29 maio 2018

[Foz do Iguaçu 2018] 3º dia: Mesquita, Templo Budista e Itaipu

No dia anterior, encontramos um taxista (Arnaldo) bastante simpático e cortês que nos levou e buscou no Marco das Três Fronteiras (veja a postagem do nosso segundo dia em Foz). Como ele nos passou extrema confiança e nos ofereceu seus serviços de transporte privativo, resolvemos fechar com ele os passeios de hoje por Foz do Iguaçu.

Originalmente, eu só havia escolhido o Templo Budista e a Usina Hidrelétrica de Itaipu. Contudo, por sugestão do Arnaldo, incluímos também a Mesquita (templo islâmico) e foi uma ótima experiência.

Além do mais, fizemos uma parada para o almoço no restaurante Empório com Arte, considerado o melhor restaurante de Foz do Iguaçu, no ranking de avaliações do TripAdvisor. Inclusive, durante o planejamento desta viagem, eu já havia colocado na minha "wishlist" almoçar neste restaurante! Já adianto que foi a melhor refeição que fizemos em Foz do Iguaçu!

RELATO DO DIA (Terça-Feira 03/04/2018):

Mesquita

O motorista Arnaldo nos buscou às 09:30 no portão de entrada do Parque Nacional do Iguaçu (o portão específico utilizado para acesso aos hóspedes do Belmond Hotel das Cataratas e não para visitantes em geral) e iniciamos nosso passeio visitando a Mesquita de Foz do Iguaçu.

A Mesquita, que é um templo islâmico, foi inaugurada na cidade em 1983 e possui uma belíssima arquitetura. Suas torres laterais, denominadas minaretes, chamam atenção e possuem a função de ressoar o chamado dos muçulmanos à oração cinco vezes por dia.

É possível entrar na Mesquita, gratuitamente, em horários determinados e sob supervisão. Chegamos por volta das 09:45 e esperamos até às 10:00 para fazer a visita ao templo.

Contudo, os visitantes acessam apenas um local específico bem próximo da porta apenas para ver como é o templo por dentro. O chão nesta parte é forrado com plástico para que não precisemos tirar os sapatos. Além do mais, mulheres devem colocar uma espécie de burca (que não cobre totalmente o rosto) disponibilizada no local para entrar na Mesquita.

A senhora que supervisionou nossa visita, que durou uns 10 minutos, era muito simpática, tirando nossas dúvidas e, ao final, nos deu dois livros com esclarecimentos sobre o Islã, uma vez que a mídia (e os extremistas) tem deturpado cada vez mais esta religião.

Bela fachada da Mesquita de Foz do Iguaçu.

Interior da Mesquita de Foz do Iguaçu.

As mulheres devem usar uma espécie de burca para visitar a Mesquita de Foz do Iguaçu. 


Em frente à Mesquita, há uma doceria árabe (Albayan) onde aproveitamos para experimentar doces típicos e levar alguns para viagem. São bem refinados, feitos com nozes, amêndoas, castanhas, pistaches, etc. Achei um pouco doces para o meu paladar, mas as formiguinhas de plantão devem adorar!

Doceria árabe em frente à Mesquita de Foz do Iguaçu.


Templo Budista

Depois de visitar a Mesquita, seguimos para o Templo Budista de Foz do Iguaçu. A visitação é gratuita, mas se resume apenas à área externa (e à uma pequena área interna com estátuas de budas), que, por si só já é muito bonita, com jardins tranquilos e pátios repletos de estátuas e outras esculturas de referência budista.

Informação Importante: Atentar que o Templo Budista abre para visitação de terça a domingo, das 09:30 às 16:30.

O templo foi construído em 1996 em uma região alta de Foz do Iguaçu, o que proporciona uma bela vista da cidade. Espalhadas pelos jardins do templo, há mais de 120 estátuas, cada uma com o seu significado, sendo a mais icônica a estátua de um sorridente Buda de 7 metros de altura.

Chegamos por voltas das 10:30 e ficamos aproveitando o local por cerca de meia hora. O dia estava lindo, mas extremamente quente!

Estátua de um sorridente Buda de 7 metros de altura, no Templo Budista de Foz do Iguaçu.

Espalhadas pelos jardins do Templo Budista de Foz do Iguaçu, estão mais de 120 estátuas.

Sílabas mágicas, de acordo com o budismo: NA MO A MI TUO FO!

O Templo Budista é um local muito bonito para se visitar em Foz do Iguaçu.

O Templo Budista de Foz do Iguaçu está repleto de estátuas e outras esculturas de referência budista.


Usina Hidrelétrica de Itaipu

Chegamos ao complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu às 11:10, onde o motorista Arnaldo nos deixou. Como o passeio aqui exige mais tempo, combinamos para ele vir nos buscar somente às 15:00.

Há diferentes tipos de passeios oferecidos aos visitantes a depender do interesse de cada pessoa. Por isso, sugiro visitar o site oficial para conhecer um pouco sobre cada um. Nós escolhemos o passeio que considero básico, porém imperdível: a visita panorâmica de Itaipu.

Informação Importante: O complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu abre diariamente das 08:00 às 18:00. Para saber preços dos ingressos e outras informações, sugiro visitar o site oficial. Contudo, já antecipo que existem diferentes tipos de tarifas. Por exemplo, minha mãe por ser idosa e eu por ter carteira de estudante oficial pagamos metade do valor do ingresso.

Antes de embarcarmos no ônibus panorâmico, assistimos um vídeo que conta um pouco sobre a história de Itaipu, que é uma usina binacional, ou seja, pertence a dois países: Brasil e Paraguai. Sendo assim, sua administração e sua geração de energia são divididas entre os dois países.

Depois do vídeo, embarcamos no ônibus, deixamos o centro de visitantes rumo à primeira parada: o Mirante Central.

No Mirante Central encontramos o painel do artista paranaense Poty Lazaroto, em homenagem aos barrageiros, nome dado aos milhares de trabalhadores que construíram a Usina de Itaipu; a escultura denominada Barrageiro Homem de Aço; e o mirante em si, onde podemos observar a grandiosidade da Usina Hidrelétrica de Itaipu, com a sua barragem medindo 7.919 metros de extensão e 196 de metros de altura máxima.

Interessante dar uma olhada nos painéis espalhados pelo mirante mostrando fotos dos principais momentos históricos da construção da usina. A título de curiosidade, aproveito para compartilhar alguns aqui:

  • 1974 - 1978: Obras do canal de desvio do Rio Paraná
  • 1979 - 1982: Construção da casa de força e formação do reservatório de Itaipu
  • 1983 - 1991: Início da geração de energia e conclusão da usina com 18 unidades geradoras
  • 1992 - 2008: Início da iluminação da barragem e montagem de mais duas unidades geradoras

Primeira parada da visita panorâmica de Itaipu: Mirante Central.


No local há banheiro, lanchonete (onde aproveitamos para fazer um rápido lanche) e uma lojinha com artigos turísticos.

Ficamos uns 30 minutos no Mirante Central e embarcamos em um outro ônibus para continuar a visita panorâmica. A próxima parada foi no Mirante do Vertedouro.

O vertedouro tem a função de descarregar toda a água não utilizada para geração de energia. O de Itaipu foi construído com três calhas, sendo um dos maiores do mundo. Contudo, suas portas abrem apenas 10% do ano, não havendo previsão de data.

No dia da nossa visita a Itaipu, o vertedouro estava totalmente fechado. Mas como sou sortuda, no dia em que chegamos a Foz do Iguaçu, 01/04/2018, da janela do avião, próximo ao pouso, fui agraciada com a magnífica visão de uma das três calhas do vertedouro aberta escoando água e mais água!

Segunda parada da visita panorâmica de Itaipu: Mirante do Vertedouro. Neste dia, o vertedouro estava totalmente fechado.

Do avião, pude ver uma das três calhas do vertedouro de Itaipu aberta escoando água.


Do Mirante do Vertedouro, seguimos com a visita panorâmica cruzando a usina do lado brasileiro até o lado paraguaio, primeiro passando pela parte inferior, bem pertinho dos imensos dutos externos das 20 unidades geradoras.

Depois, cruzamos do lado paraguaio para o lado brasileiro pela parte superior da barragem, uma visão panorâmica simplesmente incrível!

Passando bem pertinho dos imensos dutos externos das 20 unidades geradoras da Usina de Itaipu.

Passando por cima do vertedouro da Usina de Itaipu.

Passando pela parte superior da barragem da Usina de Itaipu. Uma visão panorâmica incrível!

Cruzando a barragem da Usina de Itaipu durante a visita panorâmica.


A última parada da visita panorâmica é feita no restaurante Porto Kattamaram, localizado à beira do Lago de Itaipu, próximo ao píer de onde sai o passeio de barco pelo lago durante o pôr do sol.

Desci do ônibus rapidamente apenas para tirar algumas fotos.

Última parada da visita panorâmica: Lago de Itaipu.


Do Porto Kattamaram, o ônibus segue de volta para o centro de visitantes de onde iniciamos a visita panorâmica. Ao todo, levamos duas horas para fazer a visita. Entretanto, como os visitantes têm tempo livre para permanecer em cada mirante e os ônibus passam nas paradas a cada 20 minutos aproximadamente, é possível levar mais ou menos tempo para concluir todo o passeio.

Como ainda tínhamos tempo livre até nosso motorista nos buscar, aproveitamos para conhecer o Ecomuseu, ainda no complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Informação Importante: O Ecomuseu abre de terça a domingo das 08:00 às 17:00. Para saber preços dos ingressos e outras informações, sugiro visitar o site oficial. Contudo, já antecipo que existem diferentes tipos de tarifas. Por exemplo, minha mãe por ser idosa e eu por ter carteira de estudante oficial pagamos metade do valor do ingresso.

No interior do Ecomuseu, há exposições que recriam cenários que vão do período pré-histórico à povoação de Foz do Iguaçu.

Muito interessante também são as exposições que contam a história da construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu, com ótimo acervo de fotografias, peças e objetos da época. Inclusive, há uma réplica de um eixo de uma turbina de geração de energia, simulando um espaço semelhante ao interior da Usina, e quando entramos nesta sala, a turbina começa a girar!

Visitando o Ecomuseu, no complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu.


O Ecomuseu também possui uma agradável área externa e salas com exposições temporárias. Durante a nossa visita, a exposição do momento era "Extraordinárias: Mulheres que Revolucionaram o Brasil", bem interessante e apropriada para o momento em que vivemos.

Gostamos muito de visitar o Ecomuseu. Ingresso baratinho, acervo bem interessante. Passamos uma hora bem agradável lá dentro. Quando saímos, nosso motorista Arnaldo já estava nos esperando pontualmente às 15:00.

Visitando o Ecomuseu, no complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu.


Almoço: Empório com Arte

Como já havia mencionado anteriormente, fiz planos de almoçar no restaurante Empório com Arte, considerado o melhor restaurante de Foz do Iguaçu, no ranking de avaliações do TripAdvisor.

Informação Importante: O restaurante Empório com Arte abre de terça a domingo, sendo que de terça a sexta funciona das 15:00 às 23:00, sábado das 14:00 às 23:00, e domingo das 14:00 às 22:00.

Fomos em uma terça-feira e chegamos por volta das 15:30. Éramos as únicas no restaurante! Atenção exclusiva!

Fachada do restaurante Empório com Arte, em Foz do Iguaçu.


O ambiente interno do restaurante Empório com Arte é uma graça! Pelo menos é o tipo de decoração que me agrada. Ambiente simples, pequeno, rústico, colorido, repleto de artigos feitos em madeira, tudo bem artesanal e um tanto lúdico! Algo totalmente fora do roteiro gastronômico-turístico de Foz dominado pelas grandes churrascarias temáticas... nada contra, mas que não me apetece.

O Empório com Arte me remeteu ao conceito do restaurante Empório Canela, na viagem que minha mãe e eu fizemos para conhecer o Natal Luz de Gramado.

Minha mãe e eu no restaurante Empório com Arte, em Foz do Iguaçu.


Como a fome era grande, fomos direto para o prato principal. Eu pedi um bife a cavalo com farofa de abobrinha e banana da terra, e mami pediu um frango ao curry com abacaxi e banana acompanhado de legumes. Para beber, pedimos dois sucos naturais.

Os pratos são bem servidos e a comida estava muito saborosa! Que felicidade finalmente comer gostoso em Foz do Iguaçu! Porque já comentei que a comida do hotel deixou a desejar né? Como pode Belmond Mil Estrelas?! =D

Pena que não sobrou espaço no buchinho para sobremesa!

Nosso delicioso almoço no restaurante Empório com Artes, em Foz do Iguaçu.


A conta totalizou em R$133,00 já com o serviço de 10% incluído. Esqueci totalmente de tirar foto da conta para detalhar os valores aqui... sorry!

Como o nosso motorista Arnaldo ficou esperando no carro, uma hora depois deixamos o restaurante e seguimos nosso rumo.

Compra de Peso Argentino

Antes de voltar ao hotel, pedimos que o Arnaldo parasse na Casa de Câmbio Atlas da Avenida das Cataratas nº 1419, pois um outro taxista havia nos dado a dica para comprar pesos argentinos aqui, moeda necessária para visitar as cataratas do lado argentino, cujo ingresso do parque é cobrado em espécie.

A cotação do peso argentino estava R$0,19. Compramos $1.000 pesos argentinos por R$190,00. Quantidade necessária apenas para visitar o parque das cataratas.

Contudo, por via das dúvidas, já viajei com o meu cartão de crédito desbloqueado para compras internacionais no período da viagem, caso precisemos utilizá-lo na Argentina. Fica a dica!

Dreamland Museu de Cera

Próximo ao hotel, a cerca de 4km, na Avenida das Cataratas (BR-469), minha mãe já havia tomado conhecimento de um museu de cera, o Dreamland, e disse que queria muito ir porque adorava museus de cera...

Confesso que, depois de visitar alguns Madame Tussauds, o mais famoso museu de cera do mundo, constatei que não gosto deste tipo de atração. A réplica da estátua pode ser perfeita, mas simplesmente acho sinistro! Minha última visita está, inclusive, relatada aqui no blog, que foi no Madame Tussauds de Las Vegas em 2012.

Entretanto, para ninguém dizer que não faço as vontades de minha mãe, pedi para o Arnaldo fazer uma última e rápida parada no Dreamland Museu de Cera.

Assim que entramos, uma atendente já tentou nos convencer a comprar ingressos para todas as atrações do complexo turístico... descobri que no local, além do museu de cera, há o Super Carros, o Vale dos Dinossauros e outras coisas. Como estive em Gramado recentemente, lembrei que lá há o mesmo complexo, provavelmente dos mesmos donos.

Compramos somente os ingressos do museu de cera, que achei bem caros... Como minha mãe é idosa e eu tenho carteira de estudante oficial, pagamos meia entrada mais R$3,20 de "Tarifa Fundo Iguaçu", totalizando em R$53,20 para nós duas. Agora, imagina uma família com muitas crianças usufruindo do complexo... uma pequena fortuna!

Finalmente entramos no museu de cera e fizemos o tour. Nossa experiência foi lamentável. Minha mãe não gostou e eu muito menos. As estátuas de cera estavam aquém das celebridades de quem deveriam ser réplicas. Ainda bem que havia placas com nomes indicativos! Sem falar no cheiro insuportável que atacou minha rinite alérgica. Ficamos apenas 10 minutos dentro do museu de cera.

Enfim, só posso dizer uma coisa: não recomendo!

Porém, se você ama museu de cera e está disposto a pagar o preço, vá e tenha sua própria experiência. Depois vem aqui compartilhar comigo! As crianças devem gostar, né?!

Dreamland Museu de Cera em Foz do Iguaçu... eu não gostei e não recomendo.


Às 17:00 deixamos o complexo do museu de cera e o Arnaldo nos deixou no portão de acesso aos hóspedes do Belmond Hotel das Cataratas.

Acertamos no início do passeio que o valor cobrado seria o do taxímetro, o qual seria parado toda vez que parássemos para visitar uma atração. O Arnaldo nos cobrou um valor, mas como gostamos muito dele, uma pessoa gentil e de confiança, resolvemos arredondar para cima em R$300,00.

Considero que valeu muito à pena ter feito este passeio privativo com o Arnaldo. Considero também que pagamos um valor muito bom, caso comparado com uma agência que faz este tipo de tour em grupo naqueles ônibus panorâmicos pela cidade. Veja:

- Táxi ida-volta hotel-centro: R$50,00 + R$ 50,00 = R$100,00
- Tour incluindo paradas na Mesquita e Templo Budista: R$75,00 x 2 pessoas = 150,00
TOTAL: R$250,00

Pagar R$50,00 a mais para ter um passeio privativo e com um roteiro exclusivo... com certeza valeu à pena!

Por conta do dia agitado, não saímos mais do hotel e jantamos no bar Tarobá, que possui um cardápio de comidas leves para refeições rápidas e lanches. Deixarei para relatar cada experiência no hotel em uma postagem futura.

MAPA COM LUGARES VISITADOS:



GASTOS EFETIVOS:

DESCRIÇÃO VALOR (R$)
Visita panorâmica - Usina de Itaipu 2 x 19,00 = 38,00
Lanche em Itaipu 22,00
Ecomuseu - Usina de Itaipu 2 x 7,00 = 14,00
Almoço Empório com Artes 133,00
Compra de Peso Argentino 190,00
Dreamland Museu de Cera 2 x 26,60 = 53,20
Passeio Privativo - Arnaldo 300,00
TOTAL 750,20
Gasto Acumulado: R$ 1.652,40

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...