08 outubro 2017

[Peru 2017] Considerações Finais

Antes de tecer as considerações finais sobre a nossa viagem de aproximadamente 10 dias pelo Peru (período de 27/05/2017 a 08/06/2017), vou relatar rapidamente o dia da viagem de volta ao Brasil.

RELATO DO DIA (Quinta-Feira 08/06/2017)

Nosso voo sai de Lima às 09:05. No dia anterior, contratamos o traslado até o aeroporto na recepção do hotel, que ficou agendado para às 05:45 (o aeroporto fica um pouco longe da área central de Lima), a um preço de $60,00 soles.

Por conta do horário, infelizmente o café da manhã ainda não estava liberado aos hóspedes, então tivemos que ir para o aeroporto sem tomar café.

Chegando ao aeroporto, demos uma gorjeta de $10,00 soles ao motorista, e fomos fazer o check-in em um terminal eletrônico. Como não tínhamos mala para despachar, foi tudo bem rápido.

Entramos na área de embarque e ficamos esperando pacientemente pelo nosso voo. Aproveitamos para fazer um pequeno lanche a $20,00 soles.

A seguir, a tabela com os gastos de hoje.

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Traslado hotel-aeroporto: 70,00 Traslado hotel-aeroporto: 60,00 10,00
Alimentação: 50,00 Alimentação: 20,00 30,00
Gorjeta motorista: 10,00 -10,00
120,00 90,00 30,00
SALDO PARA SUPRIMENTOS/FARMÁCIA GASTOS EFETIVOS SALDO
0,82 29,50 -28,68
0,82 29,50 -28,68
SALDO PARA GASTOS IMPREVISTOS* GASTOS EFETIVOS SALDO
174,15 0,00 174,15
174,15 0,00 174,15
Saldo Anterior: 234,45/ Saldo Atual: 114,95 / Economia Geral: 884,80


Observação(*): Para entender o valor de gastos imprevistos, vide a postagem de Planejamento Financeiro.


Agora vamos, finalmente, às considerações finais!

1. Cidades Visitadas

Foram algumas as cidades e povoados visitados durante nossa viagem. Passamos por Cusco, Pisac, Chinchero, Maras, Ollantaytambo, Aguas Calientes e Lima. Obviamente, consigo falar melhor das cidades onde ficamos hospedadas. Então, abaixo, um pouquinho da minha impressão sobre cada uma dessas cidades.

- Cusco

Cusco está situada a 3.400 metros acima do nível do mar. Tamanha altitude costuma gerar mal estar em pessoas que não estão acostumadas. Esse mal da altitude, também conhecido como soroche, pode ocasionar falta de ar, tontura, enjoo e dor de cabeça.

Infelizmente, o soroche me pegou de jeito! No início, era uma dificuldade de respirar, fazendo com que qualquer caminhada, a mais lenta que fosse, já desse uma sensação de cansaço. Minha mãe também sentiu esses mesmos sintomas. Contudo, no quarto (e último) dia em Cusco, passei a sentir fortes pontadas na cabeça... foi sinistro! Não teve chá de coca, chá de muña, latinha de oxigênio, remédios, que fizessem me sentir melhor. Por conta do mal estar, não aguentaria nem mais um dia em Cusco!

Ao todo, foram três dias inteiros em Cusco, o suficiente para conhecer suas principais atrações e arredores. A cidade em si é uma graça, principalmente ao redor da Plaza de Armas. A arquitetura colonial espanhola predomina na região, onde podemos encontrar vários casarões antigos com muitos arcos e sacadas charmosas. Como ficamos hospedadas nessa região, conseguíamos visitar muitas atrações da cidade a pé.

Na época que viajamos, inverno, a temperatura em Cusco estava variando de 6° a 21°C. Os dias costumavam ser agradáveis, mas à noite ficava bem frio. Durante nossa estadia, houve um dia bastante nublado com pancadas de chuvas que atrapalharam um pouco nosso passeio a pé pela cidade.

Outro ponto a ser destacado em Cusco é sua ótima gastronomia. A cidade possui restaurantes renomados, então não deixe de experimentar algum.

- Ollantaytambo

Depois de visitar alguns povoados do Vale Sagrado dos Incas partindo de Cusco, fizemos uma parada em Ollantaytambo para curtir uma estadia de dois dias.

Ollantaytambo fica a 2.750 metros de altitude, o que já me proporcionou uma melhoria imensa nos efeitos do soroche! A cidade é uma gracinha, além de possuir um sítio arqueológico incrível. Os dois dias que passamos em Ollantaytambo foram lindos, de céu azul e calor, com temperatura em torno de 20ºC.

- Aguas Calientes

Aguas Calientes está a 2.000 metros de altitude e também é conhecida como "Machupicchu Pueblo" (povoado de Machu Picchu), justamente por ser o ponto de acesso mais próximo às ruínas da cidade inca de Machu Picchu, que está a 6km de Aguas Calientes. Por esse motivo, Aguas Calientes é, claramente, uma cidade super voltada para o turismo, com muitas opções de hospedagem e restaurantes.

Apesar de termos apenas pernoitado em Aguas Calientes, tivemos tempo de passear pela cidade, que é uma gracinha! O Rio Urubamba, que corta a região, é uma atração à parte.

Aqui também pegamos temperaturas mais agradáveis, além de uma maior umidade também.

- Lima

Nosso último destino foi Lima, capital do Peru, onde ficamos hospedadas por três dias. Escolhemos um hotel no distrito de Miraflores e gostei bastante da localização, com várias opções de restaurantes e entretenimento, além de estar perto de uma estação do Metropolitano, sistema de transporte público de Lima, com ônibus em uma linha expressa.

Durante nossa estadia, conseguimos visitar as principais atrações da cidade, seja a pé, de ônibus, ou táxi. Confesso que me surpreendi positivamente com Lima, pelo menos por onde passamos. Nos deparamos com uma cidade limpa, segura e com um povo bem educado e solícito.

Os dois primeiros dias foram cinzentos, o que descobri ser algo bem típico, uma vez que a capital do Peru é carinhosamente conhecida como Lima "La Gris", ou seja, Lima "A Cinzenta"! Contudo, no último dia, fomos agraciadas com um céu limpo, azul e ensolarado, com temperatura variando de 18º a 23ºC.

2. Hotéis

Ao longo da viagem, ficamos hospedadas em seis hotéis diferentes! Abaixo, minha opinião sobre cada um. Lembrando que todas as reservas (quarto duplo) foram efetuadas pelo Hoteis.com (mais detalhes na postagem de Planejamento Inicial).

- 27/05/2017 a 28/05/2017 (Aeroporto de Guarulhos): TRYP by Wyndham São Paulo Guarulhos Airport

Antes de chegar a Lima, capital do Peru, fizemos uma conexão no Aeroporto de Guarulhos (saímos de Manaus). Por ser uma conexão de 15 horas, resolvi reservar um pernoite neste hotel, que fica dentro da área reservada para embarques internacionais, partindo dos terminais 2 e 3 de Guarulhos, bem próximo dos portões de embarque, o que é muito útil.

Observação Importante: O hotel é acessível apenas por passageiros de voos internacionais futuros, sendo necessário passar pela área de embarque internacional, apresentando bilhete válido e, consequentemente, passagem pela Polícia Federal para a imigração.

O hotel é confortável e bem funcional, com café da manhã incluído na diária. Tivemos uma estadia tranquila, onde pudemos descansar antes de encarar a nova etapa de voos até chegar a Cusco (via Lima).

- 28/05/2017 a 01/06/2017 (Cusco): Ramada Costa del Sol Cusco

O hotel fica bem localizado, próximo a Plaza de Armas de Cusco, e está situado em um antigo casarão da época colonial datado do século XVII. Sua arquitetura combina os estilos colonial e contemporâneo, deixando os ambientes agradáveis e charmosos. Definitivamente, o hotel é bem bonito.

Pátio central do hotel Ramada Costa del Sol Cusco.


Assim que chegamos, um funcionário nos conduziu até a recepção, onde ficamos sentadas durante todo o procedimento de check-in, e logo nos serviram chá de coca para amenizar os efeitos do soroche. Fiquei impressionada com tamanha atenção e cuidados.

Ficamos hospedadas no quarto de número 316, que era amplo e agradável. De cortesia, o hotel disponibiliza duas garrafas de água no quarto, além de um drink de boas vindas a ser retirado no bar do hotel.

Nosso quarto no hotel Ramada Costa del Sol Cusco.


O café da manhã está incluído na diária e possui boa variedade, com pães, ovo, frios, doces, frutas e sucos, além da opção de alguns pratos quentes preparados na hora, a pedido do hóspede, como omeletes e waffles. Mas confesso que, no terceiro dia, já estava enjoada da comida!

Café da manhã do hotel Ramada Costa del Sol Cusco.


Nossa hospedagem foi ótima e fomos muito bem tratadas por todos os funcionários do hotel. Recomendo!

Um pouco das áreas comuns do hotel Ramada Costa del Sol Cusco.


- 01/06/2017 a 03/06/2017 (Ollantaytambo): El Albergue Ollantaytambo

O hotel fica localizado estrategicamente dentro da estação de Ollantaytambo de onde partem os trens para Aguas Calientes.

O hotel possui dois pavimentos e não há elevador. Os ambientes são simples e rústicos, o que dá um charme especial ao local. Ficamos hospedas no quarto 3 e uma funcionária nos ajudou a subir com as malas. Assim como todo o hotel, o quarto é simples e rústico, com uma pequena varanda voltada para a estação, mais especificamente, para a plataforma onde passam os trens e acontecem os embarques e desembarques. O barulho proveniente dos trens era intenso, mas não chegou a atrapalhar nosso sono, talvez porque não haja trânsito de madrugada.

Hotel El Albergue Ollantaytambo.


No quarto havia de cortesia uma garrafa de água e três maçãs. Não há condicionador de ar no quarto, porém há um aquecedor portátil. Contudo, achamos que o pequeno aquecedor não dava conta de aquecer bem o quarto, e as noites foram frias.

Nosso quarto no hotel El Albergue Ollantaytambo.


O café da manhã estava incluído na diária. Há um buffet com pães, frutas, iogurtes e bebidas para se servir à vontade, e um cardápio para pedir os pratos quentes, como ovos fritos/mexidos, omeletes, torradas, etc. Tudo bem saboroso e fresquinho. Adorei!

Nosso café da manhã no hotel El Albergue Ollantaytambo. Delícia!


No mesmo local onde é servido o café da manhã, funciona o restaurante para almoço e jantar. Por ser bem conceituado e com alta demanda, fizemos reserva para o jantar nas duas noites que passamos no hotel. Só posso dizer que adorei todas as experiências gastronômicas que tivemos aqui!

O hotel possui belos jardins, repletos de flores coloridas, e um redário muito agradável. Além disso, há uma horta aberta para visitação dos hóspedes. A simpática e atenciosa funcionária Josefina nos convidou para conhecer a horta, onde são cultivados a maioria dos vegetais utilizados na cozinha do hotel, incluindo diferentes tipos de milhos, quinoa, batatas, e muitos outros. Josefina nos proporcionou uma verdadeira visita guiada ao local, nos mostrando cada plantação e nos dando várias informações. Foi ótimo!

Simplesmente adorei nossa estadia no hotel El Albergue Ollantaytambo!

- 03/06/2017 a 04/06/2017 (Aguas Calientes): Tierra Viva Machu Picchu

Fizemos um pernoite estratégico neste hotel em Aguas Calientes para poder visitar o Parque Arqueológico de Machu Picchu com calma.

O hotel é bonito, às margens do Rio Urubamba, e nosso quarto era amplo e bastante confortável. Havia duas garrafas de água como cortesia, o que parece ser costume nos hotéis pelo Peru. Aprovadíssimo!

Hotel Tierra Viva Machu Picchu (Aguas Calientes).

Nosso confortável quarto no hotel Tierra Viva Machu Picchu, com vista para o Rio Urubamba.


Como saímos às 05:00 para visitar Machu Picchu, fizemos o check-out neste horário e o hotel nos deu a possibilidade de deixar as malas na recepção e as mesmas foram levadas para a estação de trem antes do nosso embarque rumo a Poroy (estação mais próxima de Cusco). Achei esse serviço super útil! Além do mais, os atendentes do hotel sempre foram muito atenciosos e solícitos.

O café da manhã está incluído na diária e é bem variado, mas não pudemos aproveitar muito porque é difícil sentir fome às 04:30 da manhã!

Café da manhã do hotel Tierra Viva Machu Picchu, em Aguas Calientes.


- 04/06/2017 a 05/06/2017 (Cusco): LP Los Portales Cusco

Reservei este hotel apenas para o pernoite em Cusco antes de pegar nosso voo para Lima, que seria no dia seguinte bem cedo. O hotel é simples, porém arrumado, e o quarto pequeno, mas confortável. Contudo, não há elevador. Como ficamos em um quarto no segundo piso, um funcionário nos ajudou a subir com as malas.

Nosso quarto no hotel LP Los Portales Cusco.


Como foi um hotel apenas para dormir, não me preocupei tanto com a localização. Apesar de estar situado na Avenida El Sol, uma das principais ruas de Cusco, o hotel fica um pouco distante da Plaza de Armas.

O café da manhã está incluído na diária. Não há tanta variedade, mas atendeu bem às nossas necessidades.

- 05/06/2017 a 08/06/2017 (Lima): Tierra Viva Miraflores Larco

Este hotel possui uma ótima localização em Lima, no distrito de Miraflores, perto de restaurantes, supermercados, atrações e de uma estação do Metropolitano, sistema de transporte pública de Lima, com ônibus em via expressa.

Nosso quarto era bem confortável e, como é costume dos hotéis por onde passamos pelo Peru, havia duas garrafas de água como cortesia.

Nosso quarto no hotel Tierra Viva Miraflores Larco, em Lima.


O café da manhã está incluído na diária e é servido no terraço do hotel. A variedade é boa e a comida saborosa.

Café da manhã do hotel Tierra Viva Miraflores Larco, em Lima.


Tivemos uma hospedagem tranquila e confortável. Além do mais, os atendentes da recepção sempre foram muito simpáticos e solícitos conosco. Gostei muito!

3. Passeio e Guia Contratados

- City Tour Cusco

Um passeio muito comum oferecido em Cusco é o denominado "City Tour", que inclui visita à Catedral de Cusco e aos sítios arqueológicos de Qorikancha, Saqsayhuaman, Q'enqo, Puka Pukara e Tambomachay (os ingressos das atrações não estão incluídos no pacote).

Agendei o city tour com a agência Fabulous Peru Tour, por conta de ótimas recomendações no blog Sundaycooks. Para a reserva, paguei um valor prévio mediante PayPal e, no dia anterior ao passeio, fomos na agência pagar o valor restante.

No dia do passeio, um guia foi nos buscar no hotel e fomos caminhando até a Catedral de Cusco, onde teria início o city tour. Contudo, por conta de manifestações grevistas, a catedral foi fechada por motivos de segurança. Logo, não foi possível visitá-la. Seguimos, então, para a Igreja de Santo Domingo, onde fica o acesso ao Sítio Arqueológico de Qorikancha. Aqui encontramos com outro guia e pudemos, finalmente, iniciar a visitação.

Os demais sítios arqueológicos ficam distantes do centro de Cusco, então visitamos cada um com a ajuda de uma van.

Nosso guia era incrível! Simplesmente dava uma aula de história sobre cada lugar visitado. Era fascinante! Gostei muito e recomendo!

- Guia em Machu Picchu

É extremamente recomendável contratar um guia para acompanhar sua visita a Machu Picchu, pelo menos em parte dela, para conhecer melhor a história do local. Depois de muito pesquisar, encontrei a indicação do guia Marco Escalante, da agência Ask Me Travel Organizer, no blog Sundaycooks. Entrei em contato pelo site da agência e agendei o guia, sem necessidade de pagamento prévio.

O guia nos encontrou no hotel em Aguas Calientes às 05:00 e fomos para a fila de embarque dos ônibus que levam até a entrada do Parque Arqueológico de Machu Picchu.

Chegando lá, nosso guia Marco Escalante foi nos conduzindo por todos os pontos de interesse sempre com muitas informações sobre o local. Inclusive, pudemos apreciar o sol surgindo por detrás das montanhas e iluminando todo o parque. Esse momento foi simplesmente mágico! Por isso, recomendo fortemente fazer a visitação bem cedo pela manhã.

Informação Importante: Ressalte-se que, desde 01/07/2017, a sistemática para a visitação do Parque Arqueológico de Machu Picchu mudou. Uma das principais mudanças é que o ingresso ao parque será separada em dois turnos: das 6:00 às 12:00 e das 12:00 às 17:30. Sendo assim, o visitante, no momento da compra do ingresso, deverá escolher seu turno e, durante a visitação ao parque, o turno escolhido deverá ser respeitado. Como não fui afetada com esta mudança, prefiro não dar mais detalhes. Recomendo, então, a leitura da postagem do blog Viaje na Viagem que explica detalhadamente cada alteração.

Nosso guia Marco foi um querido, sempre atencioso, cuidadoso, paciente e cheio de informações interessantes que agregaram, e muito, na nossa visita à Machu Picchu. Sem falar nas ótimas fotos que ele tirou de nós duas. Recomendo demais!

4. Traslados Contratados

Todos os traslados privativos que precisei durante a viagem, agendei previamente no próprio site da empresa Taxi Datum. Tomei conhecimento da Taxi Datum em uma postagem sobre Cusco e Vale Sagrado do blog Viaje na Viagem e, durante minhas pesquisas, encontrei ótimas recomendações. Ressalte-se que os motoristas não atuam como guias. Para efetuar a reserva não há exigência de pagamento antecipado. O pagamento é feito diretamente ao motorista.

Não tenho qualquer reclamação da Taxi Datum. Todos os motoristas foram pontuais nos horários agendados e sempre muito simpáticos. Os carros utilizados por padrão eram do modelo Toyota Corolla, sempre limpos e bem conservados.

Abaixo, os traslados contratados:
  • Ruínas e mercado de Pisac;
  • Cusco-Ollantaytambo passando por Chinchero, Salineras de Maras e Moray;
  • Poroy-Cusco;
  • Hotel-Aeroporto em Cusco;
  • Aeroporto-Hotel em Lima.

Faço questão de ressaltar aqui o motorista Hermenegildo (ou apenas Herme, para ficar mais fácil!), que nos levou de Cusco a Ollantaytambo passando por Chinchero, Salineras de Maras e Moray. Herme atuou muito mais que um motorista, foi um verdadeiro guia, sempre dando várias explicações e informações sobre os lugares visitados, fazendo paradas não previstas no roteiro, muito paciente e solícito na hora das fotos. Fiz questão de dar uma boa gorjeta a ele!

5. Gastos Estimados X Gastos Efetivos

Após ler muitas dicas pela internet sobre qual moeda levar ao Peru, optei por levar o valor correspondente em dólares. Sobre o assunto, recomendo a leitura da postagem do Viaje na Viagem.

Conforme apresentei na postagem de Planejamento Financeiro, levamos $1.800,00 dólares, em espécie, equivalentes a $5.850,00 soles, sendo este o valor total estimadopara duas pessoas, no caso minha mãe e eu.

Somando-se os gastos efetivos diários, temos um total de $4.965,20 soles. Uma economia geral de $884,80 soles. Entretanto, como só trocamos $1.570,00 dólares durante a viagem, da economia geral, temos $230,00 dólares, que não foram trocados, e um saldo de $114,95 soles. Como não queríamos voltar com soles para o Brasil, fizemos algumas comprinhas pessoais para zerar este saldo.

Portanto, posso dizer que a minha estimativa de gastos diários para a viagem deu super certo! Voltamos com $230,00 dólares para casa!

6. Custo Total da Viagem

Por fim, resolvi montar a tabela abaixo discriminando todos os custos desta viagem, para duas pessoas, separados por categoria.

TIPO VALOR EM REAIS VALOR EM DÓLARES VALOR EM SOLES
Passagens Aéreas 3.315,40
Hospedagem 3.669,99
Seguro Viagem    331,16
Bilhetes de Trem 540,41*
Bilhetes de Ônibus  51,06*
Ingressos Machu Picchu      168,22*
Gastos Diários
4.965,20
    - Alimentação (2.343,50)
    - Hotel El Albergue    (721,00)
    - Transporte      (660,00)
    - Ingressos de Atrações      (559,00)
    - Passeios/Guias      (325,30)
    - Suprimentos/Farmácias      (178,68)
    - Gorjetas      (177,72)
TOTAL (DUAS PESSOAS) R$ 7.316,55 US$ 591,47 S/ 5.133,42


Observação(*): Como estas foram compras internacionais efetuadas com cartão de crédito, houve a cobrança de IOF na alíquota de 6,38%. Os valores da tabela já estão com o valor do IOF aplicado.

Transformando os gastos em soles (S/ 5.133,42) para dólares, utilizando a cotação de $3,24 soles por dólar (cotação durante a viagem - maio/2017), temos um gasto de $1.584,39 dólares, somando-se ao valor gasto em dólar antes da viagem (US$ 591,47), temos um gasto de $2.175,86 dólares.

Sendo assim, o custo total desta viagem, separada por reais e dólares, para duas pessoas, foi:
  • R$   7.316,55
  • US$ 2.175,86

Para se ter uma noção do custo total em reais, utilizando-se uma cotação de R$ 3,33 para o dólar turismo na data atual, temos um custo total de, aproximadamente, R$ 14.500,00, para duas pessoas, ou R$ 7.250,00 por pessoa. Definitivamente, não foi uma viagem barata...

Enfim, espero ter ajudado compartilhando todo o meu planejamento e relatos. Até a próxima viagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...