16 julho 2017

[Peru 2017] 3º dia: Cusco (City Tour)

Neste terceiro dia, passeamos a pé por Cusco e conhecemos atrações bem interessantes, como o Museo Histórico Regional e o Museo y Catacumbas del Convento de San Francisco. Tentamos visitar o Mercado Central de San Pedro, porém estava fechado em decorrência da greve geral que estava rolando na cidade.

A tarde ficou reservada para fazermos um passeio muito comum em Cusco, o denominado "City Tour", que inclui visita à Catedral e aos sítios arqueológicos de Qorikancha, Saqsayhuaman, Q'enqo, Puka Pukara e Tambomachay. Infelizmente, mais uma vez, a greve geral atrapalhou nossos planos e não conseguimos visitar a Catedral, que foi fechada por motivos de segurança, por conta das manifestações que estavam acontecendo na Plaza de Armas. Pelo menos a visita aos sítios arqueológicos não ficou prejudicada.

E depois deste dia intenso, mudando um pouco a programação, resolvemos jantar novamente no restaurante Morena Peruvian Kitchen. E mais uma vez, tivemos uma ótima experiência gastronômica!

A seguir, o relato detalhado deste dia, incluindo muitas fotos, informações e uma comparação entre os gastos estimados com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Terça-Feira 30/05/2017):

Museo Histórico Regional (ingresso incluído no boleto turístico)
Museo y Catacumbas de San Francisco
Mercado Central de San Pedro
Almoço: Museo del Café
City Tour (reservado para às 13:00 com a agência Fabulous Peru Tours)
    Catedral de Cusco
    Qorikancha
    Saqsayhuaman, Q'enqo, Puka Pukara e Tambomachay (ingressos incluídos no boleto turístico)
Jantar: Uchu Peruvian Steakhouse (reservado às 19:30)

RELATO DO DIA:

Mais uma noite mal dormida por conta do soroche... Tá difícil pro corpo se acostumar com a altitude de 3.400 metros de Cusco!

Por conta disso, mami e eu acabamos acordando bem cedo e logo às 08:15 já estávamos saindo do hotel para visitar a primeira atração do dia, o Museo Histórico Regional, que fica praticamente na mesma rua do nosso hotel, o Ramada Costa del Sol Cusco.

Pelo caminho, passamos pela pequena e charmosa Plaza Regocijo (regozijo em português, significa imensa alegria e satisfação). Ao redor desta praça estão o Museo Histórico Regional e o Museo de Arte Contemporáneo, ambos com ingresso incluído no Boleto Turístico. Por falta de tempo e de certa forma interesse (não me animo muito com arte moderna, não me julguem!), acabei não incluindo o Museo de Arte Contemporaneo no nosso roteiro.

A pequena e charmosa Plaza Regocijo.

Bela fachada do Museo de Arte Contemporáneo de Cusco, ao redor da Plaza Regocijo.


Às 08:30 iniciamos nossa visita ao Museo Histórico Regional (não é permitido tirar fotos dentro das salas de exposição), situado na casa do renomado escritor e historiador cusquenho Inca Garcilaso de la Vega Chimpu Ocllo (1539-1616), inclusive há vários textos do autor transcritos em murais espalhados pelo térreo do museu.

O museu conta com um acervo de objetos arqueológicos dos períodos pré-inca e inca, assim como pinturas de artistas cusquenhos da época colonial. Há também objetos dos períodos republicanos e contemporâneos.

Contudo, a exposição que mais me impressionou foi a referente a Tupac Amaru II, importante líder indígena peruano que conduziu a grande rebelião anticolonial em 1780-1781. Rebelião esta que foi derrotada pelos colonizadores espanhóis, resultando na captura de Tupac Amaru II e sua condenação à morte, que foi bem violenta. Primeiro, o líder foi obrigado a presenciar a tortura e morte de sua mulher, filhos e amigos. Depois, teve a sua língua cortada e seus membros foram amarrados a quatro cavalos que seguiram em direções opostas, com o objetivo de esquartejá-lo vivo em plena Plaza de Armas de Cusco. Como Tupac demorou a morrer, o que o transformou numa figura quase mística, o carrasco ordenou que sua cabeça fosse cortada. Atualmente, Tupac Amaru II é considerado o líder que deu início ao processo de independência do Peru dos colonizadores espanhóis. Na exposição do museu, há várias pinturas retratando este trágico acontecimento.

Para conhecer um pouco mais sobre Tupac Amaru II e a grande rebelião, recomendo a leitura da ótima postagem do site Ensinar História.

Fachada do Museo Histórico Regional de Cusco.

Pátio central no interior do Museo Histórico Regional.


Como o museu é pequeno, levamos apenas uma hora para fazer a visitação. Saímos às 09:30 rumo a Plaza San Francisco, com o objetivo de visitar o Museo y Catacumbas del Convento de San Francisco de Asís.

O ingresso do museu custa $10,00 soles por pessoa e seu acervo inclui pinturas, esculturas e trabalhos em madeira datados da época colonial, sem falar nas catacumbas, que na verdade são três pequenas criptas abertas para visitação contendo ossadas humanas de fundadores religiosos e benfeitores.

Além do mais, aqui se encontra o maior quadro da América do Sul denominado de "Epílogo da Ordem Franciscana", uma pintura em óleo com 12 metros de altura por 9 metros de largura. Este quadro foi pintado em 1655 e apresenta personagens como santos, papas, cardeais, arcebispos, reis, rainhas, condes, duques, entre outros.

Fizemos a visitação sem guia, mas confesso que uma visitação guiada teria sido mais interessante.

Fachada da Igreja e Convento de São Francisco de Assis, em Cusco.

Pátio central e claustro do Convento de São Francisco de Assis.


Às 10:30 deixamos o museu e seguimos em direção ao Mercado Central de San Pedro. Mas antes de chegar ao mercado, passamos pelo Arco de Santa Clara, ao lado da Plaza San Francisco, datado de 1835, e pela Igreja de Santa Clara, datada de 1622, abrigando a Ordem das Clarissas, que constitui a ramificação feminina da Ordem dos Franciscanos.

Arco de Santa Clara, ao lado da Plaza San Francisco.

Igreja de Santa Clara, que abriga a Ordem das Clarissas, ramificação feminina da Ordem dos Franciscanos.


Quando enfim chegamos ao Mercado Central de San Pedro, o local estava fechado! Provavelmente por conta da greve geral que estava acontecendo em Cusco (mencionei a greve geral na postagem de 2º dia em Cusco).

Em frente ao mercado está a Igreja de San Pedro. Confesso que achei essa região (desde a Plaza San Francisco) um tanto descuidada e feia. Uma revitalização desta área cairia muito bem!

Mercado Central de San Pedro fechado!

Fachada da Igreja de San Pedro, em frente ao Mercado Central.


Enquanto seguíamos para a Plaza de Armas, por volta das 11:00, paramos para tomar um sorvetinho na HelArte - Helado Artesanal. Resolvi experimentar o sabor "arroz con leche", que parece o nosso arroz doce. Bem gostoso! Cada copinho saiu por $5,00 soles, totalizando em $10,00 soles para mim e minha mãe.

Como o dia estava lindo e ensolarado, não resisti em dar mais uma passadinha na Plaza de Armas! Foi quando avistei a loja da Inca Rail, empresa onde compramos os bilhetes de trem para dois percursos: Ollantaytambo - Aguas Calientes (povoado de Machu Picchu) e Aguas Calientes - Poroy (estação de trem mais próxima de Cusco). Na postagem de Planejamento Inicial conto todos os detalhes.

Ocorre que, no final de cada compra, recebi no meu e-mail os vouchers que, conforme instruções, deveriam trocados nas bilheterias das estações de trem. Mas resolvi passar na loja da Inca Rail para tentar fazer logo a troca e garantir assentos juntos para mim e minha mãe, uma vez que, durante a compra, não há opção para selecionar os assentos desejados.

Assim que entramos na loja, tivemos que pegar uma senha de atendimento, mas logo fomos chamadas. Apresentei os vouchers e o atendente emitiu os bilhetes de embarque, garantindo que os assentos eram lado a lado. Menos uma questão para resolver nos dias das viagens de trem!

Plaza de Armas, linda neste dia ensolarado!


Às 12:00 fomos almoçar no restaurante do Museo del Café, indicação de uma amiga. O ambiente é bem agradável e o atendimento foi até que rápido (lembrando que às 13:00 temos que estar no hotel para a saída do city tour que agendamos). O que mata é a escadaria que temos que subir para chegar no museu! O soroche deixa tudo mais difícil!

Resolvemos pedir dois pratos de nhoque e sucos para beber. O prato vem bem servido e a comida estava boa, contudo, estamos sentindo uma certa tendência de comida mais salgada aqui em Cusco, pelo menos, mais salgada do que estamos acostumadas.

Nosso almoço no restaurante do Museo del Café.


Abaixo o detalhamento da nossa conta:

- Suco de laranja: 10,00
- Limonada: 9,00
- Nhoque: 2 x 25,00 = 50,00
SUBTOTAL: 69,00
- Gorjeta (10%): 7,00
TOTAL: $76,00 soles


Às 12:40 deixamos o restaurante e voltamos ao hotel para esperar a agência Fabulous Peru Tours nos buscar para o city tour que contratamos. Na postagem de Planejamento do Roteiro, explico direitinho como fiz a contratação deste passeio.

O City Tour de Cusco inclui a visita das seguintes atrações:

- Catedral de Cusco (ingresso não incluído no pacote e nem no boleto turístico)
- Qorikancha (ingresso não incluído no pacote e nem no boleto turístico)
- Saqsayhuaman, Q'enqo, Puka Pukara e Tambomachay (ingressos incluídos no boleto turístico)

Percebemos pela manhã que o movimento grevista estava se intensificando e estávamos bem preocupadas se isso iria atrapalhar nosso passeio.

Às 13:10, um guia da agência apareceu no hotel e nos levou a pé até a Plaza de Armas, onde nos posicionamos em frente à Catedral de Cusco, que estava fechada por motivos de segurança devido ao movimento grevista. Ihhhhhhhh...

Mais quatro pessoas se juntaram a nós, trazidas por outro guia, e ficamos esperando pelo guia principal do passeio, que estava preso no trânsito por conta das manifestações. Por conta do atraso e da impossibilidade de se visitar a Catedral, às 14:00 o guia nos conduziu a pé até a entrada da Igreja de Santo Domingo, onde fica o acesso ao Sítio Arqueológico de Qorikancha. Chegando lá, fui logo comprar os nossos ingressos do sítio, custando $15,00 soles por pessoa.

Enfim o guia principal do passeio apareceu e, por volta das 14:30, conseguimos dar início à visitação a Qorikancha, que já estava lotado por sinal!

QORIKANCHA

Qorikancha, também conhecido como "Templo do Sol", era um local sagrado utilizado para rituais e oferendas ao deus Sol cultuado durante o Império Inca. Sua construção foi feita com pedras polidas encaixadas perfeitamente umas nas outras. Nesta época, não eram utilizados nenhum tipo de massa para grudar uma pedra à outra. Definitivamente, uma obra de engenharia que surpreende!

Infelizmente, Qorikancha foi destruído pelos conquistadores espanhóis, que utilizaram suas pedras para construir a Igreja e o Convento de Santo Domingo. Inclusive, muitas outras obras arquitetônicas do Império Inca foram arruinadas para que as pedras fossem utilizadas nas edificações coloniais.

Acontece que, longe de se ter a qualidade de construção do Império Inca, o complexo da Igreja e do Convento de Santo Domingo acabou sendo destruído pelo grande terremeto de 1950, fazendo com que as edificações remanescentes de Qorikancha fossem reveladas intactas. Essas ruínas constituem hoje o importante Sítio Arqueológico de Qorikancha.

Ficamos quase uma hora visitando o local e, às 15:30, seguimos para a van que nos esperava na Avenida El Sol para continuar com o restante do passeio.

À direita, a Igreja de Santo Domingo e, à esquerda, a entrada para o Sítio Arqueológico de Qorikancha.

Passeando por Qorikancha, situado no interior do complexo religioso de Santo Domingo.

Belo claustro do Convento de Santo Domingo, onde está Qorikancha. No alto, a torre da Igreja.

Exemplo de como as pedras eram talhadas para se encaixarem a outras pedras.

Vista do alto de Qorikancha para os seus jardins e a Avenida El Sol.

Vista para a área externa de Qorikancha.

No alto a Igreja e Convento de Santo Domingo, construídos sobre Qorikancha.


SAQSAYHUAMAN

O Sítio Arqueológico de Saqsayhuaman fica a uns 2km do centro de Cusco, então chegamos rapidamente. O ingresso está incluído no boleto turístico.

Saqsayhuaman fica um pouco mais elevado que Cusco, a 3.500 metros de altitude. No enorme complexo, que especulam ter sido originalmente construído para ser uma fortaleza inca, podemos observar muros em formato ziguezague edificados com enormes pedras (pesando toneladas) precisamente encaixadas, bases de torres, canais de água, túneis, templos cerimoniais, estruturas para rolar pedras, e um grande gramado central onde acontece anualmente (no solstício de inverno em 24 de junho) a festa do sol denominada "Inti Raymi".

Infelizmente, como aconteceu com várias construções do Império Inca, os colonizadores espanhóis trataram de arruinar o local retirando suas pedras para edificar casas e igrejas em Cusco. O que vemos hoje é apenas vinte porcento do que um dia foi Saqsayhuaman.

Finalizamos nossa visita ao local um pouco antes das 16:30 e seguimos de van para o próximo sítio arqueológico.

Chegando ao Sítio Arqueológico de Saqsayhuaman.

Senhora em trajas típicos e sua alpaca, em Saqsayhuaman.

Visão panorâmica do que restou dos grandes muros de Saqsayhuaman.

Saqsayhuaman é incrível!

Nosso guia dando uma aula de história sobre Saqsayhuaman.

Pedras enormes, pesando toneladas, precisamente encaixadas para formar grandes muros.

Depois de ser arruinada pelos colonizadores espanhóis, restam apenas 20% do que um dia foi Saqsayhuaman.

Nosso guia explicando sobre o perfeito encaixe das pedras. A inteligência inca impressiona!


Q'ENQO

O Sítio Arqueológico de Q'enqo, cuja entrada também está incluída no boleto turístico, é constituído de uma área aberta em formato de semicírculo com um grande conjunto de pedras em sua parte central. Em meio às pedras se destacam canais que dão a impressão de um labirinto (significado da palavra q'enqo).

Por sob as pedras, existem passagens subterrâneas que levam à uma câmara, onde foram esculpidos objetos que lembram mesas, camas, assentos... vai saber o que acontecia por aqui!

Como Q'enqo é pequeno, fizemos a visitação em apenas 15 minutos. Deixamos o local por volta das 16:45 e seguimos de van para o próximo sítio arqueológico.

Visitando o Sítio Arqueológico de Q'enqo.

Ampla vista dos grandes agrupamentos de pedras de Q'enqo.

Do alto de Q'enqo, tem-se uma bela vista de Cusco.


TAMBOMACHAY

Às 17:00 chegamos ao Sítio Arqueológico de Tambomachay, a 3.700 metros de altitude, estando, portanto, mais alto que Cusco. Aqui o soroche pegou bem mais pesado. Haja latinha de oxigênio para ajudar a respirar (falei um pouco da OxiShot na postagem de 2º dia em Cusco)!

O nome Tambomachay significa "lugar de descanso", e ficou conhecido como "banhos do inca", devido à existência de aquedutos no interior das rochas que conduzem águas cristalinas desde o topo até a base da construção formando pequenas cascatas. O mais interessante é que a água corre durante todo o ano, não importa se é período de seca ou não. E como os aquedutos estão protegidos por dentro da construção em pedras, fica o mistério sobre de onde vem toda essa água.

Ficamos uns 20 minutos em Tambomachay e daqui seguimos para o último sítio arqueológico.

Chegando ao Sítio Arqueológico de Tambomachay.

Ruínas existentes em Tambomachay.

As ruínas dos "banhos inca", onde a água brota ininterruptamente por todo o ano.


PUKA PUKARA

O Sítio Arqueológico de Puka Pukara fica ao lado de Tambomachay, e, apesar de o ingresso também estar incluído no boleto turístico de Cusco, não precisamos apresentar pois já não havia ninguém controlando a entrada. Acho que por conta do horário (17:30).

O nome Puka Pukara significa "fortaleza vermelha" (acredita-se que originalmente as pedras da construção eram avermelhadas) e tudo indica que o local servia para controle militar e administrativo do Império Inca, devido à sua altitude e ampla visão para o vale de Cusco.

Fizemos uma visita super rápida, acho que de 10 minutos, pois o sol já estava se pondo e o frio aumentando consideravelmente!

Chegando ao Sítio Arqueológico de Puka Pukara.

Bela e ampla visão do vale de Cusco a partir de Puka Pukara.

Mais ruínas do Sítio Arqueológico de Puka Pukara.


Deixamos Puka Pukara por volta das 17:45 e, antes de seguirmos a Cusco, o guia nos levou à uma loja de produtos artesanais, sendo a maioria feitos com pelo de alpaca (animal que parece com a llama). Minha mãe e eu não compramos nada pois achamos tudo bem caro, mas a parada nos serviu para experimentar (de graça!) o chá de muña, que dizem ser muito bom para amenizar os efeitos do soroche, melhor que o chá de coca. Pelo menos em relação ao sabor, devo dizer que é bem melhor!

Às 18:00 já estávamos na van para retornar a Cusco.

Por conta dos ótimos serviços prestados pelo nosso guia (uma pena que não anotei o nome dele), não hesitei em dar-lhe uma gorjeta de $20,00 soles.

Eu havia feito reserva para o jantar às 19:30 no restaurante Uchu Peruvian Steakhouse, mas acabamos desistindo. O cansaço era tanto que não queríamos esperar até 19:30 para jantar e muito menos queríamos enfrentar as ladeiras para chegar até o restaurante, que fica no caminho para o bairro de San Blas.

Resolvemos, então, jantar novamente no maravilhoso Morena Peruvian Kitchen, que fica bem pertinho do nosso hotel!

Hoje escolhemos "Tallarín Saltado de Pollo", que é um espaguete acompanhado de pedaços de filé de frango salteado com pimenta, cebola e tomates, em um creme de ají amarillo (amando essa pimenta!) e ervas frescas. Delicioso, como sempre!

E desta vez não resisti em pedir uma sobremesa! Escolhi para dividir com mamis uma porção de churros, que vêm acompanhados de sorvete de baunilha batido e doce de leite, e uma porção de creme de chocolate para arrematar! Operação "sair de Cusco rolando" em plena atividade!

Nosso ótimo jantar no Morena Peruvian Kitchen. Esse restaurante é bom demais!


Abaixo, a descrição detalhada da nossa conta no Morena Peruvian Kitchen:

- Limonada com hierba luisa: 13,00
- Tallarín Saltado de Pollo: 2 x 40,00 = 80,00
- Churros: 22,00
SUBTOTAL: 115,00
- Gorjeta (13%): 15,00
TOTAL: $130,00 soles


Depois de mais um ótimo jantar, voltamos a pé para o hotel.

E assim termina mais um dia em Cusco. Uma pena que a greve geral impediu nossa visita à Catedral, pois estava fechada por questões de segurança. Mas pelo menos não atrapalhou a visita dos sítios arqueológicos.

Abaixo o mapa com as atrações visitadas, tanto a pé (cerca de 3km) quanto de van no city tour:




GASTOS DIÁRIOS (em soles peruanos, para duas pessoas):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Museo y Catacumbas de San Francisco: 2x10,00=20,00 Museo y Catacumbas de San Francisco: 20,00 0,00
Almoço e lanches: 100,00 Almoço e lanches: 88,00 12,00
Qorikancha: 2x6,00=12,00 Qorikancha: 30,00 -18,00
Jantar (Uchu): 200,00 Jantar (Morena): 130,00 70,00
Gorjeta para foto: 1,00 -1,00
Gorjeta guia city tour: 20,00 -20,00
332,00 289,00 43,00
Saldo Anterior: 996,85 / Saldo Atual: 707,85 / Economia Geral: 261,70

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...