29 maio 2016

[Viagens Curtas] São Paulo 2016

A primeira vez que fui a São Paulo foi em 2011 (para o show do U2 no Morumbi) e, desde então, esta cidade tem um lugar reservado no meu coração... ou seria melhor dizer... no meu estômago! Não nego: adoro comer! E come-se muito bem em São Paulo.

Portanto, sempre que aparece uma oportunidade, não deixo de aproveitar alguns dias na cidade, principalmente para conhecer novos lugares e revisitar outros lugares queridos.

No fim de abril/2016, passei um fim de semana prolongado (sexta-feira, sábado, domingo e segunda-feira) com o marido e resolvi compartilhar aqui no blog a experiência maravilhosa que tivemos. Definitivamente, foi um fim de semana gastronômico e cultural na cidade de São Paulo!

1. Atrações

Sempre que vou a São Paulo, procuro fazer algo novo, mas é inevitável revisitar alguns lugares, como por exemplo, a Avenida Paulista, que costuma ser o local onde me hospedo, por conta da praticidade.

1.1. Catavento Cultural

O Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência foi inaugurado em 2009 com o objetivo de ser um espaço interativo apresentando a ciência de forma instigante para crianças, jovens e adultos. O Catavento Cultural tem sido o museu mais visitado do Estado de São Paulo por três anos consecutivos.

Localização: Av. Mercúrio, s/n, Brás (Palácio das Indústrias, Parque Dom Pedro II).

Funcionamento: Terça-feira a domingo, das 9h às 17h, sendo que a entrada é até às 16h.

Ingresso: O valor regular é de R$ 6,00. Aos sábados, o ingresso é gratuito para todos os visitantes.

Visitamos o museu no sábado de manhã. Chegando lá, primeiro passeamos pela parte externa, onde estão em exposição locomotivas, aviões, e outros meios de transporte mais antigos.

Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência.

Locomotivas, aviões, e outros meios de transporte mais antigos estão em exposição na área externa do Catavento Cultural.


O museu está dividido em quatro áreas: Universo, Vida, Engenho e Sociedade (veja o mapa), onde cada uma possui exposições e objetos interativos com o intuito de ensinar ciência de uma maneira divertida. Inclusive, há sessões (aulas) fechadas sobre assuntos específicos e em horários pré-definidos. Porém, aos fins de semana e férias escolares é necessária a retirada de senhas na recepção do Catavento para assistir a essas aulas.

Como fomos em um sábado, pegamos senhas para assistir às sessões Laboratório de Química e Nanoaventura. O Laboratório de Química é muito divertido. A professora faz vários experimentos interessantes e ao final ocorre até uma explosão! Por sua vez, achamos a aula de Nanoaventura um pouco sem graça, principalmente os jogos interativos que fazem parte da aula. Acabamos saindo antes do término...

Área denominada Engenho, repleta de atrações e experimentos interativos.

Borboletário do Catavento Cultural.


O museu é muito interessante e visitá-lo foi uma experiência ótima! Se você estiver com crianças/jovens, recomendo demais a visita. É importante introduzir na vida de nossas crianças e jovens um aprendizado como este.

1.2. Musical Wicked

Adoro musicais! E São Paulo costuma trazer os principais musicais da Broadway para o Brasil. Já passaram pela cidade: Les Miserables, A Bela e a Fera, Chicago, O Fantasma da Ópera, O Rei Leão e muitos outros. Em 2011, tive oportunidade de assistir ao Mamma Mia! em São Paulo.

Agora é a vez do aclamado musical Wicked, que entrou em cartaz no Teatro Renault em 04/03/2016, devendo ficar até 31/07/2016. Comprei nossos ingressos para a sessão de sábado às 16h com uma semana de antecedência no site Tickets for Fun e recebi os e-tickets por e-mail.

Fachada do Teatro Renault, onde estava em cartaz o musical Wicked.


Sinopse (Fonte: site do Wicked Brasil)

Muito antes de Dorothy chegar, duas outras garotas se conheceram na Terra de Oz. Elphaba, nascida com a pele cor verde-esmeralda, é esperta, ardente e incompreendida. Glinda é belíssima, ambiciosa e muito popular. Essa megaprodução, que faz rir e chorar, traz à tona os segredos que levam Elphaba a se tornar uma bruxa “má” e Glinda a ganhar a simpatia dos habitantes da Cidade das Esmeraldas. Wicked, por meio de números e performances surpreendentes, mostra que toda história tem diversos pontos de vista e que ser diferente faz de você alguém único e extraordinário.

Interior do Teatro Renault e o cenário do musical Wicked.


O musical teve 3 horas de duração, incluindo um intervalo de 15 minutos. Só posso dizer que foi surpreendente! Cenário, elenco, figurino, história, enfim... tudo perfeito! O melhor musical que já assisti, apesar de simplesmente amar O Fantasma da Ópera!

1.3. Eataly

Conheci o Eataly de Nova York e adorei (veja a postagem sobre a minha visita a NY). Então, desde a inauguração do Eataly em 19/05/2015 na cidade de São Paulo (primeira filial na América Latina), fui criando uma vontade imensa de conhecê-lo. Finalmente chegou a hora! Visitamos no sábado à noite logo depois de sair do musical Wicked.

História (Fonte: site do Eataly)

O Eataly é um complexo de gastronomia com o objetivo de reunir todos os alimentos italianos de qualidade sob o mesmo teto, oferecendo um espaço para compras e alimentação. Depois de três anos de pesquisa e planejamento, o Eataly abriu sua primeira loja em Turim, na Itália, em janeiro de 2007. Desde 2004, o Eataly possui empresas e parcerias para distribuir alimentos italianos de alta qualidade, incluindo: água, bebidas não alcoólicas, vinhos, carnes frescas, carnes curadas, queijos, massas e doces. Atualmente, existem 29 lojas do Eataly no mundo, sendo uma agora em São Paulo.

O Eataly São Paulo possui uma área de 4.500 m², onde existem 13 pontos de alimentação em meio a um mercado com mais de 7.000 produtos italianos ou de produtores locais.

Eataly São Paulo.


Ao todo, o Eataly possui sete restaurantes temáticos: La Piazza (para refeições rápidas), Le Verdure (vegetariano), Il Crudo (peixes crus e ostras), La Carne (carnes), Il Pesce (peixes e frutos do mar), La Pasta (massas) e La Pizza (pizzaria). Além desses, que seguem o padrão internacional, foi criado exclusivamente para a unidade de São Paulo o restaurante Brace Bar e Griglia, com comidas feitas na brasa.

Espalhados pelo complexo, existem ainda outros quiosques de alimentação, como cafeteria, confeitaria, chocolateria, gelateria (ou sorveteria), padaria, um bar de sucos de frutas feitos na hora e um quiosque específico da Nutella!

Eu que adoro comida italiana fiquei deslumbrada com todos aqueles produtos! Minha vontade era de comprar vários itens, porém, como a maioria dos produtos é importada, o preço fica bem alto... Mas comprei um macarrão para matar a vontade!

O mercado do Eataly possui mais de 7.000 produtos italianos ou de produtores locais.


Achei a organização do local bem interessante. Existem áreas específicas para a compra de carnes, peixes, massas, doces, verduras, etc. E para cada uma dessas áreas, existe o restaurante/quiosque específico. Por exemplo, ao lado da sessão de carnes fica o restaurante La Carne. Ao lado da sessão de peixes fica o restaurante Il Pesce. Perto da sessão de doces está o quiosque La Pasticceria, e assim  por diante.

E sem falar nas prateleiras cheias de potes de Nutella! em frente fica um quiosque que prepara crepes na hora com recheios de Nutella... A fila estava grande aqui!

Prateleiras repletas de potes de Nutella!


Resolvemos jantar no local e dentre tantas opções escolhi o restaurante La Pasta. Porém, sobre o restaurante falarei mais adiante.

Olha... não sei qual a opinião de outras pessoas, mas eu adorei o Eataly! Já quero um na minha cidade!

1.4. Avenida Paulista

A Avenida Paulista é uma das principais ruas de São Paulo e concentra várias atrações, como museus, centros culturais, livrarias, shoppings e até um parque. Gosto muito de me hospedar na região, justamente por considerar um ponto estratégico da cidade.

Além das várias atrações espalhadas por toda a Paulista, aos domingos (dia em que resolvemos dar uma voltinha por lá) a avenida fica fechada para o trânsito de carros, para que as pessoas possam usufruir da rua para caminhar, andar de bicicleta e praticar outros tipos de esporte e entretenimento. A decisão de fechar a Avenida Paulista para carros é recente, tendo iniciado em 18/10/2015.

Dica: O Bradesco Seguros patrocina o serviço de aluguel de bicicletas chamado Ciclo Sampa, sendo que aos domingos um quiosque é montado na Avenida Paulista (quase com a Rua da Consolação) para aluguel de bicicletas.

Aos domingos a Avenida Paulista fica fechada para o trânsito de carros.

Antigo casarão na Avenida Paulista.


1.5. Livraria Cultura (Conjunto Nacional)

Simplesmente amo a Livraria Cultura situada dentro do Conjunto Nacional na Avenida Paulista. Fundada em 1947, a livraria abriu sua primeira loja no Conjunto Nacional em 1969, sendo, atualmente, a maior livraria do País.

Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista.


Além de muitos e muitos livros, a Livraria Cultura do Conjunto Nacional possui uma programação intensa de eventos culturais. Vale a pena conferir o calendário.

Visitamos a livraria no domingo de manhã e enquanto estávamos lá aconteceu um espetáculo musical infantil denominado Grandes Pequeninos, de Jair Oliveira e Thania Khalill, interpretado pelo próprio casal. As canções são de autoria de Jair e abordam assuntos como diversidade, a importância dos livros, da imaginação, a superação, entre outros.

O casal é uma graça e o espetáculo encanta até os adultos! Adorei!

Musical infantil Grandes Pequeninos, de Jair Oliveira e Thania Khalill, apresentado na Livraria Cultura.


1.6. Rua Oscar Freire

A Rua Oscar Freire fica na região denominada Jardins e ficou famosa pela concentração de lojas de grifes internacionais, restaurantes requintados e galerias de arte. Por conta disso, a Oscar Freire já foi eleita a oitava rua mais elegante do mundo. Inclusive, quando uma loja resolve abrir ou montar uma filial aqui, a preocupação em trazer conceitos inovadores é muito grande, seja na fachada, decoração, produtos, etc. Basta ver as filiais da Riachuelo, Havaianas e Chili Beans para notar isso.

Lojas e arte espalhadas pela badalada Rua Oscar Freire. 

Em 2011, este espaço estava preenchido por papeis "post-it" onde todo mundo podia escrever alguma coisa.


Além do mais, a rua é arborizada e extremamente agradável para uma caminhada. Há bancos espalhados pelas calçadas, ótimo para observar e ser observado! Fomos no domingo pela parte da manhã depois que saímos da Livraria Cultura.

Particularmente, eu adoro passear pela charmosa Oscar Freire. Não compro nada, é verdade, mas isso não importa!

Curiosidade: A região denominada Jardins não é exatamente um bairro de São Paulo. Na verdade, esta área surgiu por conta de quatro bairros nobres: Jardim América, Jardim Europa, Jardim Paulistano e Jardim Paulista. Os três primeiros foram projetados no início do século 20 sob influência de uma escola de urbanismo chamado de "Cidades Jardins". Por sua vez, o Jardim Paulista, apesar de pertencer à área dos Jardins, não foi projetado seguindo o mesmo conceito. Além disso, parte do bairro Cerqueira César também é considerada integrante da região dos Jardins.

1.7. Parque da Independência (Museu do Ipiranga)

O Parque da Independência fica situado no bairro Ipiranga e possui uma área de 161.300 m². Neste parque estão algumas atrações como o Monumento da Independência e o Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga.

O parque é um marco histórico nacional. Na Colina do Ipiranga, junto ao Riacho do Ipiranga, D. Pedro I declarou o país independente de Portugal em 1822. Não crie grandes expectativas com relação à este riacho!

Sem dúvida, a principal atração do parque é o Museu Paulista (ou Museu do Ipiranga), que possui um grande acervo de objetos, mobiliário e obras de arte com relevância histórica. Uma das obras mais conhecidas de seu acervo é o quadro de 1888 do artista Pedro Américo, "Independência ou Morte".

Contudo, desde agosto de 2013 o museu está fechado ao público para obras, restauros e reparos, com previsão de reabertura somente em 2022, ano do Bicentenário da Independência.

A fachada do museu é belíssima e os jardins em sua frente tem estilo francês. Pena que com a economia de água, as fontes estavam todas secas e desligadas.

Visitamos o parque no domingo à tarde e, como o dia estava lindo, muita gente estava aproveitando para se divertir e curtir o fim do dia. O local é extremamente agradável. Adorei ter conhecido!

Museu do Ipiranga no Parque da Independência.


2. Gastronomia

Eu adoro fazer turismo gastronômico, e você?

Tudo bem que sou chata para experimentar comidas diferentes... O meu negócio é experimentar o tipo de comida que curto em um bom restaurante!

Para selecionar os restaurantes que queria conhecer nesta viagem, peguei as dicas da Claudia Liechavicius no seu blog Viajar pelo Mundo!, combinado com o TripAdvisor.

2.1. Italy

Olhando o ranking de restaurantes de São Paulo no TripAdvisor, acabei me interessando pelo Italy, restaurante italiano (obviamente) situado na badalada Rua Oscar Freire. Achei o cardápio variado e com preços abaixo do que considero exorbitante!

Fachada do restaurante Italy, na Rua Oscar Freire.


Como não fizemos reserva, achamos melhor chegar cedo, por volta das 20h, afinal era uma sexta-feira à noite. Chegando lá, o restaurante ainda estava com poucas pessoas e foi fácil conseguir uma mesa para duas pessoas.

O ambiente é agradável e extremamente aconselhável para um jantar a dois! A iluminação cria todo um clima romântico!

Área interna do restaurante Italy.


De prato principal, pedi um "Soffiotti recheado com ementhal, presunto e manjericão gratinado com parmesão" e o marido pediu um "Escalopinho de mignon grelhado com risoto de rúcula e tomate seco". Para acompanhar, pedimos uma garrafa pequena de vinho. De sobremesa, dividimos um "Mil folhas de banana caramelada e baunilha".

Só posso dizer que a experiência gastronômica foi ótima! O atendimento também foi bastante cordial. Recomendo!

Ótima experiência gastronômica no restaurante Italy.


2.2. La Pasta e Il Gelato (Eataly)

Eataly, o qual falei no item 1.3 acima, possui diversos restaurantes temáticos. Depois de analisar os respectivos cardápios, escolhemos jantar no La Pasta. Nada mais tradicional do que comer uma autêntica massa italiana!

Chegando na recepção do restaurante, a fila de espera por uma mesa estava grande, afinal era um sábado à noite. Deixei o número do meu celular e depois de uns 20 minutos, no máximo, recebi um SMS informando para comparecer ao restaurante pois minha vez havia chegado.

De entrada, pedimos o couvert (cobrado por pessoa), que é apenas fatias de pão italiano e azeite. Achei o pão frio... não me agradou muito.

De prato principal, pedi um "Gnocchi al Pesto" (gnocchi de batatas ao pesto com abobrinhas) e o marido pediu um "Rigatoni con Polpettine" (rigatoni com tomate fresco e polpettine de carne). Para acompanhar, pedimos uma garrafa pequena de vinho.

A comida estava saborosa, porém, devo dizer que o meu gnocchi estava um pouco salgado...

Depois do jantar, passamos na gelateria Il Gelato para um sorvetinho de sobremesa. Escolhi os sabores flocos e doce de leite. Uma delícia!

Experiência gastronômica no complexo Eataly.


Enfim, apesar de não ter sido a melhor experiência gastronômica nesta minha estadia em São Paulo, com certeza valeu super à pena conhecer o complexo. Em uma próxima oportunidade, pretendo voltar e experimentar outros pratos e outros restaurantes.

2.3. A Figueira Rubaiyat

A Figueira Rubaiyat é uma casa especializada em carnes situada à Rua Haddock Lobo, nos Jardins. O restaurante, que possui uma ótima avaliação no TripAdvisor, faz parte da rede Rubaiyat, que abriu seu primeiro restaurante em São Paulo há 57 anos. Desde então a rede se tornou bastante premiada e com novas unidades em São Paulo e pelo mundo (Argentina, Chile, México e Espanha).

Por conta de tantas recomendações, resolvemos experimentar, já sabendo de antemão que é um restaurante caro para o nosso padrão! Reservamos uma mesa para o almoço de domingo por meio do próprio site do Ruabiyat, que depois redireciona para o site de reservas The Fork.

Nossa reserva estava marcada para 12:30. Chegamos com uns 10 minutos de antecedência e o restaurante estava praticamente vazio. É impossível não se impressionar, e se encantar, com a enorme e centenária figueira que mantiveram no local e que deu o nome ao restaurante. As mesas ficam sob seus enormes e compridos galhos, fazendo com que o ambiente se torne extremamente agradável.

Figueira centenária em meio ao restaurante A Figueira Rubaiyat.

As mesas ficam sob os enormes e compridos galhos da figueira.


O cardápio é bastante variado. Pedimos o couvert, que é opcional e cobrado por pessoa, composto por uma seleção de entradas variadas e pães caseiros. Aqui está a única coisa que me desagradou durante o atendimento... a moça responsável em oferecer os diversos pães só apareceu na nossa mesa minutos antes do prato principal chegar.

De prato principal, dividimos um bife de chorizo (de aproximadamente 280 gramas) acompanhado de batatas soufflées. Para complementar, resolvemos pedir também uma porção de farofa de ovos. Também pedimos uma garrafa pequena de vinho.

A carne estava macia, suculenta e extremamente saborosa. Para os amantes de carne, como eu, recomendo muito este restaurante!

De sobremesa, por sugestão de nosso atendente, resolvemos dividir uma panqueca recheada com doce de leite argentino, acompanhada de bola de sorvete. O bacana é que a preparação já veio dividida para duas pessoas, ou seja, cada prato com sua própria panqueca, em tamanho menor claro, e com sua bolinha de sorvete. Achei muito atencioso! E vou falar que a escolha não poderia ter sido mais acertada. A sobremesa estava divina!

Experiência gastronômica no restaurante A Figueira Rubaiyat.


Apesar do alto valor da conta (nunca paguei tão caro em um restaurante), essa experiência gastronômica foi única e valeu muito à pena! Porém, acho que não repetiria por considerar muito caro!

2.4. Sal Gastronomia

Este foi outro restaurante que estava bastante ansiosa para conhecer. O Sal Gastronomia, inaugurado em 2005, pertence ao premiado Chef Henrique Fogaça, que, inclusive, é um dos jurados do programa MasterChef Brasil. O restaurante também possui ótima avaliação no TripAdvisor.

Como o restaurante é pequeno, com poucas mesas, tratamos de fazer uma reserva assim que chegamos a São Paulo na sexta-feira, e só fomos conseguir vaga para o almoço da segunda-feira. Que sorte! A reserva pode ser iniciada no site do Sal Gastronomia, porém é redirecionada para o site Foodstar.

O restaurante está situado à Rua Minas Gerais, no bairro Higienópolis, pertinho da Avenida Paulista com Rua da Consolação.

Fachada do restaurante Sal Gastronomia, do Chef Henrique Fogaça.


O cardápio é compacto, porém tem todos os tipos de comida. Como adoro uma carne bovina, não resisti em pedir um medalhão de filé mignon com risoto de queijo brie, ervas e molho roti. O marido escolheu o mesmo prato. Como sempre, pedimos uma garrafa pequena de vinho para acompanhar.

A comida estava tão deliciosa que gera um prazer enorme de se comer! Para mim, foi a melhor comida que experimentei nesses dias.

De sobremesa (veja o cardápio), dividimos um mousse de chocolate belga, caramelo e sal negro. Perfeito!

Ótima experiência gastronômica no restaurante Sal Gastronomia.


Pela experiência gastronômica de alta qualidade que tivemos, achei o preço até que justo. Este, com certeza, seria um restaurante para repetir em uma próxima ida a São Paulo! Recomendo demais! Porém, lembre-se de reservar uma mesa com antecedência.

Ah, e antes que você me pergunte, o Chef Henrique Fogaça não estava por lá... Que pena!

2.5. Outras experiências gastronômicas

São Paulo é famosa também por suas diversas padarias. Como na maioria das vezes nos hospedamos pela Avenida Paulista, criamos o hábito de sempre ir na Bella Paulista, padaria 24 horas na Rua Haddock Lobo, que um colega paulistano me recomendou na minha primeira viagem a São Paulo em 2011. Adoro chegar lá, sentar ao balcão e pedir "uma média com um pão na chapa com queijo e ovo". Minha felicidade! Para quem não sabe (como eu não sabia), média é o café com leite.

Café da manhã na padaria Bella Paulista.


Outros lugares que gosto de visitar em São Paulo são algumas franquias internacionais famosas, como Outback, Starbucks, Havanna, etc. Não me julguem, por favor! Sei que São Paulo oferece experiências gastronômicas muito melhores! Porém, como na minha cidade ainda não há tais franquias, às vezes dá vontade de visitá-las quando estou em São Paulo.

3. Viagens anteriores a São Paulo

Aproveito o ensejo para listar outras atrações/restaurantes que conheci em viagens anteriores a São Paulo. Fiz avaliações de algumas delas no TripAdvisor.

3.1. Atrações

Sala São Paulo

A Sala São Paulo (casa de concertos) foi inaugurada em 1999 dentro da antiga Estação Júlio Prestes, construída entre  os anos 1926 e 1938. O projeto da Sala São Paulo e restauração da Estação Julio Prestes, atualmente Centro Cultural Júlio Prestes, tinha como um dos objetivos revitalizar o centro de São Paulo. Porém, não acho que esse objetivo tenha sido alcançado, basta dar uma volta pelos arredores do Centro Cultural para constatar isso.

Fachada da antiga Estação Júlio Prestes, onde atualmente está a Sala São Paulo.

Torre do relógio da antiga Estação Júlio Prestes.


A Sala São Paulo tem uma capacidade de 1.498 lugares, sendo sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Inclusive, em 2015, foi eleita como uma das dez melhores casas de concerto do mundo, devido à sua qualidade acústica. Interessante notar que a sala possui um teto móvel, permitindo que a acústica de cada concerto seja ajustada conforme a necessidade.

É possível agendar uma visita guiada gratuita à Sala São Paulo. Fizemos a visita em 2014 e recomendo muito! Veja minha avaliação no TripAdvisor.

Interior da Sala São Paulo. Magnífica!


Catedral Metropolitana (Catedral da Sé)

A Catedral Metropolitana, mais conhecida como Catedral da Sé, está localizada na Praça da Sé, no centro de São Paulo. Antes da construção atual, existiram duas igrejas. A primeira construída entre os anos de 1589 e 1616, sendo demolida para a construção de uma segunda igreja maior concluída em torno de 1764. Em 1911, a segunda igreja foi demolida para a construção da catedral atual, iniciada em 1913. Quatro décadas mais tarde, em 1954, a catedral foi inaugurada ainda sem as torres, que foram concluídas em 1967.

Em frente à Catedral da Sé, está um pequeno monumento de mármore em forma hexagonal, construído em 1934, representando o Marco Zero da cidade de São Paulo.

Fachada da Catedral Metropolitana de São Paulo (Catedral da Sé).


Mercado Municipal

O Mercado Municipal está localizado no Centro Histórico de São Paulo e foi inaugurado em 1933, substituindo o antigo Mercado Central, que funcionava a céu aberto na Rua 25 de Março. Com 12.600 metros quadrados, o mercado disponibiliza uma variedade de produtos enorme, incluindo o tradicional e famosíssimo sanduíche de mortadela, que está mais para mortadela com pão do que pão com mortadela!

Interior do Mercado Municipal de São Paulo.


Museu da Língua Portuguesa

O Museu da Língua Portuguesa, inaugurado em 2006, é um museu interativo sobre a língua portuguesa (obviamente) localizado em parte do edifício histórico da Estação da Luz, tendo sido restaurado para este propósito. Seu acervo é incrível e apresentado de forma interativa e com muitos recursos digitais.

Infelizmente, em dezembro de 2015, o edifício sofreu sérios danos por conta de um incêndio, e encontra-se fechado para restauração.

Fachada do Museu da Língua Portuguesa, que ocupa parte da Estação da Luz.


Estação da Luz

A Estação da Luz é uma importante estação ferroviária de São Paulo e foi inaugurada em 1867, sendo a sua primeira edificação constituída apenas por uma pequena plataforma. Em 1888, a estação passou pela sua primeira ampliação. A terceira ampliação foi concluída formalmente em 1901, porém as obras continuaram a ser realizadas durante a primeira década do século XX. Desde então, a estação passou por várias reformas e modificações.

A Estação da Luz, que é uma estação ferroviária, possui uma ligação subterrânea à estação de metrô Luz, por onde passam as linhas 1-Azul e 4-Amarela.

O incêndio que afetou o Museu da Língua Portuguesa também prejudicou a Estação da Luz, que ficou 10 dias fechada para reparos.

Parque Ibirapuera

O Parque Ibirapuera foi inaugurado em 1954 e possui diversas atrações em meio à sua grande área verde de 1,58 quilômetros quadrados. Dentre as suas atrações estão: museus (incluindo o Museu de Arte Moderna, Museu Afro Brasil e a Fundação Bienal), obras de arte espalhadas pelo parque, auditório, ciclovia, pista para caminhada, quadras poliesportivas, planetário, etc. Além disso, durante todo o ano ocorrem no local vários eventos culturais. Interessante conferir a programação de eventos do Parque Ibirapuera.

Parque Ibirapuera.

Obelisco em frente a uma das entradas do Parque Ibirapuera.

Auditório do Ibirapuera, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer.


Estádio Pacaembu

O Estádio Pacaembu (Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho), inaugurado em 1940, está localizado no bairro de Higienópolis, e até hoje é utilizado pelos principais clubes da capital paulista. O estádio atualmente tem capacidade para receber até 40 mil pessoas.

Dentro do Pacaembu está o Museu do Futebol, inaugurado em 2008. Para fazer a visitação, é necessário comprar ingresso. Fomos em 2011 (por sugestão do marido, é claro!) e gostamos muito.

Fachada do Estádio Pacaembu.


Museu de Arte de São Paulo (MASP)

O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) foi fundado em 1947 e desde 1968 encontra-se no atual edifício na Avenida Paulista. O MASP é considerado um importante museu de arte por possuir um acervo extremamente abrangente, com cerca de 8.000 peças, em sua grande maioria de arte ocidental.

Depois de visitar o MASP, recomendo atravessar a Avenida Paulista e visitar o Parque Trianon (oficialmente Parque Tenente Siqueira Ramos), que fica bem em frente. Pelo menos foi o que fizemos!

3.2. Gastronomia

Pizzaria Marguerita

Ótima pizzaria na Alameda Tietê nos Jardins, e com excelente avaliação no TripAdvisor. Comemos uma pizza deliciosa de filé mignon com gotas de gorgonzola.

Pizzaria Speranza (unidade Moema)

Apesar de bem conceituada, a pizza que comemos não me impressionou tanto assim... Veja minha avaliação no TripAdvisor.

Jardim di Napoli

Típica cantina italiana, datada de 1949, que ganhou fama de produzir o melhor polpettone de São Paulo. Uma amiga minha de São Paulos nos levou lá para experimentar o famoso prato e aprovamos! Veja minha avaliação no TripAdvisor.

Famiglia Mancini

A cantina Famiglia Mancini, primeiro restaurante da rede, foi inaugurada em 1980 na rua Avanhandava, que por sinal foi revitalizada pela família e onde estão outros restaurantes da rede. A rua em si é uma atração à parte de tão charmosa. Veja minha avaliação no TripAdvisor.


Então é isso! E que venham novos fins de semana gastronômicos e culturais em São Paulo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...