18 novembro 2017

[Fernando de Noronha 2017] 2º dia: Baía do Sancho e Vila dos Remédios

Hoje o passeio por Fernando de Noronha será por nossa conta. Obviamente, escolhi começar o dia visitando aquela que é considerada a praia mais bonita da ilha: a Baía do Sancho. O acesso é feito pelo PIC Golfinho-Sancho, onde obrigatoriamente os visitantes devem apresentar os ingressos do Parque Nacional Marinho. Aqui, há vários mirantes com vistas maravilhosas. Começamos pelo Mirante dos Golfinhos, depois passamos pelo Mirante da Baía do Sancho e, por fim, o Mirante do Morro Dois Irmãos e Baía dos Porcos, simplesmente o cartão postal de Noronha!

Depois de aproveitar bem nossa manhã pelo Sancho, fomos almoçar no restaurante Xica da Silva, onde comemos o prato chefe da casa: Peixe Mestiço. Divino! Recomendo demais!

À tarde, visitamos a Vila dos Remédios, principal bairro de Fernando de Noronha, concentrando uma grande variedade de restaurantes, pousadas, agências de turismo, lojas, etc. Para finalizar nosso passeio, visitamos rapidamente as praias públicas de Noronha: Praia do Cachorro, Praia do Meio e Praia da Conceição. Nesta última aportamos para assistir ao pôr do sol, mas as nuvens atrapalharam os nossos planos...

À noite, jantamos no Dolphin Hotel, local de nossa hospedagem, e comemos o seu famoso peixe na telha. Delicioso!

RELATO DO DIA (Domingo 22/10/2017):

Acordamos cedo, nos arrumamos e, por volta das 07:30, fomos tomar café da manhã, incluído na diária do Dolphin Hotel. Há um buffet com pães, bolos, frios, etc, e um cardápio para pedir pratos quentes, como ovos fritos/mexidos, omeletes e tapioca. Além do mais, a pedido do hóspede, eles preparam na hora um suco verde sensacional!

Como falei na postagem de Planejamento Geral (item 7), havia reservado para o dia de hoje o passeio de barco com a Trovão dos Mares. Contudo, por conta do "swell" (vide explicação deste fenômeno no item 1 da postagem de Planejamento Geral) que chegou à ilha junto conosco, achei melhor remarcar o passeio para o dia 25/10/17, tal como expliquei na postagem anterior sobre a nossa chegada a Fernando de Noronha. Sendo assim, o dia de hoje ficou totalmente livre para passearmos por conta própria.

E para começar bem nossa viagem, nada melhor do que visitar aquela que é considerada a praia mais bonita de Fernando de Noronha: a Baía do Sancho!

Pedimos da recepção do hotel para que nos chamasse um táxi e seguimos para o PIC Golfinho-Sancho (PIC = Posto de Informação e Controle). O táxi custou R$ 30,00 e chegamos ao PIC às 08:40.

Chegando ao PIC Golfinho-Sancho.


Primeiramente, passamos por uma lojinha onde apresentamos nossos ingressos do Parque Nacional Marinho (PARNAMAR). Aqui, há uma boa infraestrutura com banheiros e lanchonete, e é onde se iniciam as trilhas para os mirantes. O acesso está bem facilitado, inclusive para cadeirantes, com passarelas feitas com um material muito parecido com madeira, mas que na verdade são plásticos recicláveis.

Há duas possibilidades de caminho: Trilha Golfinho e Trilha Sancho. Iniciamos nosso passeio pela Trilha Golfinho, que fica à esquerda e que leva ao Mirante dos Golfinhos. Esta trilha possui um percurso de 942 metros.

Caminhamos tranquilamente, e como ainda estava cedo, havia pouquíssimas pessoas no local.

Dica: Use repelente e reaplique de tempos em tempos.

Ótima infraestrutura do PIC Golfinho-Sancho.

Iniciando o passeio pela Trilha Golfinho que leva ao Mirante dos Golfinhos.

As passarelas facilitam a mobilidade pelas trilhas.


Às 09:00 chegamos ao Mirante dos Golfinhos. Ficamos apreciando a vista e depois de uns 5 minutos uma profusão de golfinhos apareceu nadando rumo a baía. Conseguimos avistar, no mínimo, uns 20 golfinhos. Uma cena emocionante!

Chegando ao Mirante dos Golfinhos.

Visão panorâmica da Baía dos Golfinhos.

Vários golfinhos nadando rumo à baía. Lindos!


Por volta das 09:30, deixamos o Mirante dos Golfinhos e seguimos pela trilha que leva à Baía do Sancho, a 1.100 metros de distância. Desta vez, a trilha não conta com as passarelas em meio à vegetação, contudo não apresenta muita dificuldade e é bem sinalizada.

Pelo caminho, há uns três ou quatro mirantes, e foi em um deles que tivemos nossa primeira visão da Baía do Sancho, com o Morro Dois Irmãos ao fundo. Um visual de tirar o fôlego, mesmo com o céu nublado! Neste momento, entendemos porque a Baía do Sancho foi eleita, pela terceira vez, a praia mais bonita do mundo, pelo TripAdvisor.

Iniciando a trilha que leva à Baía do Sancho, desta vez sem ajuda de passarela.

Nossa primeira visão da Baía do Sancho com o Morro Dois Irmãos ao fundo. Uau!

Visão panorâmica da Baía do Sancho.


Enfim chegamos à escada de acesso à Praia do Sancho, por volta das 10:30. Mas não é qualquer escada não! Esta escada é feita de ferro, totalmente vertical e fincada em meio às pedras. O acesso é organizado e controlado por um funcionário do PARNAMAR. Afinal, ou um grupo desce, ou um grupo sobe.

Tivemos que esperar uns 20 minutos, enquanto um grupo subia, para finalmente começar nossa descida. Confesso que deu um friozinho na barriga e uma imensa preocupação com a minha mãe! Mas ela estava decidida a descer!

Como o espaço é bem estreito, algumas mochilas ou sacolas maiores devem ser transportadas utilizando uma corda existente especificamente para este uso. Como minha mochila é pequena, consegui descer com ela nas costas sem problema.

Na verdade, temos que enfrentar não uma, mas duas escadas verticais de ferro entre às pedras, e depois mais uma longa escadaria de pedra até chegar à praia. Sendo bem sincera, foi mais fácil do que eu imaginava. Até minha mãe tirou de letra! Cansativa mesmo é a escadaria de pedra... quero nem pensar na subida!

Escada em meio às pedras que dá acesso à Praia do Sancho. Bem estreito!

Mami encarando o desafio e tirou de letra!

Mais essa escadaria de pedra para chegar à Praia do Sancho.


Depois de enfrentar os obstáculos, enfim pisamos na praia às 11:00. Neste momento, as nuvens já estavam se dissipando e o céu azul aparecia, embelezando ainda mais a Baía do Sancho.

Escolhemos um local para sentar e aproveitamos para comer o lanchinho que preparamos durante o café da manhã no hotel. E não custa nada lembrar: Guarde o seu lixo para jogar em local apropriado. A natureza agradece!

Depois do lanchinho foi só curtição! Realmente o mar estava mais agitado, por conta do swell, mas no canto direito da praia, o mar estava mais calmo, ótimo para tomar um banho.

Aqui estreei a capa de mergulho para o meu celular... morrendo de medo se a vedação iria funcionar, mas tudo deu certo!

Belíssima Baía do Sancho! Visual de tirar o fôlego.

Mar um pouco agitado na Baía do Sancho por conta do swell.

Galera do passeio de barco aproveitando a Baía do Sancho.

E a cor dessa água?!


Um pouco antes das 13:00, resolvemos deixar a praia. Para isso, tivemos que enfrentar a escadaria de pedra (parte mais cansativa) e as duas escadas verticais em meio às pedras. Fomos devagarinho, cada pessoa deve respeitar seu tempo, e no final, só sucesso!

Daqui caminhamos para o último mirante, o do Morro Dois Irmãos e Baía dos Porcos. Um percurso de apenas 282 metros e com a ajuda de passarelas, aquelas feitas com madeira de mentira.

O mirante fica situado no local onde existia o Forte de São João Batista dos Dois Irmãos, construído pelos portugueses em 1737 para guardar as praias da Cacimba dos Padres (à direita do Morro Dois Irmãos) e do Sancho, que eram as últimas praias do Mar de Dentro onde o desembarque era possível. Parte das pedras de sua construção foi retirada para a composição de artigos utilizados na Segunda Guerra Mundial. Pelo visto, tudo que restou do forte atualmente foi um canhão.

Voltando ao mirante... daqui podemos ver toda a beleza do principal cartão postal de Fernando de Noronha: Baía dos Porcos e Morro Dois Irmãos. Por conta disso, o local é disputadíssimo pelos visitantes para fotos, então seja paciente, pois não dá para sair daqui sem a foto clássica!

Seguindo para o Mirante Dois Irmãos e Baía dos Porcos.

O que restou do Forte de São João Batista dos Dois Irmãos.

Cartão postal de Fernando de Noronha: Morro Dois Irmãos e Baía dos Porcos. Incrível!


Pegamos a trilha de volta ao PIC e, às 14:00, liguei para a NORTAX (Associação Noronhense de Taxistas) para chamar um táxi. Telefone: 81 3619-1314.

Observação: Em Fernando de Noronha, não se pega táxi que está passando livre na rua. Presenciei algumas pessoas tentando fazer isso e os taxistas educadamente recusavam a corrida e orientavam a ligar para a central e pedir um táxi, momento em que o atendente vai lhe dizer o número de identificação do veículo. Então, espere este táxi específico para fazer sua corrida. Ressaltando que os taxistas não trabalham com taxímetro. Os valores entre um ponto e outro da ilha são tabelados.

Daqui seguimos para o restaurante Xica da Silva, onde chegamos às 14:15. O táxi custou R$ 37,00. Essa corrida foi cara hein?! Será que é porque é domingo?

O restaurante estava bem tranquilo e conseguimos facilmente uma mesa na área interna. Por diversas recomendações que li na internet, resolvemos escolher o prato chefe da casa: Peixe Mestiço, um peixe grelhado regado com molho de manjericão e farofa de castanha, acompanhado de purê de jerimum recheado com camarões e gratinado com queijo. Simplesmente divinoooooooooo! Cabe ressaltar que este prato foi criado para representar o restaurante em festivais gastronômicos em Fernando de Noronha. Aprovadíssimo!

De sobremesa, pedimos uma tortinha alemã, gostosa mas muito doce para o nosso paladar. Deveria ter pedido o pudim de leite que é bastante elogiado.

Nosso almoço no restaurante Xica da Silva. Recomendo o Peixe Mestiço. Divino!


Abaixo, o detalhamento da nossa conta no restaurante Xica da Silva:

- Peixe Mestiço: 2 x 88,00 = 176,00
- Suco: 2 x 10,00 = 20,00
- Tortinha Alemã: 19,00
- Garrafa de água: 5,00
SUBTOTAL: 220,00
- Serviço (10%): 22,00
TOTAL: R$ 242,00


Por conta da relativa proximidade, resolvemos sair do restaurante e seguir caminhando até a Vila dos Remédios, o que não chega a 1km de distância. Bom para ajudar na digestão!

A Vila dos Remédios é o principal bairro de Fernando de Noronha, concentrando uma grande variedade de restaurantes, pousadas, agências de turismo, lojas, etc, além de uma agência dos Correios, uma agência bancária e a central da NORTAX, única empresa de táxi da ilha. Na Praça Flamboyant está localizado um quiosque do ICMBio para venda de ingressos para o Parque Nacional Marinho.

Além do mais, neste bairro há importantes construções históricas, como o Palácio São Miguel, datado de 1947 e atualmente sede da administração da ilha; a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, com sua construção iniciada em 1737 e apenas concluída em 1772; além do Forte de Nossa Senhora dos Remédios, também com construção iniciada em 1737 e erguendo-se a 45 metros acima do nível do mar. Dizem que o forte é um ótimo lugar para ver o pôr do sol.

Praça Flamboyant, na Vila dos Remédios.

Caminhando pela Vila dos Remédios.

Caminhar por essas ruas de pedras exige muito cuidado.

Palácio São Miguel, datado de 1947 e atualmente sede da administração do distrito de Fernando de Noronha.

Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, com sua construção iniciada em 1737, e precisando de uma restauração.


Passando pela Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, que está precisando de uma restauração urgente da sua fachada, ao fim da rua, nos deparamos com o acesso à Praia do Cachorro, bem do ladinho do famoso Bar do Cachorro (que não entrou no meu roteiro porque não faz meu estilo).

A Praia do Cachorro é pública, ou seja, não é necessária a apresentação do ingresso do PARNAMAR como foi no Sancho. Seu acesso é feito por uma escadaria de concreto e tem até corrimão de madeira. Apesar desta facilidade, não deixa de ser cansativo, principalmente na subida de volta!

A extensão da praia é curta, porém há uma pequena infraestrutura incluindo restaurante com mesas, cadeiras e aluguel de equipamentos para mergulho. A Praia do Cachorro é muito frequentada pelos moradores e é famosa por ter águas calmas e cristalinas. Contudo, não foi exatamente o que encontramos... Por conta do swell, o mar estava um pouco agitado e com ondas, algo que alguns surfistas resolveram aproveitar!

Escadaria de acesso à Praia do Cachorro.

Praia do Cachorro.


Ficamos apenas uns 5 minutos admirando a paisagem da Praia do Cachorro e logo fomos embora. Daqui, seguimos rumo à Praia do Meio utilizando uma trilha que passa pelo denominado Reduto de Sant'ana, que são as ruínas de uma antiga fortificação militar. Como o lugar estava ermo, vimos algumas pessoas aproveitando a tranquilidade para fumar um "baseado". Mas antes de deixar a galerinha fumar em paz, aproveitei para tirar uma boa foto da Praia do Cachorro a partir do Reduto de Sant'ana, por estar em uma localização mais elevada.

Praia do Cachorro vista do alto.


A trilha é curta, porém em meio à mata. Ao final, nos deparamos com várias pedras, por onde inevitavelmente deveríamos passar para chegar à Praia do Meio. Definitivamente, não tem trilha fácil em Noronha!

A Praia do Meio é bem maior que a Praia do Cachorro em termos de extensão, porém, sem qualquer infraestrutura. Mais uma vez, encontramos vários surfistas aproveitando as ondas provocadas pelo swell. A verdade é que já era fim de tarde e não queríamos mais tomar banho de mar. Então passamos por toda a Praia do Meio rumo à vizinha Praia da Conceição.

Praia do Meio.

Surfistas na Praia do Meio aproveitando as ondas provocadas pelo swell.


Na divisa entre a Praia do Meio e a Praia da Conceição está o badaladíssimo Bar do Meio. Eram 16:45 e o ambiente ainda estava relativamente tranquilo, com mesas vazias, mas o local é bastante procurado para o fim de tarde e pôr do sol. Resolvi, então, perguntar de uma atendente quanto custava ficar em um bangalô (uma espécie de tenda com uma cama dentro com vista privilegiada para a praia) e a resposta foi: R$ 500,00 que podem ser convertidos em consumação mínima. Sai fora!

Como mami e eu não estávamos com fome e nem a fim de encher a cara, passamos direto pelo Bar do Meio e nos posicionamos na Praia da Conceição, mas bem pertinho do bar para aproveitar a música ao vivo!

Estendi a canga e ficamos deitadas esperando o pôr do sol. Neste momento, o sol estava bem bonito brilhando no céu, apesar de muitas nuvens. Contudo, à medida que o sol foi se pondo, ele começou a se esconder por detrás das nuvens baixas e pouco pudemos ver do pôr do sol. Até um chuvisco chegou a cair, mas nada que incomodasse muito. Mesmo assim, eu estava bem precavida com o meu guarda-chuva!

Engraçado que um monte de gente chegou à Praia da Conceição para o pôr do sol e no final foi uma frustração geral!

Praia da Conceição.

Aguardando ansiosa pelo pôr do sol.

Tudo que conseguimos ver do pôr do sol...


Às 18:00, liguei para a NORTAX e pedi um táxi para voltarmos ao Dolphin Hotel. A corrida custou R$ 30,00.

Por conta do cansaço deste dia intenso e cheio de caminhadas, resolvemos jantar no próprio hotel e aproveitamos para pedir seu famoso peixe na telha. Simplesmente divino! Peixe suave, com um molho delicioso (tipo moqueca), acompanhado de farofa, arroz e pirão.

O prato vem bem servido para duas pessoas e custou R$ 166,00, mais a taxa de serviço de 10% (R$ 16,60), a conta totalizou em R$ 182,60. Não pedimos nada para beber.

Delicioso peixa na telha do Dolphin Hotel. Aprovado!


Nosso primeiro dia inteiro em Fernando de Noronha foi ótimo e intenso. Amanhã promete mais, pois é dia de Ilha Tour!

MAPA COM LUGARES VISITADOS:

Cerca de 4,5km percorridos a pé e mais três corridas de táxi.



GASTOS EFETIVOS:

DESCRIÇÃO VALOR (R$)
Táxi hotel - PIC Golfinho/Sancho 30,00
Táxi PIC Golfinho/Sancho - restaurante 37,00
Almoço (Xica da Silva) 242,00
Táxi Bar do Meio - hotel 30,00
Jantar (Dolphin Hotel) 182,60
TOTAL 521,60
Gasto Acumulado: R$ 840,10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...