19 janeiro 2017

[Santiago 2016] 5º dia: Moneda e Plaza de Armas (Centro)

Quinto dia de viagem! Aproveitamos para assistir ao tradicional evento da troca de guarda no Palacio de la Moneda, no centro de Santiago. Em seguida, aproveitamos para visitar o Centro Cultural Palacio de la Moneda, que fica no subsolo do palácio, com exposições muito interessantes.

Ainda no centro, visitamos o pequeno e ótimo Museo Chileno de Arte Precolombino e a Plaza de Armas, berço da capital chilena, e onde se encontram importantes edifícios históricos, como a Catedral Metropolitana, o Correo Central e o Museo Histórico Nacional.

À noite, um delicioso jantar na badalada Pizzaria Tiramisu, na região de Las Condes. Recomendo!

A seguir, o relato detalhado deste dia, incluindo fotos, dicas e o mapa com os lugares visitados e o trajeto percorrido a pé. Ao final, a estimativa de gastos comparada com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Quarta-Feira – 26/10/2016):

Moneda
    Palacio de la Moneda / Plaza de la Constitución (troca de guarda)
    Centro Cultural Palacio de la Moneda
Museo Chileno de Arte Precolombino
Plaza de Armas
    Catedral Metropolitana
    Correo Central
    Museo Histórico Nacional

RELATO DO DIA:

Hoje conheceremos um pouco do centro histórico de Santiago, a começar pelo Palacio de la Moneda, onde, a cada dois dias, ocorre a tradicional troca de guarda dos denominados "Carabineros de Chile" (polícia militar), desde 1851. Durante a semana, a cerimônia tem início às 10:00, e nos fins de semana, às 11:00. Importante ressaltar que, como o evento ocorre a cada dois dias, há meses em que a cerimônia ocorrerá em dias pares e meses em que a cerimônia será em dias ímpares. Em outubro/2016, a troca de guarda estava ocorrendo em dias pares.

Dica: O ótimo blog Nós no Chile, da Rosi Guimarães, informa o calendário da cerimônia da troca de guarda a cada ano. Vale muito à pena consultar e se planejar.

Sendo assim, saímos do hotel às 9:30 e pegamos o metrô rumo à estação La Moneda. A cerimônia em si acontece na Plaza de la Constitución e tem duração de 40 minutos. É bom chegar com certa antecedência para garantir um bom lugar para assistir ao evento.

Fachada do Palacio de la Moneda em direção à Avenida Libertador Bernardo O'Higgins.

E lá vêm os Carabineros de Chile pela Rua Morandé rumo a Plaza de la Constitución.

Fachada do Palacio de la Moneda na Plaza de la Constitución, onde ocorre a troca de guarda.

Cerimônia da troca de guarda dos Carabineros de Chile.

Uniformes impecáveis e movimentos sincronizados.

Plaza de la Constitución após a cerimônia de troca de guarda.

Plaza de la Constitución neste belo dia de primavera em Santiago.


Após a troca de guarda, ficamos passeando pela Plaza de la Constitución e presenciamos algumas manifestações de servidores públicos, em greve (em espanhol, paro), para revindicar reajuste salarial e estabilidade no serviço. Mal sabíamos que esta greve iria prejudicar as nossas visitas a alguns museus públicos...

Servidores públicos em greve fazendo suas manifestações.


Às 11:15, seguimos para o Centro Cultural Palacio la Moneda, que fica no subsolo do Palacio de la Moneda, com acesso pela Rua Teatinos. O Centro Cultural estava com entrada gratuita de 9:00 às 12:00 e apresentava a exposição temporária, de 03/09/16 a 27/11/16, denominada "La Ciudad Prohibida, China Imperial" .

Dica: O Centro Cultural Palacio de la Moneda funciona todos os dias de 9:00 às 19:30. É preciso comprar ingresso para visitar as exposições especiais. Contudo, todos os dias de 9:00 às 12:00, a entrada é gratuita.

Interior do Centro Cultural Palacio de la Moneda.

Visitando a exposição temporária "La Ciudad Prohibida, China Imperial", no Centro Cultural Palacio de la Moneda.

Maquete da Cidade Proibida, na China.

Ótima exposição sobre a China, no Centro Cultural Palacio de la Moneda.


Deixamos o Centro Cultural por volta das 12:30 e daqui seguimos a pé rumo a Plaza de Armas, com o objetivo de visitar primeiramente o Museo Chileno de Arte Precolombino. Contudo, como a fome já estava apertando, paramos em uma Starbucks para fazer um lanche rápido a $2.180 pesos chilenos (2 pães de queijo a $1.090 cada).

A enorme "Bandera del Bicentenario". Ao fundo, a Torre Entel, que por muitos anos foi o edifício mais alto de Santiago.


Às 13:00, chegamos ao Museo Chileno de Arte Precolombino, que foi aberto ao público em 1981 e conta com um acervo incluindo obras de arte andinas, maias, astecas e de antigos povos do Amazonas e Caribe. O ingresso custou $4.500 pesos chilenos por pessoa (outubro/2016).

Mapa que demonstra as regiões expostas no Museo Chileno de Arte Precolombino.

Saguão de entrada do museu, com cafeteria e loja.

Esculturas do Museo Chileno de Arte Precolombino. 

Escultura do Museo Chileno de Arte Precolombino.

Escultura do Museo Chileno de Arte Precolombino.

Vista para a Plaza Montt-Varas, com o Palácio da Justiça à esquerda e o Congresso Nacional à direita.


O Museo Chileno de Arte Precolombino é pequeno, então conseguimos visitá-lo em uma hora. Daqui, seguimos até a Plaza de Armas, passando antes pela Plaza Montt-Varas, onde estão os edifícios do Palácio da Justiça e Congresso Nacional.

Palácio da Justiça, próximo ao Museo Chileno de Arte Precolombino.

Câmara dos Deputados, no complexo do Congresso Nacional.


A Plaza de Armas é o núcleo do centro histórico de Santiago, sendo rodeada por importantes edifícios históricos, como a Catedral Metropolitana, Correo Central, Museo Histórico Nacional e Municipalidad de Santiago (Prefeitura da Comuna de Santiago).

Primeiramente, visitamos a Catedral Metropolitana de Santiago. Sua construção original começou em 1748 e terminou em 1775, passando posteriormente por várias obras de alteração de fachada, ampliação e restaurações.

Fachada da Catedral Metropolitana na Plaza de Armas, no centro histórico de Santiago.

Interior da Catedral Metropolitana de Santiago.


Em seguida, tentamos visitar o Museo Histórico Nacional, porém o mesmo estava fechado por conta da greve dos servidores públicos.

O Museo Histórico Nacional foi fundado em 1911 para celebrar o centenário da independência do Chile, e hoje tem como objetivo difundir a história do país desde a época pré-hispânica até a década de 1970.

Edifícios do Correo Central e Museo Histórico Nacional.

Plaza de Armas, núcleo do centro histórico de Santiago.


Depois de uma visita bem rápida a Plaza de Armas, às 14:30 pegamos o metrô de volta ao hotel. Já em Providencia, resolvemos parar no restaurante Coppelia para almoçar. Optamos pelo menu completo, composto de prato principal, bebida, sobremesa e café (ou chá), ao preço de $6.990 pesos chilenos por pessoa. Com a gorjeta de 10% no valor de $1.400 pesos chilenos, nossa conta totalizou em $15.380.

Pedi um Fettuccine ao Molho Alfredo e mami pediu um filé de frango acompanhado de batatas. A minha massa estava horrível! Não consegui comer nem metade. Macarrão passado do ponto e molho engordurado. O que me salvou foram os pedaços de frango que mami me deu, que comi com o pãozinho de entrada. De sobremesa, pedimos sorvete sabor lúcuma, uma fruta típica da região. Pelo menos o sorvete estava gostoso! Finalizamos o nosso almoço com uma xícara de chá. Definitivamente, não foi uma boa escolha e não recomendo almoçar no Coppelia.

Em seguida, resolvemos passar no mercado Santa Isabel para comprar mais duas garrafas de água mineral ($629 x 2 = $1.258) e depois voltamos ao hotel para descansar um pouco e sair mais tarde para jantar. Como não foi possível experimentar a badalada Pizzaria Tiramisu no nosso segundo dia em Santiago, faremos uma nova tentativa hoje.

Às 18:15, seguimos para a estação Los Leones para pegar o metrô rumo a Las Condes/El Golf. Chegando à estação, vimos um turbilhão de pessoas e nos demos conta que era horário de pico! Primeiramente, tivemos que esperar em uma enorme fila para entrar na área de embarque (momento em que passamos as Tarjetas Bip para liberar o acesso). Depois, deixamos uns quatro trens passarem porque estava simplesmente impossível de embarcar, de tão lotados que estavam.

Descemos na estação El Golf e caminhamos até a pizzaria, chegando lá às 19:15. Constatamos que realmente a pizzaria é bastante badalada e logo ficou cheia. O ambiente é rústico e agradável. Pedimos apenas uma pizza sabor Putanesca. Além disso, aproveitei para saborear novamente um pisco sour, drink típico do Chile.

A pizza serve muito bem duas pessoas e estava deliciosa. Recomendo!

Abaixo, o detalhamento da nossa conta:

- Água sem gás: 2 x 2.000 = 4.000
- Pisco sour: 3.200
- Pizza Puttanesca: 6.900
SUBTOTAL: 14.100
- Gorjeta (10%): 1.400
TOTAL: 15.500 (algo em torno de R$80,00)

Nosso jantar na badalada Pizzaria Tiramisu, em Las Condes. Recomendo!


Depois da ótima pizza, deixamos o restaurante e resolvemos comprar um sorvete na pequena loja El Toldo Azul, na Rua Isidora Goyenechea, bem próximo da Pizzaria Tiramisu. Pedimos um sorvete de café a $2.000 pesos chilenos e estava uma delícia!

Por volta das 21:00, pegamos o metrô de volta ao hotel.

O belo anoitecer em Santiago. Em destaque, o edifício Gran Torre Santiago.


Abaixo o mapa com os lugares visitados e o trajeto percorrido a pé neste quinto dia em Santiago (cerca de 4km):




GASTOS DIÁRIOS (em pesos chilenos, para duas pessoas):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Museo Chileno de Arte Precolombino: 2x4.500=9.000 Museo Chileno de Arte Precolombino: 9.000 0
Alimentação: 40.000 Alimentação: 36.318 3.682
49.000 45.318 3.682
Saldo Anterior: 574.702 / Saldo Atual: 529.384 / Economia Geral: 13.384

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...