22 setembro 2018

[China/Japão 2018] Planejamento Inicial

China e Japão... uma viagem que definitivamente não estava nos meus planos para 2018, mas que simplesmente aconteceu!

Confesso que a China nunca esteve na minha "wishlist". Contudo, o Japão sempre foi um sonho... ainda mais tendo uma amiga morando lá há mais de 10 anos e com um perfil sensacional no Instagram com fotos e dicas que só aumentavam ainda mais a minha vontade de conhecer o país.

Então, como foi que uma viagem dessas aconteceu assim de forma tão inusitada? Respondo... um amigo que faria uma viagem ao redor do mundo em 80 dias resolveu me convidar para encontrá-lo em algum lugar! Quando vi o roteiro, percebi que poderia acompanhá-lo em parte do trecho China/Japão, mais exatamente Pequim, Xangai e Tóquio. É claro que aceitei o convite!

A seguir, conto todos os detalhes do planejamento inicial desta minha primeira viagem à Ásia, incluindo período e duração da viagem, compra de passagens aéreas, reserva dos hotéis, além da solicitação dos vistos chinês e japonês, algo importantíssimo.

1. Período e Duração da Viagem

Como mencionei na introdução desta postagem, vou acompanhar meu amigo em parte do roteiro dele de volta ao mundo em 80 dias. Logo, o período da minha viagem ficou de 01/09/2018 a 14/09/2018, totalizando em 14 dias assim distribuídos:

- 01/09/2018 a 06/09/2018: Pequim (China)
- 06/09/2018 a 09/09/2018: Xangai (China)
- 09/09/2018 a 14/09/2018: Tóquio (Japão)

Com certeza países como China e Japão merecem mais que duas semanas para serem explorados, mas esse era o tempo de férias que tinha disponível para usar... uma pena!

Ressalte-se que no mês de setembro ainda é considerado verão nos dois países, com forte calor e possibilidade de pancadas de chuva e tufões (ventos muito fortes).

2. Compra das Passagens Aéreas

Como estou indo sozinha e é a primeira vez que faço uma viagem tão longa de avião sozinha, resolvi comprar o melhor trecho possível para Pequim. Isso significa ir pela companhia aérea Emirates saindo de Guarulhos e fazendo conexão em Dubai. Também comprei a volta pela Emirates, mesmo sabendo que o percurso Japão-Brasil não é o mais curto via Dubai.

Comprei (com mais de três meses de antecedência) a passagem, ida e volta, no valor total de R$5.427,38. Resolvi pagar também pela marcação antecipada de assentos em todos os quatro voos da Emirates, o que totalizou em R$540,00.

A título de curiosidade, abaixo a duração aproximada dos voos para cada trecho (a depender da aeronave):

- Guarulhos/Dubai: 14h30min (Airbus A380-800)
- Dubai/Pequim: 7h30min (Airbus A380-800)
- Tóquio/Dubai: 10h45min (Boeing 777-200LR)
- Dubai/Guarulhos: 14h55min (Boeing 777-300ER)

Meu amigo já havia comprado o trecho Xangai/Tóquio em uma companhia aérea "low-cost" chamada Peach Aviation, que, inicialmente, eu achava ser chinesa, mas que, na verdade, é japonesa!

Para irmos juntos, o jeito foi comprar a passagem no mesmo voo, que chegaria a Tóquio pelo Aeroporto de Haneda às 05:05 do dia 09/09/2018. Aproveitei para pagar também pela marcação antecipada de assento, totalizando em $717 yuan (moeda chinesa). Essa compra foi feita no cartão de crédito, que veio cobrada em dólar (US$112.31) e com cobrança de IOF na alíquota de 6,38%.

Só para constar, o tempo de voo entre Xangai e Tóquio dura em torno de 3 horas.

3. Hospedagem

Para saber a estratégia que utilizo para escolher e reservar hotéis, acesse diretamente aqui o link Reserva de Hotéis, ou pelo menu Dicas - Reserva de Hotéis.

Além da estratégia que costumo utilizar para escolher os meus hotéis, tive que levar em consideração também os hostels onde o meu amigo iria se hospedar para que ficássemos próximos. O fato é que acabei escolhendo novos hostels para ele em Pequim e Tóquio para melhorar nossa localização de hospedagem!

Enquanto eu reservei meus hotéis pelo Hoteis.com, ele reservou pelo HostelWorld, pelo menos para hospedagem em Pequim, Xangai e Tóquio.

No final, ficou assim:

- 01/09/2018 a 06/09/2018 (Pequim): Park Plaza Beijing Wangfujing
Hotel bem localizado, próximo à famosa Rua Wagfujing, e com ótima avaliação no TripAdvisor. Café da manhã não incluído. Check-in a partir das 14:00. Check-out até às 12:00.
  • Valor médio da diária: R$407,66 x 5 diárias
  • Impostos e taxas: R$399,42
  • TOTAL: R$2.437,75

- 06/09/2018 a 09/09/2018 (Xangai): Shanghai Marriott Hotel City Centre
Hotel bem localizado, próximo a People's Square e a Nanjing Road, com excelente avaliação no TripAdvisor. Café da manhã não incluído. Check-in a partir das 15:00. Check-out até às 12:00.
  • Valor da diária: R$568,16 x 3 diárias
  • Impostos e taxas: R$333,99
  • TOTAL: R$2.038,47

    - 09/09/2018 a 14/09/2018 (Tóquio): Millennium Mitsui Garden Hotel Tokyo
    Hotel bem localizado, no elegante distrito de Ginza, com ótima avaliação no TripAdvisor. Café da manhã não incluído. Check-in a partir das 15:00. Check-out até às 12:00.
    • Valor médio da diária: R$692,72 x 5 diárias
    • Impostos e taxas: R$277,09
    • TOTAL: R$3.740,69

      Provavelmente você deve ter se assustado com os preços das diárias dos hotéis que escolhi, né? Ainda mais viajando sozinha e pagando tudo sozinha. Bem, poderia ter me hospedado em hostels e economizado um montão... mas, esse não é meu perfil. Não sou mochileira, nunca me hospedei em hostels e não tenho curiosidade/vontade/necessidade. Quero me hospedar em bons hotéis, bem localizados, com quartos individuais, amplos e confortáveis, para me sentir segura e satisfeita. Vamos ver qual vai ser a experiência e a real sensação.

      Tenho certeza que é possível adaptar tudo que é visto aqui para a realidade financeira de cada viajante.

      4. Solicitação dos Vistos (Chinês e Japonês)

      Depois que comprei as passagens aéreas e reservei os hotéis, chegou o momento de solicitar os vistos chinês e japonês.

      - Visto Chinês

      No site da Embaixada da China no Brasil tem todas as informações necessárias para a solicitação do visto chinês.

      É importante notar que o serviço consular da Embaixada da China é dividido pelo Brasil de acordo com o mapa de jurisdição consular. Como eu moro em Manaus/AM, a jurisdição consular daqui é a Embaixada da China em Brasília/DF. Para outros Estados, a jurisdição consular pode ser o Consulado da China no Rio de Janeiro, em São Paulo ou em Recife.

      Nos casos de jurisdição consular na Embaixada da China em Brasília, como o meu, é possível solicitar o visto enviando a documentação por Correios, o que é bastante útil!

      Há diferentes tipos de visto, mas como pretendo entrar na China como simples turista, então minha solicitação foi pelo visto do tipo "L".

      Além do mais, há um formulário de pedido de visto que temos que preencher, cujo modelo é fornecido no próprio site da Embaixada da China no Brasil. Juntamente com este formulário, é necessário anexar uma série de documentos exigidos pela Embaixada, a depender do tipo de visto solicitado.

      Basicamente, para o meu caso específico, a documentação que tive que providenciar foi (lembrando que tudo está explicado no site da Embaixada da China no Brasil):
      1. Passaporte original válido e cópia da página com dados e foto;
      2. Formulário de pedido de visto (o qual preenchi a mão) e foto 3x4 colada no formulário;
      3. Passagens aéreas (entrando por Pequim e saindo por Xangai);
      4. Reservas nos hotéis de Pequim e Xangai contemplando o período da viagem;
      5. Comprovante de renda (contracheque emitido pela empresa empregadora e declaração de imposto de renda).

      Enviei por Sedex (com código de rastreamento do objeto) toda a documentação acima para o endereço da Embaixada da China em Brasília/DF.

      Quando a documentação chegou, mandei um e-mail para consulate_bra@mfa.gov.cn dizendo que, conforme código de rastreamento do objeto, minha documentação havia chegado na Embaixada e que eu aguardava o resultado da análise. Dois dias depois, recebi resposta confirmando o valor de R$525,00 para pagamento e instruções, ou seja, meu visto chinês havia sido aprovado! Todo o processo levou apenas duas semanas, desde a data que enviei a documentação até a data que recebi meu passaporte com o visto chinês, o qual foi emitido com validade de cinco anos.

      Conforme tabela de emolumentos consulares da Embaixada da China no Brasil, o visto para cidadãos brasileiros custa R$460,00. Como o meu trâmite foi pelos Correios, houve o custo de envio do meu passaporte por Sedex, que, para Manaus custa R$65,00.

      - Visto Japonês

      Olha só que maravilha, existe um Consulado Geral do Japão em Manaus! Isso facilitou muito a minha solicitação do visto japonês.

      Primeira coisa importantíssima: em que momento solicitar o visto japonês?
      • A partir da emissão do visto, o solicitante tem 3 (três) meses para realizar a entrada no Japão.

      Então, não é um processo que dê para fazer com muitos meses de antecedência, tá?! Deixe para solicitar o seu visto japonês com cerca de dois meses de antecedência da sua viagem ao Japão. Eu fiz com dois meses e meio de antecedência! =D

      Há vários tipos de visto. Obviamente, solicitei o visto temporário de turismo. No site do Consulado Geral do Japão em Manaus tem todas as informações necessárias para a solicitação do visto japonês.

      Além do mais, há um formulário de pedido de visto que tive que preencher, cujo modelo é fornecido no próprio site do Consulado Geral do Japão em Manaus (acredito que seja um modelo padrão para todo o Brasil). Juntamente com este formulário, é necessário anexar uma série de documentos exigidos pelo Consulado, a depender do tipo de visto solicitado, incluindo o cronograma da viagem, cujo modelo também é fornecido no site do Consulado (deve ser um modelo padronizado para todo o Brasil).

      Basicamente, para o meu caso específico, a documentação que tive que providenciar foi (lembrando que tudo está explicado no site do Consulado Geral do Japão em Manaus):
      1. Passaporte original válido;
      2. Formulário de pedido de visto e foto 3x4;
      3. Passagem aérea ida e volta;
      4. Cronograma da viagem (com reservas no hotel de Tóquio contemplando o período da viagem);
      5. Comprovante de renda (declaração de imposto de renda com recibo de entrega, extrato bancário dos últimos 3 meses, contracheque dos últimos 3 meses, declaração original do local onde trabalho, pois sou servidor público).

      Fui pessoalmente no horário de atendimento do Consulado Geral do Japão em Manaus e entreguei toda a documentação. A atendente fez uma análise prévia dos documentos e me deu um protocolo de atendimento. Quatro dias úteis depois, recebi um telefonema do Consulado avisando que meu visto japonês havia sido aprovado e que eu podia buscar meu passaporte mediante o pagamento, em espécie, de R$86,00 (visto de entrada única).

      Como falei anteriormente, o visto japonês tem validade de três meses a partir da data de sua emissão. Contudo, o tempo de permanência do visitante no Japão é concedido de acordo com a documentação fornecida no momento de solicitação do visto japonês. No meu caso, ganhei 15 dias de permanência no Japão a partir da minha entrada.

      5. Compra dos Bilhetes de Trem

      Alguns percursos dentro da China vamos fazer de trem rápido. O primeiro será de Pequim para Xangai e o outro será um bate-volta a partir de Xangai para conhecer a cidade de Hangzhou, mais especificamente sua atração mais famosa, West Lake, Patrimônio da UNESCO.

      Para comprar os bilhetes de trem, utilizei o site Trip.com, que permite reservar os bilhetes com dois meses de antecedência, mediante pagamento com cartão de crédito (valor cobrado em dólar e com cobrança de IOF). Na verdade, o Trip.com funciona como um intermediador para que nós, estrangeiros, possamos adquirir bilhetes de trem pela China de forma mais fácil.

      Com cerca de um mês antes da data da viagem, o site Trip.com emite o bilhete propriamente dito, mas recebemos apenas um número de confirmação com a informação de assento. O bilhete em si deve ser retirado na bilheteria da estação. Caso não seja possível a emissão do bilhete, o Trip.com fará o devido ressarcimento do valor pago.

      A seguir, todas as informações dos bilhetes de trem que comprei para viajar pela China:

      - Pequim/Xangai:
      Trem: G9
      Saída: 12:00
      Chegada: 16:36
      Duração: 4h36min (cerca de 1.300km de distância)
      Vagão: Primeira Classe
      Valor: US$140.44 + US$7.00 (Taxa) + IOF (6,38%)

      - Xangai/Hangzhou:
      Trem: G1373
      Saída: 08:55
      Chegada: 09:42
      Duração: 47min (cerca de 175km de distância)
      Vagão: Primeira Classe
      Valor: US$17.66 + US$4.00 (Taxa) + IOF (6,38%)

      - Hangzhou/Xangai:
      Trem: G7516
      Saída: 15:19
      Chegada: 16:29
      Duração: 1h10min (cerca de 175km de distância)
      Vagão: Primeira Classe
      Valor: US$17.09 + US$3.00 (Taxa) + IOF (6,38%)

      6. Seguro Viagem

      Para contratar um seguro viagem, utilizei a Seguros Promo para fazer a cotação entre diferentes seguradoras. Para o destino Ásia, no período de 01/09/2018 a 15/09/2018, a melhor cotação foi a da seguradora Intermac Assistence, Plano Intermac 60 Prata, no valor de R$172,51. Paguei no cartão de crédito e recebi a apólice por e-mail. Simples assim!

      7. Compra de Chip Internacional com Internet

      No Instagram sigo muitos outros blogueiros de viagem e uma coisa é certa... a grande maioria faz propaganda da Easysim4u, revendedora de chip internacional com pacote de dados ilimitados para utilizar internet fora do Brasil.

      Resolvi, então, comprar um chip do plano de dados "Mundi 140 Países" (que já virou 210 países). Solicitei para o período de 16 dias, com data de ativação em 31/08/2018, para abranger minha conexão em Dubai. A compra é feita em dólar com cobrança de IOF.

      O valor do chip ficou em US$63.00, mais entrega de US$5.50, totalizando em US$68.50.

      Em poucos dias, recebi o envelope com o chip da T-Mobile e um folheto com algumas informações, dentre elas que, faltando até dois dias antes da data de ativação que informei para o chip, será enviado um e-mail com todas as instruções de utilização.

      Será que realmente vai funcionar assim que eu chegar em Dubai?

      8. Compra Antecipada de Ingressos

      Há três atrações que fiz questão de comprar ingressos antecipadamente, todas em Tóquio. Duas porque havia grande possibilidade de esgotar os ingressos por conta da imensa procura. A outra foi só para facilitar a logística mesmo!

      - teamLab Borderless

      Super dica da minha amiga Bianca Shibuya (do perfil @conhecendojapao)! O teamLab tem exposições incríveis e agora está com um exposição permanente no MORI Building DIGITAL ART MUSEUM, em Odaiba (ilha de Tóquio).

      Como a inauguração aconteceu recentemente, em 21/06/2018, a procura tem sido intensa. Então, resolvi garantir logo o meu ingresso, que comprei diretamente no site oficial do teamLab Borderless, no valor de $3.200 ienes (moeda japonesa). Essa compra foi feita no cartão de crédito, que veio cobrada em dólar (US$28.50) e com cobrança de IOF na alíquota de 6,38%.

      Depois da confirmação da compra, o ingresso já estava disponível para impressão ou para salvar no smartphone.

      - Snoopy Museum Tokyo (Museu do Snoopy)

      O Museu do Snoopy abriu temporariamente em Tóquio em abril de 2016, na região de Roppongi, com sua exposição final agendada para 24/09/2018, quando fechará suas portas. Como adoro o Snoopy e sua turma, é claro que não vou querer perder a oportunidade.

      Por conta da alta procura de ingressos, resolvi comprar o meu antecipadamente, utilizando o site Japanican, por meio do link que a Bianca Shibuya compartilhou em seu perfil do Instagram. O valor do ingresso era $2.000 ienes. Contudo, comprando com a Japanican, o valor estava $1.800 ienes. Essa compra foi feita no cartão de crédito, que veio cobrada em dólar (US$16.35) e com cobrança de IOF na alíquota de 6,38%.

      Depois da confirmação da compra, recebi um voucher por e-mail que deverá ser trocado pelo ingresso na bilheteria do museu.

      - Tokyo DisneySea

      Quem me conhece, sabe que amo a Disney! Então meu sonho é visitar todas as Disneys pelo mundo! Há um parque da Disney em Xangai, na China. Contudo, por conta da minha curtíssima estadia, não terei como visitá-la. Um bom motivo para voltar a Xangai um dia!

      Em Tóquio, também há um complexo da Disney com dois parques: Disneyland e DisneySea. Ocorre que só terei tempo de visitar apenas um desses parques. Conversando com minha amiga Bia, ela me sugeriu visitar a DisneySea, pois é um parque diferente de todos os demais existentes pelo mundo, com uma temática voltada para o oceano e itens marítimos. A Disneyland, por sua vez, é parecida com todas as outras Disneylands que seguem o padrão do famoso Magic Kingdom, da Florida.

      Então, a Tokyo DisneySea foi a minha escolha!

      Entrei no site oficial da Tokyo Disney para comprar meu ingresso e na hora de pagar com o meu cartão de crédito Visa, a compra não era autorizada de jeito nenhum... a autenticação feita pelo banco por meio do token digital não esteja sendo validada e tentei diversas vezes sem sucesso... Achei estranho e fui pesquisar na Internet e encontrei um grupo de discussão onde pessoas relatavam o mesmo problema com qualquer cartão de crédito Visa. A solução era utilizar um cartão de crédito Mastercard. Tentei efetuar a compra do ingresso com o um cartão de crédito Mastercard e desta vez tive sucesso! Fica a dica!

      Repetindo: Para comprar ingresso online no site da Tokyo Disney, somente com cartão de crédito Mastercard!

      O ingresso custou $7.400 ienes, que veio cobrada em dólar (US$67.24) e com cobrança de IOF na alíquota de 6,38%.

      Depois da confirmação da compra, o ingresso já estava disponível para impressão. Neste caso, importante ressaltar que o ingresso deve ser levado ao parque já impresso e dobrado conforme instruções, pois ele será utilizado nas máquinas de emissão de FASTPASS (aquele antigo sistema de FASTPASS que a Disney da Florida não utiliza mais).

      9. Instalação de VPN

      Na China existe um forte controle de acesso à Internet e principalmente ao seu conteúdo. Muitos sites e aplicativos são bloqueados, como Instagram, Facebook, WhatsApp, entre outros. O uso do Google e de suas ferramentas então... nem pensar! A não ser que seja versões com dados baixados previamente para uso offline no smartphone.

      O governo chinês fiscaliza, por meio dos provedores de internet, todo o conteúdo que está tentando ser acessado, bloqueando tudo que seja considerado inapropriado. Esta barreira de proteção do governo acabou sendo denominada de "The Great FireWall of China" em alusão à principal atração do país "The Great Wall of China" (A Grande Muralha da China).

      Contudo, obviamente, alguém iria encontrar formas para burlar este bloqueio do governo chinês. Aí que entra a VPN (Virtual Private Network, em português Rede Privada Virtual), que em termos bem gerais, constitui em uma camada de comunicação (rede privada) anônima e criptografada colocada sobre a internet (rede pública) simulando um ambiente sem bloqueios, onde o acesso aos dados, seja pelo navegador, seja pelos aplicativos, será totalmente livre. Todavia, essa camada extra faz com que o acesso à internet fique mais lento.

      O governo chinês, ciente desta estratégia, trabalha incessantemente para bloquear o maior número de VPNs possível. Então fique atento! Não é qualquer VPN que irá funcionar na China. Além do mais, para não correr riscos, instale e configure sua VPN antes de chegar a China.

      Durante minhas pesquisas, encontrei um post do blog vpnMentor que lista as melhores VPNs para utilização na China, todas testadas e avaliadas regularmente. Ressalte-se que são todas pagas. Da lista, escolhi a ExpressVPN, pois já havia lido recomendações desta VPN por outros viajantes.

      Como meu interesse era fazer uso da VPN apenas durante a viagem, deixei para comprar uma semana antes da minha partida e escolhi a opção de pagar por apenas um mês, o que custou US$12.95, compra feita no cartão de crédito e com cobrança de IOF na alíquota de 6,38%.

      Depois da confirmação do pagamento, o aplicativo da ExpressVPN estava pronto para ser configurado e utilizado no smartphone (ou outro equipamento como tablets e laptops).

      10. Aplicativos Úteis para Smartphone

      Dropbox: Consiste em uma pasta virtual onde armazeno todos os arquivos refentes ao planejamento da viagem e consigo acessá-los de qualquer lugar. No smartphone, é possível acessar os arquivos até sem internet disponível, contanto que estes tenham sido marcados como "disponível offline". Existem outros aplicativos de pastas virtuais, como por exemplo, o Google Drive.

      Google Maps: Atualmente não dá para viajar sem ter um aplicativo de mapa com GPS instalado no smartphone. O Google Maps possui a funcionalidade de salvar mapas offline para utilização sem internet. Então, antes da viagem, salvei o mapa de algumas áreas de Pequim, Xangai e Tóquio, para utilizar offline e assim me localizar pelas cidades sem precisar dos antiquados mapas em papel!

      Maps.Me: Como os aplicativos do Google são bloqueados pelo Governo da China, alternativamente instalei o aplicativo Maps.Me e também baixei os mapas da China e do Japão para utilizar offline durante a viagem.

      Google Translate: Por conta da barreira do idioma, uma vez que não falo nem chinês (mandarim) nem japonês, essencial a instalação de um tradutor. O Google Translate permite salvar os dicionários para utilizar sem internet (offline). Então já deixei baixado alguns dicionários no meu celular, incluindo chinês e japonês. Além do mais, o Google Traslate possui a ferramenta de traduzir textos de imagens, bastando abrir a câmera do smartphone e focar na imagem, seja uma placa, uma embalagem, etc. Ferramenta salvadora!

      Explore Beijing (Metrô): Aplicativo com o mapa do metrô de Pequim (linhas e estações), com opção de traçar rotas de origem e destino.

      Explore Shanghai (Metrô): Aplicativo com o mapa do metrô de Xangai (linhas e estações), com opção de traçar rotas de origem e destino.

      TDRAlert (Tokyo Disney): Esse aplicativo monitora as atrações dos parques da Disney em Tóquio, fornecendo importantes informações, como, por exemplo, o tempo de espera na fila de cada atração. Dica da Bia do perfil @conhecendojapao.

      Por conta do controle no uso da internet na China, o que faz com que muitos aplicativos úteis não funcionem, resolvi instalar as versões chinesas dos aplicativos WhatsApp e Uber:

      WeChat: Caso meu amigo e eu tenhamos problemas em nossas VPNs, impossibilitando a utilização do WhatsApp na China e, consequentemente, prejudicando a nossa comunicação, já instalamos, configuramos e adicionamos nossos contatos no WeChat.

      DiDi: Por via das dúvidas, meu amigo sugeriu a instalação deste aplicativo que é a versão do Uber na China.

      11. Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

      A China é um dos países que exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a febre amarela.

      Como eu nunca havia viajado para um país que fizesse tal exigência, eu ainda não possuía o CIVP.

      A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é quem emite o CIVP no Brasil. O procedimento foi bastante simples. Primeiramente, efetuei um cadastro no site da ANVISA (área de Saúde do Viajante) informando todos os dados solicitados e, em seguida, efetuei agendamento para atendimento em uma das unidades existentes em Manaus/AM.

      Na data/hora agendada, compareci na unidade portando documento de identidade e o comprovante de vacinação contra a febre amarela e, na mesma hora, a atendente emitiu o CIVP, o qual já deixei anexado ao meu passaporte.

      Para saber quais as exigências em saúde de cada país, basta acessar o site da ANVISA, que possui informação sempre atualizada da Organização Mundial de Saúde (OMS).

      O Japão, por sua vez, não exige o CIVP contra a febre amarela.


      Este foi o planejamento inicial da minha viagem a China e ao Japão, mais especificamente a Pequim, Xangai e Tóquio. Aproveite e acompanhe as demais postagens sobre o planejamento do roteiro e o planejamento financeiro desta viagem, além das postagens dos relatos diários, com dicas, informações importantes e muitas fotos!

      Nenhum comentário:

      Postar um comentário

      Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...