11 novembro 2018

[China/Japão 2018] 1º dia: Chegada a Pequim (China)

No relato deste dia, compartilho minha chegada a Pequim, na China, depois de muitas horas de voos e espera em aeroportos. Confesso, não é uma viagem fácil!

Conto como foi a imigração no aeroporto, o contato inicial com o idioma (não falo nada de mandarim), utilização do transporte público e minha maior preocupação: a comida! E de quebra já tive meu primeiro choque cultural, mas você só saberá qual foi se continuar lendo!

Com certeza esta viagem a China promete muitas emoções!

ROTEIRO ORIGINAL (Sábado 01/09/2018):

Chegada ao aeroporto de Pequim às 15:25
Trocar moeda no aeroporto (apenas uma pequena quantia)
Comprar o cartão Yikatong (cartão do transporte público)
Percurso aeroporto-hotel de Airport Express Train + metrô
Check-in no hotel Park Plaza Beijing Wangfujing
Restante do dia livre

RELATO DO DIA:

Para chegar a Pequim, na China, levei 36 horas, somando-se duração de voos e tempo de espera nas conexões. Meu percurso foi Manaus/Guarulhos/Dubai/Pequim.

O trecho principal (internacional) voei na companhia Emirates e dou os detalhes de preços que paguei nas passagens no item 2 da postagem de Planejamento Inicial.

A título de curiosidade, abaixo a duração aproximada dos voos para cada trecho (a depender da aeronave):

- Guarulhos/Dubai: 14h30min (Airbus A380-800)
- Dubai/Pequim: 7h30min (Airbus A380-800)

O voo estava previsto para sair de Guarulhos à 01:25 do dia 31/08/18 (sexta-feira). Contudo, por algum motivo, a saída do voo atrasou uma hora... ainda bem que minha conexão em Dubai era de cinco horas, então não tinha perigo de perder o voo para Pequim.

Como minha conexão em Dubai foi encurtada, só tive tempo de correr para uma sala VIP ao lado do meu portão de embarque para tomar um banho. Depois de tantas horas viajando, tudo que eu queria era me sentir limpinha de novo!

Dica: No item 7 da postagem de Planejamento Inicial, eu disse que comprei um chip da Easysim4u, revendedora de chip internacional com pacote de dados ilimitados para utilizar internet fora do Brasil. Antes de pousar em Dubai, coloquei o chip no meu celular, segui todas as instruções, e, enquanto estava no aeroporto de Dubai, a internet funcionou perfeitamente! Postei vários stories no meu Instagram!

Com relação a Emirates, esta foi a minha primeira experiência com esta companhia aérea. O voo de Guarulhos a Pequim foi bastante agradável. Serviço de bordo atencioso, comida gostosa, avião com ótima manutenção, necessaire distribuída para a classe econômica. Bem bacana.

Infelizmente já não posso dizer o mesmo do trecho Dubai/Pequim... Não gostei da comida, o banheiro estava uma lástima (reclamação generalizada entre os passageiros), não teve necessaire... Por que será a diferença?

Por volta das 15:30 do dia 01/09/18 (sábado), pousei no aeroporto de Pequim. Finalmente!

Desembarquei da aeronave e segui para a imigração. Contudo, os visitantes primeiramente devem cadastrar suas digitais em máquinas eletrônicas. Outros países como os Estados Unidos já possuem este mesmo procedimento.

Depois de cadastrar as digitais, a máquina imprime um papel e agora sim podemos seguir para a fila da imigração, que estava bem grande! Mas acho que devo ter ficado uns 30 minutos até chegar a minha vez.

No guichê de atendimento entreguei meu passaporte (contendo o visto chinês obviamente, veja o item 4 da postagem Planejamento Inicial), o formulário de entrada/saída do país devidamente preenchido distribuído no avião e mais o papel do registro das digitais.

O oficial conferiu o passaporte, me olhou, coloquei as minhas digitais em uma máquina e pronto! Passaporte carimbado! Sem qualquer pergunta!

Informação Importante: A China é um dos países que exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a febre amarela. Vide item 11 da postagem Planejamento Inicial.

Daqui, tive que pegar um trem (Automated People Mover) para o Terminal 3, mais especificamente o T3-C, onde estão as esteiras de retirada de bagagem, conexões para outros voos e a saída.

Depois de passar pela imigração no aeroporto de Pequim, seguindo para a saída.

"Relaxe, o trem vem a cada 3 minutos". Adorei! O aeroporto de Pequim é bem sinalizado em inglês.

No trem do aeroporto de Pequim rumo ao T3-C (bagagens, conexões e saída).


Quem me conhece sabe que já tem um tempinho que viajo só com uma mala de mão. Então nessa viagem não foi diferente. Duas semanas apenas com uma mala de mão e uma mochila. Sendo assim, não precisei passar pela esteira para retirar bagagens.

No T3-C também existem algumas casas de câmbio. No site do aeroporto de Pequim são listadas as seguintes:
  • ICE in International Arrival Luggage Hall, F2, T3-C
  • Travelex in International Arrival Luggage Hall, F2, T3-C
  • Hang Seng Bank in the public area of International Arrival Hall, F2, T3-C (west of Exit B)
  • Agricultural Bank of China in the public area of International Arrival Hall, F2, T3-C (west of Exit B)

Resolvi trocar $100 dólares na casa de câmbio ICE, pois precisava de alguns yuans para comprar o cartão do transporte público e outros gastos iniciais. Isso foi às 16:50. A cotação do dólar estava $6,457901 yuans, o que daria $646 yuans. Contudo, há um desconto de $60 yuans. Logo, recebi $586 yuans. Sendo assim, a cotação efetiva acabou sendo de $5,86 yuans. Bem baixa...

Munida de alguns yuans na carteira, finalmente pude sair da área interna do aeroporto. Mas antes, todos os passageiros devem passar pela alfândega. Fui na fila de nada a declarar, passei minha mala e mochila no scanner e finalmente saí!

E lá estava meu amigo esperando por mim! Depois de uma crise de ansiedade, muito choro, medo e desespero (afinal nunca havia viajado sozinha para o exterior e de cara resolvi logo cruzar o mundo), ele resolveu me buscar no aeroporto de Pequim! Tadinho... ele que chegou a Pequim via estação de trem longe do aeroporto... mas amigo que é amigo se sacrifica!

Agora chegou o momento de sair do aeroporto rumo ao bairro onde vamos nos hospedar em Pequim. Com as dicas do blog Próxima Trip, vi que é super fácil fazer isso de transporte público combinando o Airport Express Train e metrô, além da ótima recomendação de comprar o Yikatong, cartão utilizado no transporte público de Pequim.

Dica: O Yikatong é um cartão recarregável que serve como sistema de pagamento eletrônico para os meios de transporte de Pequim, incluindo o Airport Express Train (trem que sai do Terminal 3-C do aeroporto de Pequim e para nas estações Sanyuanqiao - conexão com a linha 10 do metrô - e Dongzhimen - conexão com as linhas 2 e 13 do metrô). Para emitir o cartão é necessário um depósito de $20 yuans. Caso o cartão seja devolvido, o depósito será reembolsado, além do valor carregado que não foi utilizado. Contudo, não são todas as estações que aceitam a devolução do Yikatong.

Seguimos as placas indicativas até o Airport Express Train e, chegando na bilheteria (por volta das 17:05), aproveitamos para comprar o Yikatong Card. Aqui tivemos a primeira dificuldade com relação ao idioma. Mostrei a palavra Yikatong e o valor 85 na calculadora (no meu planejamento havia calculado 20 do depósito mais 65 de carga), mas a atendente disse não e que deveria ser no valor de $100 yuans... o porquê disso não entendi... o jeito foi acatar! Sendo assim, paguei $100 yuans, $20 referentes ao depósito para emissão do cartão e $80 yuans de carga inicial para gastar com o transporte público em Pequim, sendo que de cara já gastaria $25 yuans com a utilização do Airport Express Train.

Observação: O preço do bilhete unitário do metrô varia conforme a distância percorrida. Inicia com $3 yuans para os primeiros 6km, $4 para 6-12km, $5 para 12-22km, $6 para 22-32km e $2 a mais para cada 20km acima de 32km (vide Travel China Guide). Embora o horário do metrô dependa de cada linha, o normal é que os trens circulem aproximadamente entre 5:00 e 23:00.

Bilheteria ao lado do Airport Express Train, dentro do aeroporto de Pequim.

O Yikatong é um cartão recarregável para utilização do transporte público de Pequim, incluindo o Airport Express Train.


Devidamente munidos de nosso Yikatong Card, seguimos para a área de embarque do Airport Express Train, onde passamos pelo raio-x e nossa bagagem pelo scanner. Meu amigo me explicou que todos os acessos a metrôs e trens pela China têm esse esquema de segurança.

Pegamos o Airport Express Train e descemos na estação Dongzhimen, a qual possibilita a conexão com as linhas 2 e 13 do metrô. Para chegar à região onde ficaremos hospedados, no caso Wangfujing, pegamos o metrô da linha 2, fizemos baldeação na estação Yonghegong Lama Temple para pegar o metrô da linha 5 e, finalmente, descemos na estação Dengshikou.

Observação: Assim como no aeroporto, as estações de metrô de Pequim são bem sinalizadas em inglês. Então não tivemos dificuldade durante o percurso. Além do mais, o aplicativo Explore Beijing com as rotas e mapas do metrô ajuda bastante (vide item 10 da postagem Planejamento Inicial). Ah, e o chip da Easysim4u com internet também funcionando de boa assim que coloquei os pés em Pequim!

Airport Express Train, trem expresso que conecta o aeroporto de Pequim a outras estações de metrô.

Na estação de metrô rumo a Wangfujing, onde ficarei hospedada em Pequim.


Na estação Dengshikou, pegamos a saída C, a 150 metros do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing, onde ficarei hospedada pelos próximos cinco dias. Já meu amigo ficará no Beijing Saga Youth Hostel, a 700 metros de distância do meu hotel. Cada um seguiu seu rumo e ficamos de nos encontrar depois de uma hora para jantar.

Cheguei ao hotel por volta das 18:30, fiz check-in, fui para o quarto só para tomar um banho rápido e sair de novo.

Com relação ao check-in, apesar de a atendente falar inglês, o sotaque chinês era bem forte, e por várias vezes eu pedia para ela repetir porque não conseguia entender nada do que ela falava!

Em um primeiro momento, achei o hotel bem bonito e fiquei bastante satisfeita com o meu quarto, nº 608, amplo e confortável, com duas garrafas de água de cortesia.

Fachada do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing.

Recepção do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing.

Meu quarto de nº 608 no Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing.

Banheiro do quarto nº 608 do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing.


Um pouco antes das 20:00, meu amigo e eu nos encontramos para jantar. Por sugestão minha, fomos no APM Mall, um shopping a aproximadamente 1km de distância do meu hotel, na Wangfujing Street com Jinyu Hutong. Chegando lá, mais uma vez por sugestão minha (afinal essa parte da viagem ele deixou o planejamento todo por minha conta!), jantamos no Din Tai Fung, uma renomada rede de restaurantes originada em Taiwan muito conhecida por seus dumplings (espécie de bolinhos recheados cozidos no vapor). Inclusive, uma de suas franquias em Hong Kong foi agraciada por uma Estrela Michelin.

Como a minha maior preocupação nesta viagem sempre foi com a minha alimentação na China (sou mega fresca para comer), dei uma boa analisada no cardápio disponível no site taiwanês do Din Tai Fung e vi boas opções para mim, por isso escolhi jantar neste restaurante assim que chegamos a Pequim.

Ocorre que, quando recebi o cardápio, logo percebi que as opções de pratos aqui eram bem mais limitadas que na franquia original taiwanesa... para a minha decepção. Até os recheios dos dumplings estavam limitados...

Por fim pedimos:

- Porção de 5 dumplings de cogumelo (para dividir)
- Porção de 5 dumplings de frango (para dividir)
- Arroz frito (com ovo) e porco (para o meu amigo)
- Arroz frito (com ovo) e camarões (para mim)
- Cervejas chinesas

Jantando no restaurante Din Tai Fung do APM Mall, em Pequim. Dumplings de entrada e cerveja chinesa!

Meu arroz frito com ovo e camarão do Din Tai Fung, no APM Mall em Pequim.

Arroz frito com ovo acompanhado de um pedaço de porco do Din Tai Fung, em Pequim.


Lá vai então minha sincera opinião sobre a comida... a massa dos dumplings é fina e delicada, uma obra de arte do Din Tai Fung! A diferença está no recheio. Não gostamos do sabor do frango, mas em compensação o recheio de cogumelo estava uma delícia. Passando levemente no molho de soja com gengibre, fica uma perdição! Devíamos ter pedido dumplings só de cogumelos.

Meu arroz frito com camarões estava com os camarões contados, o que deixou o prato bem sem graça porque não gosto de comer arroz puro. Então quando comi todos os camarões, deixei o resto do arroz. Por sua vez, eu que não sou amante de porco, achei a carne de porco que meu amigo pediu muito saborosa. Acabei ganhando uns pedacinhos para comer com o meu arroz! =D

O jantar totalizou em $226 yuans (algo em torno de R$130,00). Minha parte então ficou em $113 yuans. Não foi um jantar econômico...

Como meu amigo pegou a conta e foi logo ao caixa pagar com o seu cartão de crédito, acabou que esqueci de tirar foto e não tenho como detalhar aqui o valor de cada item que pedimos. Sorry!

Depois que saímos do restaurante, resolvi usar o banheiro do shopping para fazer um xixi básico. Eis que me deparo com um sanitário que é um buraco no chão, sem assento, bem no estilo se agacha, mira e mija!

É fato que, durante o planejamento desta viagem, eu havia lido muito a respeito, mas eu achava que iria encontrar estes tipos de banheiro em atrações públicas, e não em um shopping enorme cheio de lojas de grifes famosas!

E, justamente por conta das minhas vastas pesquisas, resolvi viajar preparada com um pacotão de lenços umedecidos e foi o que me salvou. Fica a dica! Pois não havia rolo de papel higiênico dentro do box do sanitário. Sem falar que o chão estava um nojo... E ainda tentam justificar que esta forma é mais higiênica que um vaso sanitário com assento... Gente, ainda prefiro um assento a ter minha cara tão próxima a um buraco cheirando a xixi! Pois meu joelho podre não aguenta um ângulo de 90º por muito tempo! E como não pensei em treinar em casa antes da viagem, acabou que errei a mira e um pingo resolveu cair no meu tênis! Que situação... hahahahahahahaha!

Enfim, só posso dizer que foi uma experiência sui generis (peculiar para dizer o mínimo)! Mas vivenciar novas culturas é sempre enriquecedor! =D

Banheiro do APM Mall em Pequim. Foi uma experiência peculiar!


Devidamente refeita da minha primeira experiência de fazer xixi num buraco, saímos do shopping em torno das 21:15 de volta ao hotel. Meu amigo parou em um caixa eletrônico (se não estou enganada era do Bank of Beijing) no caminho para sacar dinheiro e resolveu fazer um câmbio camarada para mim! Troquei $400 dólares com ele a $6,675 yuans, o que me rendeu $2.670 yuans. Só uma amizade de 20 anos faz isso! =D

Ainda no caminho, resolvemos parar em um mercadinho e compramos duas maçãs a $20 yuans, ou seja, $10 yuans cada. Depois que nos demos conta da besteira que fizemos... Cada maçã saiu cerca de R$5,00! Uma roubalheira! Isso que dá comprar fruta em rua chique...

Chegamos ao meu hotel, nos despedimos, meu amigo seguiu para o hostel dele e assim foi nossas primeiras horas em Pequim.

Estava morta de cansada, desejando uma boa noite de sono, daquelas bem reparadoras... Porém, contudo, todavia, você já ouviu falar em "jet lag"?
Jet Lag: descompensação horária causada após mudanças do fuso horário em longas viagens de avião. Caracteriza-se por problemas físicos e psíquicos, especialmente do ciclo do sono. (fonte: Wikipédia)

Pois é... por conta do jet lag, só consegui dormir das 23:00 até às 03:00 da madrugada. E olha que tomei tarja preta para tentar voltar a dormir, mas não adiantou...

E assim termino o relato do meu primeiro dia em Pequim já com muitas emoções! Continue acompanhando que vem mais por aí!

MAPA INDICATIVO:



TROCA DE MOEDA:

DÓLARES TROCADOS EQUIVALENTE A YUANS COTAÇÃO
USD 100 CNY 586 5,860
USD 400 CNY 2.670 6,675
Total de Yuans Adquiridos: 3.256 / Resta em Dólares: 500

GASTOS DIÁRIOS (em yuans):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Yikatong Card+Airport Express Train: 85 Yikatong Card+Airport Express Train: 100 -15
Alimentação: 150 Alimentação: 123 27
235 223 12
Saldo Inicial: 3.256 / Saldo Atual: 3033 / Economia Geral: 12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...