15 março 2016

[Inglaterra/França 2015] 11º dia: Saída Vale do Loire / Chegada Normandia (Mont Saint-Michel)

Hoje é dia de deixar o Vale do Loire e seguir para a Normandia, com o objetivo principal de visitar o Mont Saint-Michel.

As principais dicas que deixo no relato são: hospedagem na cidade de Amboise para conhecer os castelos do Vale do Loireexperiência de dirigir pelo interior da França, incluindo informações sobre os pedágios existentes no percurso; e hospedagem na cidade de Pontorson, para conhecer o Mont Saint-Michel.

A seguir, o roteiro para o dia de hoje, o relato detalhado, incluindo o mapa do trajeto percorrido de Amboise a Pontorson, e a visita ao fantástico Mont Saint-Michel. Ao final, a estimativa de gastos comparada com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Quarta-Feira – 30/09/2015):

Check-out no hotel Ibis Amboise (Vale do Loire)
Percurso Amboise-Pontorson
Check-in no hotel Best Western Montgomery (Normandia)
Visita ao Mont Saint-Michel

RELATO DO DIA:

Acordamos cedo e tomamos café da manhã no próprio hotel, que não está incluído na diária e custa $9,90 euros por pessoa. Voltamos para o quarto, terminamos de arrumar nossas coisas e fomos fazer o check-out no hotel. Tivemos que pagar uma taxa referente a um imposto local de $2,00 euros/diária, totalizando em $6,00 euros.

Informação Importante: No momento da reserva do hotel Ibis Amboise pelo Hoteis.com, havia a informação de que o hotel solicitaria o pagamento de um imposto local de $6,20 euros (calculado pelo número de diárias para o quarto duplo) no momento do check-in ou check-out. Então, fique atento para depois não se assustar com a cobrança!

Tivemos uma ótima estadia em Amboise. A cidade é um charme, possui um castelo lindo, o Château d'Amboise, e possui localização estratégica para visitar os principais castelos do Vale do Loire.

A hospedagem no hotel Ibis também nos surpreendeu positivamente. O quarto segue o padrão da rede, porém, o café da manhã tinha muitas opções, com vários itens tipicamente franceses, como queijos da região, croissants, madeleines (parecem bolinhos), entre outras coisas. Bem diferente do que costumamos encontrar na rede Ibis pelo Brasil. O hotel fica fora do centro e possui um amplo estacionamento gratuito. Para quem estiver de carro, é uma ótima opção de hospedagem.

Deixamos a cidade de Amboise às 9:45 rumo à cidade de Pontorson, na região da Normandia, onde vamos nos hospedar por apenas uma noite para conhecer o Mont Saint-Michel.

A distância de Amboise a Pontorson é de aproximadamente 290km, o que dá em torno de 3h de viagem. O trajeto é feito principalmente pelas rodovias pedagiadas A28 e A81. Conforme o site autoroutes.fr, o valor do pedágio para este trajeto é de $17,30 euros.

Dica: O site autoroutes.fr possui informações importantes sobre as rodovias da França, com opção de preencher a origem e o destino e o resultado é o itinerário com informações sobre distância, tempo, custo do pedágio e de combustível. No detalhamento do itinerário vem o trajeto completo com o nome das vias e os locais exatos das cabines de pedágio. Salvei o itinerário dos principais trajetos que iremos percorrer durante nossa visita ao interior da França.

Dica: Uma ferramenta muito útil para mim é o Dropbox, uma pasta virtual onde jogo todos os arquivos referentes ao planejamento da viagem e consigo acessá-los de qualquer lugar. No smartphone, é possível acessar os arquivos até sem internet disponível, contanto que estes tenham sido marcados como "disponível offline".

Para sair de Amboise, o GPS nos levou para a rodovia pedagiada A10. Assim que entramos na rodovia, nos deparamos com as cabines de pedágio. Neste momento, retiramos apenas o ticket, não há pagamento ainda. O pagamento do pedágio deverá ser efetuado somente na saída da A10, sendo o valor calculado de acordo com a distância percorrida.

Dica: Atenção na hora de escolher a cabine de pedágio, pois algumas possuem propósitos específicos, como os passes especiais, que geralmente não costuma ser o caso de nós turistas.

Informação Importante: Sempre guardar o ticket do pedágio na entrada de uma rodovia pedagiada, pois o mesmo será solicitado no momento da saída da rodovia para calcular o valor do pedágio, conforme a distância percorrida.

Dirigindo pela rodovia A10 de Amboise (Vale do Loire) a Pontorson (Normandia).


Depois de 30 minutos dirigindo pela A10, pegamos a saída da rodovia, onde nos deparamos com as cabines de pedágio para efetuar o pagamento. Escolhemos uma cabine, inserimos o ticket na máquina e no visor apareceu o valor do pedágio: $2,80 euros. Existem entradas específicas para cédulas e moedas. A medida que o marido colocava o dinheiro na máquina, no visor ficava aparecendo o valor que faltava. Ao final, a máquina retornou o ticket validado e a cancela abriu para que pudéssemos passar. Acho que o percurso escolhido pelo GPS não foi o mesmo gerado pelo site autoroutes.fr, pois este pedágio não estava previsto no nosso planejamento financeiro!

Pegamos em seguida a entrada para a rodovia A28, porém, as cabines de pedágio só foram aparecer em torno do Km 47 da rodovia. Mais uma vez, escolhemos uma cabine e retiramos o ticket do pedágio. Passamos por um trecho da rodovia A11 e depois pegamos a rodovia A81.

Cabines de pedágio na rodovia A28. Aqui apenas retiramos o ticket, não há pagamento ainda.

Dirigindo pela rodovia A28 rumo à cidade de Pontorson, na região da Normandia.


Depois de duas horas dirigindo, exatamente às 11:45, resolvemos fazer uma parada para abastecer o carro. Pelas rodovias estão espalhadas diversas áreas oferecendo serviços como: postos de combustível, restaurantes e lanchonetes, lojas de conveniência, entre outros. Existem placas indicativas destas áreas ao longo das rodovias, informando a distância para a próxima área e os serviços oferecidos. Paramos na "Aire de St-Denis-d'Orques", na rodovia A81.

Pelas rodovias estão espalhadas diversas áreas oferecendo serviços muito úteis aos motoristas.

Parada estratégica para abastecer o carro.


No posto não há frentistas para nos atender, ou seja, é um abastecimento "self-service". Para liberação da bomba de combustível, tivemos que ir na loja de conveniência e fazer o pagamento antecipadamente. Aqui, o fato de não falarmos francês dificultou um pouquinho, pois a atendente não falava inglês e também não mostrou qualquer interesse em facilitar nossa vida! Na falta de um francês fluente, fizemos uso de mímica! Falei "diesel" e apontei para o nosso carro que estava estacionado na bomba três. Entendi que ela falou três em francês ("trois") para confirmar e eu respondi "oui" (sim em francês). Ela falou mais alguma coisa que não entendemos, mas com toda a minha perspicácia, saquei que era a hora de pagar pelo abastecimento! Havíamos feito um cálculo prévio e decidimos colocar $30,00 euros de combustível. Ela nos deu o recibo, agradecemos e voltamos para a bomba que já estava liberada com o valor exato para efetuar o abastecimento.

O preço/litro de diesel, no posto onde abastecemos, estava custando $1,244 euros. Sendo assim, com $30,00 euros abastecemos o carro com 24,12 litros de diesel.

Dica: Em alguns postos de combustível, o nome "gasoil" é usado no lugar de "diesel". Porém, são a mesma coisa. Deixamos de abastecer em um posto anterior, pois só havia a indicação de "gasoil" e não sabíamos que era a mesma coisa que "diesel"!

Carro abastecido, pegamos nosso rumo de volta à rodovia. Às 12:15 pegamos a saída da rodovia A81, para entrada na rodovia D31 (não pedagiada), onde nos deparamos com as cabines de pedágio para efetuar o pagamento. Escolhemos uma cabine, inserimos o ticket na máquina e no visor apareceu o valor do pedágio: $17,30 euros. Agora sim, o valor previsto pelo site autoroutes.fr! Inserimos as cédulas e as moedas no valor exato e, ao final, a máquina retornou o ticket validado e a cancela abriu para que pudéssemos passar.

A partir de então, começamos a pegar estradas bem menores, de fluxo mais lento, passando por pequenas cidades. Visual diferente e com certeza mais charmoso!

Passando por pequenas cidades durante o trajeto até Pontorson.

Rodovias menores e de fluxo mais lento no interior da França.


Chegamos à cidade de Pontorson, na região da Normandia, às 13:30 (totalizando em 3h45min de viagem), onde ficaremos hospedados por apenas esta noite no hotel Best Western Montgomery. Tivemos que encontrar uma vaga na rua para deixar o carro, pois o hotel não possui estacionamento.

Chegando à pequena cidade de Pontorson, na região da Normandia.

Hotel Best Western Montgomery, onde pernoitaremos para visitar o Mont Saint-Michel.


Agora, respondendo a pergunta que não quer calar: Por que escolhi a cidade de Pontorson para nos hospedar durante nossa visita ao Mont Saint-Michel?

A resposta é muito simples, meu caro leitor! Porque não havia mais vaga nos hotéis localizados na vila de acesso ao Mont Saint-Michel! E também não tínhamos interesse em nos hospedar dentro do monte, que possui algumas pequenas pousadas e hotéis.

Durante o planejamento da viagem, fiquei de olho no hotel Mercure Mont Saint-Michel, que fica na vila de acesso ao monte. Porém, quando finalmente decidimos fechar o hotel, não havia mais vaga... Começou o desespero então para encontrar outro que ficasse próximo também. Foi quando encontrei o hotel Best Western Montgomery na cidade de Pontorson, a 10km do Mont Saint-Michel, coisa de 15 minutos de carro.

Continuando com o relato do dia...

Fizemos o check-in no hotel, que na verdade é um antigo casarão, inclusive existem vários itens históricos espalhados pelo local tal como se fosse um museu. O hotel possui um elevador bem pequeno parando em andares intermediários. Só fizemos deixar as malas no quarto e voltamos a sair para procurar um restaurante para almoçar, pois estávamos morrendo de fome!

Nosso quarto no Hotel Best Western Montgomery, em Pontorson. Bem confortável.


Com a ajuda do aplicativo TripAdvisor para smartphone, escolhemos o restaurante Le Brazza, que fica na mesma rua do hotel.

Por sugestão do nosso atendente, muito simpático por sinal e que falava inglês (ufa!), pedimos o denominado "Bavette d'Aloyau", que é uma porção de carne acompanhada de molho, salada e batatas-fritas. Pedimos um prato para cada e dois refrigerantes.

Prato denominado "Bavette d'Aloyau" no restaurante Le Brazza em Pontorson.


Para ser muito sincera, não gostei nem um pouco da carne, pois era daquele tipo que você precisa mastigar bem para conseguir engolir. Meu maxilar já estava cansado!

A conta totalizou em $29,40 euros, conforme descrição abaixo:

- Bavette d'Aloyau: 2 x 12,10 = 24,20
- Refrigerante: 2 x 2,60 = 5,20
TOTAL: $29,40

Como o serviço não estava incluído, resolvemos deixar uma gorjeta de $5,00 euros, totalizando em um gasto de $34,40 euros.

De buchinho cheio, passamos rapidinho no hotel e às 15:30 pegamos o carro rumo ao Mont Saint-Michel. Chegamos em 10 minutos. Super rápido!

O estacionamento é enorme e bem organizado (foi construído em 2012). O preço para 24 horas consecutivas é de $12,50 euros. Para menos de duas horas, o preço do estacionamento fica em $6,30 euros. Retiramos o ticket, estacionamos o carro e fomos pegar o ônibus gratuito que leva à entrada do Mont Saint-Michel, passando também pela vila de acesso, onde há hotéis, lojas e restaurantes.

Primeira visão do Mont Saint Michel, ainda na estrada.

Existem ônibus gratuitos que levam do estacionamento à entrada do Mont Saint-Michel.


O Mont Saint-Michel é uma pequena ilha na região da Normandia, quase na fronteira com a região da Bretanha, localizada cerca de 1km da costa noroeste da França, sendo invadida diariamente por altas marés. Por conta disto, várias pessoas visitam o local para presenciar tal fenômeno. Consulte o site oficial do Mont Saint-Michel para saber os horários de ocorrência do fenômeno da maré alta. Além disso, ao lado do monte deságua o rio Couesnon, sendo afetado também pela maré alta.

O Mont Saint-Michel foi inicialmente construído em 708 quando Aubert, bispo de Avranches, mandou edificar sobre o Mont-Tombe um santuário ao Arcanjo São Miguel. O monte tornou-se rapidamente um local de peregrinação de grande importância. No século X, os monges beneditinos se instalaram no monte à pedido do Duque da Normandia e uma igreja foi construída antes do ano 1000. Durante o século XI, a abadia da igreja foi fundada sobre um conjunto de criptas e as primeiras edificações do monastério começaram a ser construídas. Um aldeia foi sendo desenvolvida na base do rochedo durante o século XIV.

Com sua arquitetura militar, envolvendo muralhas e fortificações, o Mont Saint-Michel resistiu à Guerra dos Cem Anos e a todos os assaltos ingleses, fazendo do monte um lugar simbólico da identidade nacional francesa.

Após a dissolução da comunidade religiosa no período da Revolução Francesa (1789-1799) até 1874, o Mont Saint-Michel foi objeto de grandes restauros. Desde então, os trabalhos não foram interrompidos. E, em 1979, o Mont Saint-Michel foi decretado Patrimônio Mundial da UNESCO.

Chegando ao Mont Saint-Michel.

Além de ônibus, é possível chegar à base do monte por meio de carros puxados por cavalos.

O Mont Saint-Michel é datado de 708 e foi construído sobre um rochedo.


Entramos no Mont Saint-Michel às 16:10 e em sua base existe uma vila com muitas lojas, restaurantes e alguns hotéis e pousadas. Sendo assim, é possível se hospedar dentro do Mont Saint-Michel e ter uma experiência diferenciada. Porém, o marido e eu não nos interessamos por conta da logística. Imagina ficar carregando mala por ruas estreitas, íngremes e de acesso não muito fácil...

Caminhando pela pequena vila existente na base do Mont Saint-Michel.


Assim que entramos no Mont Saint-Michel fomos seguindo em frente e nos embrenhando pelas ruelas e escadarias até chegar na Abadia, que fica no topo do monte. Haja fôlego para subir tantas escadas!

Para entrar na Abadia é preciso adquirir um ingresso a $9,00 euros por pessoa. Mais informações sobre dias e horários de abertura no site oficial do Mont Saint-Michel.

Após a compra dos ingressos, recebemos um folheto em português que serve de guia de visitação, contando várias histórias e outras informações relevantes sobre o Mont Saint-Michel e sua Abadia.

Subindo muitas escadas até chegar à Abadia do Mont Saint-Michel.


Um dos momentos mais bacanas do tour pela Abadia é chegar ao terraço, de onde se tem uma vista geral da baía, que, no momento em que visitamos, estava com os bancos de areia expostos por conta da maré baixa.

Daqui podemos ver também a fachada da igreja, que teve de ser reconstruída em 1780 após sua destruição em um incêndio. Sobre a igreja está uma torre neogótica construída em 1897 com uma estátua em cobre dourado do Arcanjo São Miguel na ponta.

Fachada da igreja no ponto mais alto do Mont Saint-Michel.

Torre neogótica sobre a igreja com uma estátua em cobre dourado do Arcanjo São Miguel na ponta.

Vista da baía a partir do terraço da Abadia do Mont Saint-Michel.

Bancos de areia expostos por conta da maré baixa.


Por conta do fenômeno da maré alta que invade a ilha diariamente, várias modificações foram feitas ao longo dos anos para melhorar o acesso ao Mont Saint-Michel e deixá-lo mais seguro. Em 2006, o Primeiro-Ministro da França juntamente com autoridades regionais anunciaram um projeto milionário para construir uma represa para conter as águas do rio Couesnon e as altas marés.

Além disso, o projeto também previa a construção de um novo estacionamento localizado a 2,5km da ilha, sendo este inaugurado em 2012. Por conta da distância, ônibus são disponibilizados gratuitamente para fazer o traslado dos visitantes entre o estacionamento, a vila e a entrada para o Mont Saint-Michel.

Mais recentemente, em julho de 2014, foi inaugurada uma nova ponte interligando a vila e a entrada do Mont Saint Michel. A ponte foi construída a uma altura que evitasse sua total submersão por conta da maré alta. Porém, em raros momentos de maré extremamente alta, a ponte pode ficar submersa, como aconteceu em março de 2015.

Nova ponte de acesso ao Mont Saint-Michel, inaugurada em 2014.


Depois de visitar o terraço, continuamos o tour pela Abadia, passando por outro local muito bonito, o claustro, que permitia a circulação entre os vários edifícios, sendo também um local de oração e de meditação. As galerias do claustro foram construídas com vigamento de madeira com um duplo alinhamento de pequenas colunas, dando um charme especial ao local.

Claustro da Abadia do Mont Saint-Michel.

Detalhe das pequenas colunas em duplo alinhamento.


Passamos por várias outras galerias dentro da Abadia, concluindo o tour às 17:40, ou seja, um pouco mais de 1 hora visitando o local. Recomendo muito o passeio pela Abadia, é um local extremamente bonito e de grande importância histórica ao Mont Saint-Michel.

Na saída da Abadia, fizemos um percurso lento de descida até a sua base, apreciando a bela paisagem e toda a arquitetura peculiar e medieval do Mont Saint-Michel.

Durante a maré baixa é possível fazer passeios sobre os bancos de areia que ficam expostos pela baía. Porém, é extremamente perigoso e desaconselhável se aventurar por conta própria, pois, além de outros riscos, existem vários pontos de areia movediça. Caso haja o interesse, há guias profissionais e especializados no passeio sobre os bancos de areia.

Do alto do Mont Saint-Michel era possível ver grupos de pessoas andando pelos bancos de areia. Deve ser emocionante!

Bancos de areia expostos por conta da maré baixa.

Há guias especializados para fazer o passeio pela baía durante a maré baixa. Nunca vá sozinho!

Passeando pelo Mont Saint-Michel.

O topo da Abadia visto da base do Mont Saint-Michel.

Vista da pequena vila existente na base do Mont Saint-Michel.

Outra perspectiva da nova ponte de acesso ao Mont Saint-Michel, inaugurada em 2014.

Sol começando a se pôr.


Saímos do interior do Mont Saint-Michel às 19:00. Nosso objetivo agora era apreciar o pôr do sol, que nesta época do ano estava se pondo por volta das 19:40, e depois presenciar o fenômeno da maré alta que estava prevista para acontecer hoje às 21:43. Conforme o site oficial do Mont Saint-Michel, para ver o fenômeno da maré alta, recomenda-se chegar com duas horas de antecedência.

Como não sabemos muito bem como acontece o fenômeno da maré alta por aqui, achamos mais seguro ficar do lado de fora do Mont Saint-Michel... Vai que tudo alaga e ficamos presos lá dentro!

Além disso, ficamos em dúvida sobre o horário de funcionamento dos ônibus que fazem o traslado gratuito até o estacionamento. Então ficamos de olho neles também. Nem pensar em caminhar 2,5km até o estacionamento!

Mont Saint-Michel visto do lado de fora. Lindo demais!

Sol se pondo e mudando as cores do Mont Saint-Michel.

Esse é o ônibus que faz o traslado do estacionamento à entrada do Mont Saint-Michel.

Sol parecendo uma estrelinha!

Apreciando o pôr do sol no Mont Saint-Michel.

Pôr do sol perfeito!

Experiência incrível apreciar o pôr do sol no Mont Saint-Michel.

E lá sei vai o sol... que dia lindo!

Mont Saint-Michel se iluminando após o pôr do sol.

O pôr do sol deixou cores lindas no céu.


Após o pôr do sol, continuamos do lado de fora aguardando com ansiedade a chegada da maré alta. Percebemos que aos poucos a baía estava se enchendo de água, mas nada muito perceptível a ponto de impressionar... Com o anoitecer, o frio começou a dificultar nossa espera. Mas nos mantivemos firmes! Enquanto isso, os ônibus continuavam trazendo e levando mais visitantes. De vez em quando entrávamos em um ônibus para fugir do frio, mas quando o motorista entrava nós saíamos rapidinho, pois isso era sinal que ele já iria partir para levar os visitantes embora. Por conta disso, acabamos descobrindo o horário de funcionamento dos ônibus e ficamos mais tranquilos.

Informação Importante: O serviço de traslado no Mont Saint-Michel é gratuito levando os visitantes entre o estacionamento e a entrada do monte passando pela pequena vila de acesso onde estão hotéis, restaurantes e lojas. O horário de funcionamento dos ônibus de traslado é de 07:30AM a 01:00AM. Neste horário, os ônibus transitam de forma ininterrupta. Porém, de 01:00AM a 07:30AM os ônibus param de circular e, caso haja necessidade de traslado, deve-se ligar para o número +33 (0)2 14 13 20 00 e solicitar um veículo.

Para ser sincera, não fazíamos ideia do que iria acontecer, quando, de repente, começamos a ouvir um barulho e todo mundo correu para o outro lado da ponte, inclusive o motorista do ônibus que estava esperando! Foi quando vimos muita água vindo em velocidade chegando a formar uma pequena onda, passando por debaixo da ponte e tomando conta de tudo. Em coisa de poucos minutos, a ilha já estava rodeada de água. Simplesmente impressionante!

Lá vem a maré alta! A velocidade da água gera uma pequena onda!

Baía sendo coberta por água por conta da maré alta.

Deixando o Mont Saint-Michel... Lugar mágico!


Deixamos o Mont Saint-Michel às 20:45, enquanto o fenômeno da maré alta ainda estava acontecendo, porém, já tínhamos visto o suficiente. Estávamos morrendo de frio e fome! Mas valeu super a pena ver o pôr do sol e presenciar o fenômeno da maré alta. Foi uma experiência incrível! Por isso, recomendo fortemente pernoitar na região para aproveitar melhor a maravilha que é o Mont Saint-Michel!

Pegamos o ônibus de volta ao estacionamento, pagamos o ticket em uma máquina automática, totalizando em $12,50 euros, e seguimos de volta ao hotel. Chegamos a Pontorson rapidinho, achamos um local na rua para estacionar o carro e fomos comer novamente no Le Brazza, o único restaurante aberto na rua do hotel. Nosso atendente foi o mesmo que do almoço, ele nos reconheceu e logo puxou assunto. Sempre muito simpático e falando inglês para facilitar nossa vida!

Para o jantar pedimos pizza. Como no menu dizia que era uma pizza individual, acabamos pedindo uma para cada, mas quando as pizzas chegaram constatamos que eram enormes! Poderíamos ter divido uma sem problema... Mais uma vez caímos nesse erro! Como o marido não iria mais dirigir hoje, aproveitamos para pedir duas taças de vinho também.

Pizza de queijo. O menu dizia que era uma pizza individual... Sério?! 

Pizza de linguiça. Também individual!


A conta totalizou em $25,00 euros, conforme descrição abaixo:

- Pizza individual de queijo: 9,10
- Pizza individual de linguiça: 9,70
- Taça de vinho: 2 x 3,10 = 6,20
TOTAL: $25,00

Como o serviço não estava incluído, resolvemos deixar uma gorjeta de $5,00 euros, totalizando em um gasto de $30,00 euros.

Voltamos ao hotel e subimos para o nosso quarto. Na hora de dormir, descobrimos que não havia aparelho de condicionador de ar, então deixamos a janela do quarto aberta para entrar um friozinho.

Estávamos exaustos, mas cada minuto no Mont Saint-Michel valeu a pena. Até agora, o momento ápice desta viagem juntamente com a visita ao Vale do Loire.

Abaixo, o mapa com o trajeto percorrido de Amboise a Pontorson, com os pontos de pedágio e abastecimento, além da localização do Mont Saint-Michel.




GASTOS DIÁRIOS (em Euros, para o casal):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Alimentação: 100,00 Alimentação: 84,20 15,80
Taxas Hotel Ibis Amboise: 6,20 Taxas Hotel Ibis Amboise: 6,00 0,20
Pedágio Amboise-Pontorson: 17,30 Pedágio Amboise-Pontorson: 20,10 -2,80
Abadia Mont Saint-Michel: 9,00x2=18,00 Abadia Mont Saint-Michel: 18,00 0,00
Estacionamento Mont St-Michel: 12,50 Estacionamento Mont St-Michel: 12,50 0,00
154,00 140,80 13,20
ESTIMATIVA INICIAL PARA ABASTECIMENTO GASTOS EFETIVOS SALDO
105,00 30,00 75,00
105,00 30,00 75,00
Saldo Anterior: 1.614,46 / Saldo Atual: 1.443,66 / Economia Geral: 41,86

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...