduíche e um café com leite a $6,90 libras.

Outro símbolo de Londres, a Tower of London, que já funcionou como uma prisão.

Filas enormes para entrar na Tower of London.

Esculturas de animais em torno da Tower of London, pois reis e rainhas costumavam manter animais selvagens presos aqui.


Por volta das 11:30 deixamos os arredores da Tower of London e pegamos a linha Circle na estação de metrô Tower Hill, descendo na estação Mansion House (5 minutos de viagem) para chegar a St Paul's Cathedral. Assim, economizamos uns 20 minutos de caminhada!

A Catedral de St Paul tem uma arquitetura lindíssima e imponente. É uma igreja anglicana, sede do Bispo de Londres, tendo sua construção entre os anos de 1675 a 1720. Seu nome é em homenagem ao apóstolo Paulo. Além disso, foi nesta Catedral que aconteceu a celebração do casamento entre o Príncipe Charles e a Princesa Diana em 1981.

Para fazer a visitação na Catedral, precisa-se comprar ingresso, e não é barato... Estava custando $18,00 libras! Mais uma vez optamos em não visitar atrações pagas. Então, para saber como é a visitação, recomendo novamente o blog Meus Planos de Viagem.

Vista lateral da St Paul's Cathedral.

Vista da Catedral cujo nome é dedicado ao apóstolo Paulo.


Depois de passar pela Catedral, cruzamos a Millennium Bridge, uma ponte somente para pedestres sobre o Rio Tâmisa, conectando os distritos de Bankside e City of London, inaugurada no ano 2000. Porém, logo em seguida teve que ser interditada para modificações e novamente aberta em 2002.

A ponte possui apenas 325 metros de comprimento, então é bem rápido cruzá-la. Do outro lado, em Bankside, está o Tate Modern Museum. Não curtimos muito arte moderna, mas como a entrada é gratuita, aproveitamos para usar o banheiro, descansar e acessar a internet WiFi gratuita!

Cruzando a Millennium Bridge, com a St Paul's Cathedral ao fundo.

Impossível não parar um pouco para admirar a bela paisagem!

Do outro lado da ponte está o Tate Modern Museum, um museu de arte moderna.

St Paul's Cathedral e a Millennium Bridge.


Depois da parada estratégica no Tate Modern Museum, continuamos nosso passeio pelas margens do Tâmisa, passando pelo Shakespeare's Globe Theatre, um teatro com uma arquitetura bem peculiar. Sua construção original é datada de 1599, porém o teatro foi destruído por um incêndio em 1613, reconstruído em 1614, e então demolido em 1644. A construção atual é datada de 1997, bem mais recente.

Shakespeare's Globe Theatre, um teatro com uma arquitetura bem peculiar.


Seguimos nosso rumo em direção ao Borough Market, onde pretendemos almoçar. Essa região é muito bacana, cheia de pubs, restaurantes, lanchonetes, o próprio mercado é uma graça, vendendo de tudo, tal como frutas, verduras, flores, queijos, vinhos e muitas comidinhas.

Um pouco antes de chegar ao mercado, há uma entrada para a Vinopolis Piazza, na Stoney Street. Esta praça possui uma cobertura de guardas-chuvas coloridos que dá um charme todo especial ao local. Pelo visto, muitos lugares pelo mundo estão adotando esta ideia!

Mais um típico pub londrino.

Entrada para a Vinopolis Piazza, perto do Borough Market.

Vinopolis Piazza com sua cobertura feita de guardas-chuvas coloridos. Uma graça!


Chegamos ao Borough Market por volta das 13:00. Porém, depois de tanta economia feita almoçando apenas sanduíche, resolvemos extrapolar hoje e comer um bom pedaço de carne! Perto da entrada do mercado na Stoney Street está o Black and Blue Restaurant. Olhamos o cardápio na área externa e resolvemos almoçar aqui, onde também iremos deixar parte do que economizamos nos dias anteriores!

O restaurante estava super tranquilo, então logo nos sentamos na área interna. Achei o ambiente bem agradável, com um bom atendimento. Já que costumamos comer pouco, escolhemos dividir um filé mignon de 170g acompanhado de purê de batatas e salada. Achei legal que os pratos já vieram montados separadamente. Nossa, como foi gostoso apreciar um bom pedaço de carne! Estava tudo muito saboroso!

Abaixo, a descrição da conta, no total de $65,25 libras, com o valor de cada item:

- Filé mignon 170g: 52,00
- Refrigerante em garrafa: 6,00
- Taxa de serviço: 7,25
TOTAL: $65,25

Fachada do Black and Blue Restaurant, onde almoçamos.

Filé mignon acompanhado de purê de batatas. Escolhemos o ponto bem passado (well done).

Salada que acompanha o prato principal.


Deixamos o restaurante e fomos dar uma volta dentro do Borough Market, que estava bem movimentado na hora do almoço. O mercado é recheado de lojinhas e bancas, vendendo desde comida a flores e vinhos. Um local tipicamente frequentado pelos londrinos, além dos turistas. Achei bem bacana!

De acordo com o site do mercado, em 2014, o Borough Market completou 1000 anos de existência! Dá para acreditar? Porém, o mercado está na sua localização atual desde 1756, sendo que a construção do atual prédio é datada de 1851, com várias adições e reformas subsequentes.

Passeando pelo movimentado Borough Market.

Variedade e qualidade desde 1756!

Entrada principal do Borough Market.


Como o tempo estava começando a nublar, resolvemos deixar logo o mercado e seguir para a London Eye, a enorme e famosa roda gigante perto do Parlamento Britânico.

Sendo assim, pegamos a linha Jubilee na estação London Bridge (que possui uma entrada bem perto do Borough Market) e descemos na estação Waterloo (apenas 2 minutos de viagem), a mais próxima da London Eye. Da estação, seguimos a pé até a enorme roda gigante.

A London Eye fica localizada às margens do Rio Tâmisa, no distrito de South Bank, e foi formalmente inaugurada em 31 de dezembro de 1999, justamente para a virada do milênio. Por isso, ela também é conhecida como Millennium Wheel (Roda do Milênio). Contudo, por conta de problemas técnicos, a London Eye permaneceu fechada e somente foi aberta ao público em março de 2000. Além disso, sua estrutura possui 135 metros de altura e um diâmetro de 120 metros. Chegou a ser a roda gigante mais alta do mundo, mas já foi superada por outras construídas posteriormente.

Chegamos um pouco depois das 14:00 e a fila para visitação estava enorme! Porém, eu já havia feito a compra antecipada dos ingressos diretamente no site da London Eye. Existem vários tipos de ingressos. Resolvi comprar o Flexi Fast Track, um pouco mais caro que o ingresso padrão, porém dá direito a visitar durante qualquer horário de um dia escolhido no momento da compra. No nosso caso, escolhi o dia de hoje para visitação, logo, era torcer para termos um dia bonito! Além disso, esse tipo de ingresso também dá direito a cortar fila, o que foi muito auspicioso!

Infelizmente o tempo estava fechando um pouco, mas ainda havia partes de céu limpo, o que nos proporcionou belas paisagens. O passeio dura aproximadamente 30 minutos.

Nos aproximando da London Eye.

As cápsulas são extremamente espaçosas e não estavam lotadas.

Vista para a cúpula da St Paul's Cathedral.

Vista para o Palácio de Buckinham.

Alguns prédios do distrito financeiro e comercial, como o The Shard à direita.

Vista para o outro lado do Tâmisa, com a Westminster Bridge e o Palácio de Westminster (Parlamento Britânico).

Um zoom nos prédios do Parlamento, incluindo o famoso Big Ben.


Depois que saímos da London Eye começou a chuviscar. Aproveitamos, então, para entrar na bilheteria, onde havia banheiro e também uma sala exibindo gratuitamente um filme em 4D sobre a London Eye.

Daqui, atravessamos a Westminster Bridge, passamos pelo Palácio de Westminster (Parlamento Britânico), onde fica o Big Ben, e seguimos rumo a Westminster Abbey.

A Abadia de Westminster é uma igreja em estilo gótico, fundada em 960. Contudo, a construção atual é datada de 1245. Tem sido o local de coroações e sepultamentos de monarcas britânicos. Além do mais, aqui também foi celebrado o casamento entre o Príncipe William e Catherine Middleton, em 2011.

Como chegamos depois das 15:30, a entrada para visitação já estava encerrada. Contudo, muito provavelmente não iríamos fazer a visitação, já que para entrar na Abadia, precisa comprar ingresso!

Mais uma vez, recomendo a postagem do blog Meus Planos de Viagem, onde o Arnóbio relata a sua visita e mostra fotos do interior da Abadia. Bons tempos de libra a 3,00 reais!

Fachada da Abadia de Westminster.


Infelizmente, a chuva começou a engrossar e tivemos que buscar um local coberto para nos abrigar e esperar o tempo melhorar. Ainda bem que depois de alguns minutos a chuva deu uma trégua e pudemos continuar o passeio. Aproveitamos que havia uma lanchonete perto da igreja e fizemos um lanche rápido. Compramos dois cachorros-quentes, um bolinho de limão e uma água por $12,65 libras.

Depois, ficamos pela Parliament Square admirando a bela visão que se tem para o Big Ben, um dos principais cartões postais de Londres.

Na verdade, a torre do relógio que conhecemos como Big Ben, situada no Palácio de Westminster (Parlamento Britânico), se chama oficialmente Elizabeth Tower, uma homenagem ao Jubileu de Diamante da Rainha Elizabeth II, ou seja, 60 anos no trono britânico. O nome Big Ben, por sua vez, é o apelido dado ao grande sino existente dentro do relógio da torre.

Três ícones de Londres: o táxi preto, o Big Ben e o ônibus vermelho de dois andares!

Na Parliament Square tem-se uma bela vista para o Big Ben.


Cruzamos novamente a Westminster Bridge para poder apreciar o Palácio de Westminster por inteiro do outro lado do Rio Tâmisa.

O Palácio de Westminster é a sede do Parlamento Britânico, também conhecido como Parlamento do Reino Unido (Parliament of the United Kingdom of Great Britain and Northern Ireland), cuja composição é feita por duas casas: House of Commons e House of Lords. Por isso, o Palácio também é comumente chamado de Houses of Parliament (Casas do Parlamento). Sua construção original foi destruída por um incêndio em 1834, e a construção do prédio atual começou logo em seguida, de 1840 a 1870.

O Palácio está aberto para visitação em dias pré-determinados e mediante a compra de um ingresso. Porém, a visitação da Elizabeth Tower (mais conhecida como Big Ben) é aberta somente para residentes do Reino Unido.

Curiosidade: Para quem não sabe, existe diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido. A Inglaterra é um país cuja capital é Londres. A Grã-Bretanha é uma ilha que abriga a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales. O Reino Unido é um agrupamento político que abrange os países da Grã-Bretanha mais a Irlanda do Norte.

Atravessando a Westminster Bridge com a London Eye ao fundo.


Big Ben e Westminster Bridge.

Vista completa do Palácio de Westminster (Parlamento Britânico), incluindo o famoso Big Ben.


Eram quase 17:00 e nossa intenção era ficar por aqui para apreciar o pôr do sol, que nesta época do ano estava se pondo por volta das 19:00. Contudo, o dia foi tão cheio que o cansaço nos bateu e resolvemos voltar ao hotel.

Então fomos caminhando até a estação de metrô Waterloo, onde pegamos a linha Northern e descemos na estação Euston, a mais próxima do hotel sem precisar fazer baldeação. Como o cansaço era grande, resolvemos preparar nosso lanchinho noturno no próprio quarto e dormir cedo. Amanhã faremos um tour para Stonehenge, Bath e Windsor com a empresa International Friends.

Abaixo, o mapa dos lugares visitados e do trajeto percorrido hoje (mais de 7km, cansaço explicado!):




GASTOS DIÁRIOS (em Libras, para o casal):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Alimentação: 70,00 Alimentação: 84,80 -14,80
70,00 84,80 -14,80
Saldo Anterior: 398,11 / Saldo Atual: 313,31 / Economia Geral: 134,07

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...