23 dezembro 2018

[China/Japão 2018] 5º dia: Palácio de Verão e Parque Olímpico (Pequim)

Último dia de passeio por Pequim e quinto dia de viagem pela China. Passa tão rápido!

Pela parte da manhã e início da tarde, visitei o Palácio de Verão (Summer Palace), mais uma atração de Pequim considerada Patrimônio Mundial da UNESCO. Lugar enorme, lindo e rico em cultura! Mais uma atração imperdível!

Depois, visitei o Parque Olímpico, construído para as Olimpíadas de 2008 em Pequim. Evento que, definitivamente, transformou a capital chinesa para melhor! Sendo dúvida, o Estádio Ninho de Pássaro e o Cubo d´Água (centro aquático) impressionam com a modernidade de sua arquitetura.

E, assim, minha visita a Pequim finalizou... Nunca imaginei que ficaria tão encantada e apaixonada por esta cidade!

A seguir, o relato detalhado deste dia, incluindo muitas fotos, informações e uma comparação entre os gastos estimados com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Quarta-Feira 05/09/2018):

Palácio de Verão
Parque Olímpico
    Estádio Ninho de Pássaro e Cubo d'Água

RELATO DO DIA:

Como de costume, tomei café da manhã na Starbucks em frente ao hotel (Park Plaza Beijing Wangfujing). Apesar de ser caro, inegável a praticidade. E, desta vez, resolvi comprar alguns itens para levar comigo durante o passeio de hoje, pois, infelizmente, tenho passado fome em Pequim e até emagreci meio quilo!

- Cappuccino pequeno (tall): 28
- Sanduíche quente: 31
- Bolo mesclado: 16
- Mix de castanhas: 25
- Mix de frutas secas: 20
TOTAL: $120 yuans (aproximadamente R$67,00)

Às 08:30, meu amigo e eu nos encontramos e pegamos o metrô rumo ao Palácio de Verão (Summer Palace). Esta é a atração mais distante do centro de Pequim e levamos quase uma hora para chegar até lá.

Pegamos a linha 5 do metrô (direção Tiantongyuan North) na estação Dengshikou (a mais próxima do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing), descemos na estação Dongsi, para fazer baldeação, onde pegamos a linha 6 (direção Haidian Wuluju). Descemos na estação Ping'anli, para fazer uma nova baldeação, pegamos a linha 4 (direção Anheqiao North) e, finalmente, descemos na estação Beigongmen. Ufa!

Recomendo adquirir o Yikatong, cartão recarregável para utilizar no transporte público de Pequim (veja a postagem sobre a minha chegada a Pequim).

Observação: As estações de metrô de Pequim são bem sinalizadas em inglês. Então não tivemos dificuldade durante o percurso. Além do mais, o aplicativo Explore Beijing com as rotas e mapas do metrô ajuda bastante (vide item 10 da postagem Planejamento Inicial). Ah, e o chip da Easysim4u com internet também funcionando de boa assim que coloquei os pés em Pequim!

Saímos do metrô e caminhamos uns 250 metros até o Portão Norte do Palácio de Verão. O ingresso estava custando $30 yuans.

Um pouco de história...

O Palácio de Verão (The Summer Palace) foi originalmente construído em 1750 pelo Imperador Qianglong, da Dinastia Qing (1644-1912). Contudo, em 1860, a construção original foi totalmente destruída (e saqueada) pela invasão aliada anglo-francesa.

O Governo da Dinastia Qing iniciou a reconstrução do local em 1886. Dois anos depois, o local recebeu seu nome atual (em chinês Yihe Yuan) e serviu como refúgio de verão para a Imperadora Dowager Cixi, por isso, o nome de Palácio de Verão.

Infelizmente, mais uma vez o local foi atacado e destruído pelas forças aliadas das "Oito Nações" (Japão, Rússia, Reino Unido, Terceira República Francesa, Estados Unidos, Império Alemão, Reino de Itália e Áustria-Hungria) que invadiram a China em 1900.

Em 1912, o Palácio de Verão foi reconstruído, sendo uma das últimas ações da Dinastia Qing. Em 1924, o local foi aberto ao público.

Sem dúvida, o Palácio de Verão representa um monumento à arquitetura clássica chinesa, em termos de jardins e edificações, abrangendo uma área total de, aproximadamente, 3 quilômetros quadrados, sendo três quartos do local cobertos pelo Lago Kunming. Por conta de toda a sua grandiosidade e importância histórica, o Palácio de Verão é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1998.

(Fonte: compilado do site oficial do Palácio de Verão e do site China Highlights)


Iniciamos nossa visitação por volta das 09:45 e, assim que entramos, nos deparamos com a denominada "Suzhou Street", uma pequena réplica da cidade de Suzhou, ao sul da China, considerada a "Veneza do Oriente", uma vez que 42% da cidade é coberta por água.

A Suzhou Street possui 300 metros de extensão, construída sobre a água, possuindo vários estabelecimentos comerciais às margens do lago.

Dica: O site oficial do Palácio de Verão possui algumas sugestões de roteiros auto-guiados de visitação do local, a depender do interesse e disponibilidade de tempo do visitante.

Suzhou Street, no Palácio de Verão, em Pequim. Construída como espécie de réplica de Suzhou, cidade ao sul da China.

Suzhou Street, no Palácio de Verão, em Pequim. Construída como espécie de réplica de Suzhou, cidade ao sul da China.


Passamos direto pela Suzhou Street, sem visitar, e, em uma parte mais arborizada, encontramos várias chinesas dançando, ou pelo menos tentando! O Palácio de Verão, além de ser um famoso ponto turístico de Pequim, também é um local de recreação para os chineses.




Depois de assistir ao "show" de dança, continuamos o passeio e encontramos o local denominado de "Four Great Regions", um complexo de edificações que formam um templo no estilo budista tibetano.

Aqui começa o sobe-sobe de escadas. Haja disposição e preparo físico!

"Four Great Regions", edificações que formam um templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

"Four Great Regions", edificações que formam um templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

Haja disposição para visitar o "Four Great Regions", templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

Vista do alto do "Four Great Regions", templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

Detalhes do "Four Great Regions", templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

"Four Great Regions", edificações que formam um templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.

Detalhes do "Four Great Regions", templo no estilo budista tibetano, no Palácio de Verão.


Continuando o passeio, encontramos a Torre ou Pagode do Incenso Budista (FoXiang Ge ou Tower of the Fragrance of the Buddha), considerado o centro do Palácio de Verão. A torre foi reconstruída conforme a versão original (destruída em 1860), com uma altura de 36 metros, sustentada por oito pilares de madeira, sobre uma base de pedra com 20 metros de altura.

 Torre ou Pagode do Incenso Budista (FoXiang Ge), considerado o centro do Palácio de Verão.


Depois iniciamos a descida rumo ao lago central para conhecer um pouco das atrações às suas margens. Encontramos lindas pequenas pontes em pedra, rodeadas por árvores, deixando o visual incrível e surreal, quase uma pintura de Monet! Sem falar que o dia estava lindo, com um céu azul maravilhoso!

Pequenas pontes em pedra no Palácio de Verão.

Pequenas pontes em pedra no Palácio de Verão. Adoro reflexos na água!

Já estava próximo do meio-dia e a fome começou a apertar... Enquanto percorríamos às margens do lago, encontramos uma "Tea House" (Casa de Chá) e meu amigo resolveu entrar para comer alguma coisa. O ambiente era bastante agradável e pegamos uma mesa no terraço com uma vista muito bonita para o lago.

Contudo, quando chegou o cardápio, não havia nada que me interessasse... fotos de umas comidas bem estranhas, então preferi não arriscar... Mas, mesmo assim, meu amigo resolveu encarar uma refeição aqui. Não faço a mínima ideia do que ele pediu! Quando chegou, parecia uma linguiça estranha acompanhada de arroz, uns pedaços de alguma carne e uma sopa que mais parecia uma água com poucos vegetais cozidos dentro!

Pedimos um refrigerante para beber, mas veio em temperatura ambiente... Como beber um refrigerante neste calor sem estar bem geladinho? Não consegui!

Conclusão, até meu amigo que come de tudo sem reclamar, achou a comida horrível! E eu, obviamente, fiquei com fome... o jeito foi comer os lanchinhos que havia trazido da Starbucks.

Péssimo almoço em uma "Tea House" no Palácio de Verão.

Mas a vista do terraço da "Tea House" era bem bonita!


Depois da péssima experiência gastronômica, continuamos nosso passeio pelo Palácio de Verão. Passamos por mais lugares bem bonitos, como: a ponte sobre planta de banana (Bridge of Banana-Plant ou Xing Qiao), o barco de mármore (Clear and Peaceful Boat ou Qingyan Fang) e o longo corredor (Long Corridor ou Chang Lang​), que possui 728 metros de comprimento.

Cruzando a ponte sobre planta de banana (Bridge of Banana-Plant ou Xing Qiao), no Palácio de Verão.

O belo barco de mármore (Clear and Peaceful Boat ou Qingyan Fang), no Palácio de Verão.

Trecho do longo corredor (Long Corridor ou Chang Lang​), que possui 728 metros de comprimento, no Palácio de Verão.


Durante o passeio, próximo ao trecho que visitamos do Longo Corredor (Long Corridor), encontramos um restaurante denominado "The Hall of Listening to the Orioles", que costumava ser um teatro.

Entramos no restaurante para conhecer o cardápio, mas achamos um tanto caro. Além disso, os menus eram pré-estabelecidos, com entrada, prato principal e sobremesa.

Para quem quiser ter uma experiência gastronômica mais refinada e típica do império chinês, este parece ser o local!

Restaurante denominado "The Hall of Listening to the Orioles", que costumava ser um teatro, no Palácio de Verão.


Às 13:30, voltamos ao norte do Palácio de Verão, por onde entramos, para conhecer a Suzhou Street. Esta atração é paga à parte e estava custando $10 yuans.

Como mencionei no início desta postagem, a Suzhou Street é uma pequena réplica da cidade de Suzhou, ao sul da China, considerada a "Veneza do Oriente", uma vez que 42% da cidade é coberta por água.

A Suzhou Street possui 300 metros de extensão, construída sobre a água, possuindo vários estabelecimentos comerciais às margens do lago, como lojinhas de produtos típicos e pequenos restaurantes. Mas, apesar da fome, não quis arriscar comer por aqui!

Se você visitar o Palácio de Verão, em Pequim, não deixe de conhecer a Suzhou Street!

Entrada para a atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.

Passeando pela atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.

Passeando pela atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.

Passeando pela atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.

Passeando pela atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.

Passeando pela atração Suzhou Street, no Palácio de Verão.


Finalizamos nossa visita ao Palácio de Verão por volta das 14:00. Passamos mais de quatro horas no local e não conseguimos visitar todas as suas atrações. O local é imenso, bastante agradável e bonito. Contudo, o calor e a fome foram mais fortes! Por isso, fomos embora.

Enquanto caminhávamos rumo à estação de metrô Beigongmen, por onde chegamos, encontramos um KFC salvador! Já comentei em outras postagens que o KFC (Kentucky Fried Chicken) é uma rede americana de fast-food cuja receita principal é o frango frito e que bomba em Pequim!

Pedi um combo com sanduíche, salada, batatas-fritas e refrigerante que totalizou em $36 yuans (aproximadamente R$20,00). Consegui matar a fome, mas a verdade é que meu estômago já estava reclamando de comer tanta fritura e condimentos apimentados...

Depois de comer no KFC, pegamos o metrô e seguimos para o Parque Olímpico de Pequim.

Para chegar lá, pegamos a linha 4 do metrô (direção Tiangongyuan) na estação Beigongmen, fizemos baldeação na estação Haidian Huangzhuang para pegar a linha 10 (linha circular, sentido horário), fizemos mais uma baldeação na estação Beitucheng para pegar a linha 8 (direção Zhuxinzhuang) e, finalmente, descemos na estação Olympic Sports Center. Levamos cerca de 30 minutos neste deslocamento.

Metrô vazio em Pequim... algo quase inimaginável!


Chegamos ao Parque Olímpico de Pequim por voltar das 15:45 e iniciamos nosso passeio, que nada mais foi do que caminhar pela alameda principal do local.

Pequim sediou as Olimpíadas (de Verão) em 2008 e este evento proporcionou um grande desenvolvimento na infraestrutura da cidade. Novas linhas de metrô foram construídas, muitos lugares foram revitalizados, como a Qinmen Street (vide postagem sobre a minha visita à charmosa Qianmen Street), a cidade foi modernizada e preparada para receber visitantes de todo o mundo.

Ressalte-se que Pequim irá sediar as Olimpíadas de Inverno em 2022, tornando-se a única cidade no mundo a sediar as duas versões dos Jogos Olímpicos, a de verão e a de inverno.

Na alameda principal que visitamos do Parque Olímpico é onde estão as construções que viraram símbolos das Olimpíadas de Pequim, o Estádio National (conhecido como Ninho de Pássaro ou Bird's Nest) e o Centro Aquático Nacional (conhecido como Cubo d'Água ou Water Cube).

O local é bonito, limpo e organizado, entretanto, não há muito o que fazer por aqui, a não ser tirar dezenas de fotos! Mesmo assim, adorei conhecer e se você tiver um tempo no seu roteiro, acho que vale à pena conferir.

Chegando ao Parque Olímpico de Pequim.

Mascotes das Olimpíadas de 2008 em Pequim.

Alameda principal do Parque Olímpico de Pequim. Ao fundo, podemos ver o Cubo d'Água e o estádio Ninho de Pássaro.

Centro Aquático Nacional que ficou conhecido como Cubo d'Água, no Parque Olímpico de Pequim.

Estádio National que ficou conhecido como Ninho de Pássaro, no Parque Olímpico de Pequim.

Estádio National que ficou conhecido como Ninho de Pássaro, no Parque Olímpico de Pequim.

Belas esculturas na alameda principal do Parque Olímpico de Pequim.


Percorremos toda a alameda principal em apenas 30 minutos. Antes de ir embora, passamos no banheiro público que fica no local. Aproveitei e tirei foto das placas que ficam nas portas dos boxes dos banheiros para identificar o tipo de sanitário existente (com assento ou apenas buraco no chão).

Ressalto que, em alguns banheiros públicos, só existem os tipos tradicionais chineses, ou seja, sem assento e com um buraco no chão! Bem no estilo se agacha, mira e mija! Na postagem do meu dia de chegada a Pequim, faço um relato de como foi usar um banheiro desses!

Identificação do tipo de sanitário existente no banheiro: "squat" (agachar) ou "sit" (sentar).


Antes das 17:00, pegamos o metrô para voltar ao hotel. Mais especificamente, pegamos a linha 8 (direção Fengbo) na estação Olympic Green, fizemos baldeação na estação Datunlu East, onde pegamos a linha 5 (direção Songjiazhuang) e descemos na estação Dengshikou (saída C), que é a estação próxima às nossas hospedagens. No meu caso, a apenas 150 metros do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing.

Descansamos um pouco e às 20:00 nos encontramos para jantar. Estava tão cansada que nem tive vontade de sair do hotel, mas acabei acompanhando meu amigo até o APM Mall, um shopping a aproximadamente 1km de distância do meu hotel, na Wangfujing Street com Jinyu Hutong.

Por mim, teria jantado no Din Tai Fung, uma renomada rede de restaurantes originada em Taiwan muito conhecida por seus dumplings (espécie de bolinhos recheados cozidos no vapor), local onde jantamos no nosso primeiro dia em Pequim.

Porém, meu amigo avistou um restaurante que estava fazendo sucesso entre os chineses e resolveu jantar lá! O nome do restaurante era Grandma's Home.

O ambiente era bastante agradável, mas demorou muito para um atendente ir à nossa mesa anotar os pedidos. Confesso que não lembro o que meu amigo pediu. Só lembro que o macarrão que eu queria não tinha e, sem perceber, meu amigo acabou pedindo para mim um outro prato com macarrão e frango, só que o macarrão não era quente e sim gelado...

O frango que acompanhava meu macarrão estava ruim (para o meu gosto), pois eram partes gordurosas do frango, além de ter um molho bem apimentado. Só consegui comer o macarrão gelado sem nada e muito a contragosto. Minha frustração era tanta que meu amigo resolveu pagar sozinho pelo jantar.

Grandma's Home, restaurante no APM Mall em Pequim. O que parecia ser um jantar promissor, foi uma decepção para mim.


Definitivamente, meus dias em Pequim foram repletos de fome e alimentação ruim... Não tive sorte de encontrar bons restaurantes por onde passamos, tendo que recorrer diversas vezes ao frango frito do KFC. Acho que eu deveria ter pesquisado mais sobre a questão gastronômica antes da viagem...

Apesar de eu ter recebido algumas dicas de restaurantes dos seguidores no Instagram, a verdade é que, dentro ou na proximidade das principais atrações turísticas de Pequim, não há boas opções de restaurantes. Os melhores sempre estavam fora do nosso trajeto ou em algum outro bairro mais cosmopolita de Pequim.

Como sou super fresca para comer, na maioria das vezes não me sujeitava às opções locais e simplesmente passava fome. Quem sabe numa próxima visita a Pequim eu tenha uma experiência gastronômica melhor!

Depois do meu pseudo jantar, eu estava tão exausta, chateada e mal-humorada, que resolvemos voltar ao hotel, finalizando, assim, nosso último dia em Pequim. Passar fome me deixa irritada!

Acabamos que ficamos sem conhecer os famosos espetos de insetos de Wangfujing. Não que eu considere uma super atração, mas estava no roteiro original.

Amanhã deixamos Pequim e seguimos de trem até Xangai, nosso próximo destino na China.

MAPA INDICATIVO:



GASTOS DIÁRIOS (em yuans):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Palácio de Verão: 30 Palácio de Verão: 30 0
Suzhou Street (Palácio de Verão): 10 -10
Alimentação: 150 Alimentação: 156 -6
180 196 -16
Saldo Anterior: 1.957 / Saldo Atual: 1.761 / Economia Geral: 182

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...