20 janeiro 2019

[China/Japão 2018] 8º dia: Bate-Volta Hangzhou / Saída de Xangai (China)

Último dia de viagem pela China, reservado para fazer um bate-volta à cidade de Hangzhou com o objetivo de conhecer a sua principal atração: West Lake, considerado Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2011.

Fiz o percurso Xangai/Hangzhou (ida e volta) por meio de trem rápido, com duração aproximada de uma hora, para percorrer cerca de 175km de distância. Foi uma experiência tranquila e satisfatória, ainda mais viajando de primeira classe!

No fim da tarde, já de volta a Xangai, visitei novamente o Bund, uma área revitalizada que se estende por cerca de 1,5km às margens do Rio Huangpu e de onde se tem uma vista privilegiada do famoso skyline de Xangai, composto pelos edifícios da região de Pudong, o moderno distrito financeiro e comercial da cidade.

À noite, chegou a hora de seguir para o Aeroporto Internacional de Pudong, de onde pegaria um voo para Tóquio, no Japão.

E, assim, minha rápida visita à China se encerrou... deixando uma grata surpresa em minha memória!

A seguir, o relato detalhado deste dia, incluindo fotos, informações e uma comparação entre os gastos estimados com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Sábado 08/09/2018):

Bate-volta à cidade de Hangzhou
    Visita a West Lake
    Hard Rock Cafe Hangzhou
Check-out no hotel Shanghai Marriott Hotel City Centre
Percurso até o Aeroporto de Pudong (Xangai) de trem Maglev (trem de levitação magnética)

RELATO DO DIA:

Hoje é dia de visitar a cidade de Hangzhou, mais especificamente sua principal atração: West Lake!

Meu amigo e eu faremos um bate-volta a partir de Xangai, utilizando o trem rápido, cujos bilhetes comprei com antecedência e explico tudo no item 5 da postagem Planejamento Inicial. Na verdade, recebemos um voucher que deveria ser trocado na bilheteria pelos bilhetes oficiais. Fizemos isso assim que chegamos a Xangai pela estação de trem Shanghai Hongqiao (vide postagem sobre a nossa saída de Pequim e chegada a Xangai).

Abaixo, o detalhamento dos bilhetes que comprei para o nosso percurso de trem rápido de Xangai a Hangzhou e vice-versa:

- Xangai/Hangzhou:
Trem: G1373
Saída: 08:55
Chegada: 09:42
Duração: 47min (cerca de 175km de distância)
Vagão: Primeira Classe

- Hangzhou/Xangai:
Trem: G7516
Saída: 15:19
Chegada: 16:29
Duração: 1h10min (cerca de 175km de distância)
Vagão: Primeira Classe

Devido ao horário de saída do trem, acordei cedinho e fui tomar café da manhã às 07:15 na McDonalds que fica ao lado do Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde estava hospedada. Pedi um combo de Egg McMuffin (basicamente um pequeno sanduíche com ovo e queijo) e um café (horroroso!) que totalizou em $8 yuans (menos de R$5,00). Bem barato!

Por volta das 07:45, fui encontrar meu amigo na estação People's Square para pegarmos o metrô rumo à estação de trem Shanghai Hongqiao, de onde sairia o trem para Hangzhou às 08:55.

Para chegar até a estação de trem, pegamos o metrô da linha 2 (sentido East Xujing) na estação People's Square e descemos na estação Hongqiao Railway Station. O percurso levou cerca de 30 minutos e chegamos na estação um pouco antes das 08:30.

Identificamos o nosso portão de embarque e fomos direto para lá, onde teríamos que apresentar bilhete e passaporte. Às 08:40, o embarque foi autorizado.

Estação de trem Shanghai Hongqiao, de onde sai o trem rápido para Hangzhou.

Portão de embarque na estação Shanghai Hongqiao para pegar o trem rápido rumo a Hangzhou.

Meu passaporte e bilhete do trem rápido de Xangai para Hangzhou.

Hora de embarcar no trem rápido de Xangai para Hangzhou.


Comprei nossos assentos na primeira classe para viajarmos mais confortáveis. O vagão era o 3, assentos 07A e 07C, que são lado a lado. Nos vagões de primeira classe, as fileiras possuem somente dois assentos de cada lado. Na classe normal são três assentos cada. E parece que há vagões onde as pessoas viajam em pé, cuja tarifa é bem econômica e sem marcação de assento.

Achei nosso vagão e nossos assentos bem confortáveis. Na parte superior do vagão, sobre os assentos, há espaço para bagagens de pequeno porte.

A partida do trem ocorreu pontualmente às 08:55. Um tempo depois, iniciou o serviço de bordo na primeira classe (que eu não sabia que tinha), momento em que recebemos (de graça!) algo para beber e uma sacolinha com alguns snacks.

Vagão da primeira classe do trem G1373 (Xangai/Hangzhou). Apenas dois assentos de cada lado para mais conforto.

Serviço de bordo da primeira classe com bebida e snacks gratuitos.


A viagem durou menos de uma hora e chegamos à estação de trem de Hangzhou no horário previsto, por volta das 09:45. Foi uma viagem tranquila, rápida e não senti qualquer incômodo.

Assim que desembarcamos, vimos as placas indicativas do metrô. Ótimo! Pois não sabíamos como iríamos chegar a West Lake, que não fica muito perto da estação de Hangzhou.

Compramos nossos bilhetes na máquina automática, que tem idioma em inglês também. Só fizemos seguir os passos e deu tudo certo! O bilhete, do tipo "single journey ticket", da estação de trem de Hangzhou até uma das estações de metrô mais próximas de West Lake (escolhemos a Longxiangqiao Station) custou $4 yuans (aproximadamente R$2,20).

Pegando o metrô na estação de trem de Hangzhou até a atração West Lake.


O percurso de metrô foi bem rápido. Quando saímos da estação Longxiangqiao e nos deparamos com a rua, confesso que fiquei mega surpresa com o que vi! Na minha imaginação, Hangzhou era uma cidade pequena, pouco desenvolvida e simples. Contudo, encontrei uma avenida enorme, repleta de lojas de grifes internacionais, daquelas mais luxuosas! Sem dúvida, o chinês se tornou um povo bastante consumista. A fama dos produtos falsificados, pelo visto, é só para exportação! Porque em Pequim, Xangai e agora Hangzhou, os chineses gostam é de comprar produtos originais e bem caros!

Seguimos pela Pinghai Road até chegarmos a West Lake, por volta das 10:30, na parte onde fica o hotel Hyatt Regency. O West Lake é aberto ao público e a visitação em geral é gratuita. Porém, há algumas atrações que são pagas.

Muitas lojas de grifes internacionais na região de West Lake, em Hangzhou.


Um pouco de história...

O West Lake é um grande lago situado em uma área de 6,5km² e, sem dúvida, é a principal atração de Hangzhou. O local possui um visual incrível, com pagodas, jardins e muitas construções históricas espalhadas por todo o lago, tendo inspirado poetas e pintores ao longo da história da China, além de ter influenciado nos projetos de jardins chineses.

A história registra que há mais de 2mil anos, o West Lake fazia parte do Rio Qiantang. Com o passar dos anos, um banco de areia foi surgindo, aumentando e, por fim, separando o lago do rio. Isso aconteceu durante as Dinastias Qin (221 a.C - 206 a.C) e Han (206 a.C. - 220 d.C).

Foi somente na Dinastia Song (960-1279) que o West Lake começou a ganhar prestígio e popularidade, tendo como principal entretenimento os passeios de barco pelo lago.

Contudo, infelizmente, no final da Dinastia Yuan (1280-1368) e início da Dinastia Ming (1368-1644), o West Lake deixou de receber atenção do Governo e começou a se deteriorar. Apenas no final da Dinastia Ming, a região de West Lake voltou a receber cuidados e a ser restaurada.

Durante a Dinastia Qing (1644-1912), pavilhões foram construídos pelo West Lake para melhor apreciação da beleza do local.

Com a criação da República Popular da China, em 1949, Hangzhou foi um dos primeiros lugares a serem abertos ao turismo, fazendo com que o número de visitantes a West Lake aumentasse cada vez mais.

Por conta de todo o seu prestígio durante a história da China, a imagem de West Lake apareceu muitas vezes na moeda chinesa. Em 2004, foi emitida a quinta versão da cédula de $1 yuan com uma das paisagens de West Lake em seu verso.

Por conta de toda a sua beleza e importância histórica, o West Lake é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2011.

(Fonte: Wikipedia)

Visitando West Lake, a principal atração de Hangzhou, na China.

Visitando West Lake, a principal atração de Hangzhou, na China.


Assim que chegamos a West Lake, priorizamos a visita até a Lesser Paradise Island, uma das pequenas ilhas em meio ao lago de onde se pode ver a atração denominada "Three Pools Mirroring the Moon". O acesso é feito por meio de barco e custa $55 yuans (equivalente a uns R$30,00). Há a opção de pegar um barco cênico, contudo, mais caro. Escolhemos o barco menor e mais simples!

Pegamos o barco de um dos píeres do West Lake e seguimos para a ilha. O visual em meio ao lago é bem bonito. Pena que um chuvisco insistia em atrapalhar nosso passeio, assim como no dia anterior.

Barco cênico que leva até a Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Barco menor e mais barato que leva até a Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Dentro do barco rumo a Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Visitando West Lake, em Hangzhou. Ao fundo, a Pagoda Leifeng.


Por volta das 11:00, chegamos a Lesser Paradise Island. Caminhamos ao redor da ilha para conhecê-la por cerca de uma hora. A principal atração da ilha é admirar o "Three Pools Mirroring the Moon", paisagem de West Lake que, já há alguns anos, está impressa no verso da cédula de $1 yuan.

Na verdade, o nome deste cenário ("Three Pools Mirroring the Moon", em português seria "três piscinas refletindo a lua"?) refere-se a três pequenas torres de pedra, tipo pagodas, juntamente com a área do lago ao redor, construídas durante a Dinastia Ming. Nas noites do Festival do Meio-Outono ("Mid-Autumn Festival"), quando a lua está cheia e brilhante no céu, velas são acesas no interior de cada uma destas pequenas torres, ajudando a refletir a lua no lago. (Fonte: compilado dos sites Travel China Guide e China Highlights)

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

As três pequenas torres que compõem o cenário denominado "Three Pools Mirroring the Moon", de West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Passeando por Lesser Paradise Island, uma das ilhas em meio a West Lake.

Um zoom do cenário denominado "Three Pools Mirroring the Moon", de West Lake.

Verso da cédula de $1 yuan com a representação do cenário "Three Pools Mirroring the Moon", de West Lake.


Observação: Os banheiros existentes na Lesser Paradise Island, em West Lake, eram do tipo de se agachar (buraco no chão). Não havia assentos sanitários. Nessa altura da viagem pela China, eu já estava até acostumada!

Às 12:30, pegamos o barco de volta às margens do West Lake. Porém, o barco não nos levou para o mesmo píer onde embarcamos, e sim para outro mais ao sul, próximo à Pagoda Leifeng, outra atração importante de West Lake, mas que não visitamos, pois a subida seria muito cansativa e demorada.

Como a fome apertou, resolvemos finalizar nossa breve visita ao West Lake e procurar um local para almoçar mais perto da estação de metrô Longxiangqiao, que foi por onde chegamos.

Finalizando a visita a West Lake, em Hangzhou. Ao fundo, a Pagoda Leifeng.

Detalhes que encontramos por West Lake, em Hangzhou.

Pagoda Leifeng uma das atrações de West Lake, em Hangzhou.


O fato é que estávamos a uma longa distância de caminhada. Então, meu amigo fez umas consultas na internet e sugeriu que pegássemos um ônibus. Fomos para uma parada na Nanshan Road, bem em frente à saída de West Lake onde fica a Pagoda Leifeng, e pegamos o ônibus da linha 4 em direção ao centro de Hangzhou. O preço da passagem estava custando $2 yuans. Ainda bem que tínhamos trocado, pois tinha um aviso no ônibus de que não forneciam troco!

Fomos acompanhando o trajeto do ônibus pelo GPS, na fé de que desceríamos próximo à estação de metrô! E assim aconteceu! Desembarcamos em uma parada na Pinghai Road, justamente a rua da estação de metrô Longxiangqiao. O percurso demorou uns 10 minutos!

Andando de ônibus em Hangzhou, na China.


Por volta das 13:00, saímos em buscar de um lugar para almoçar e acabamos optando por uma Pizza Hut. Meu amigo pediu um prato com carne e eu pedi uma massa com frango e molho pesto. Para beber, duas cervejas. Comida apenas razoável, mas deu para comer e matar a fome.

Abaixo, o detalhamento da nossa conta na Pizza Hut, em Hangzhou:

- Carne: 59
- Massa com frango: 37
- Cervejas: 2 x 26
TOTAL: $148 yuans (aproximadamente R$82,00)


Paguei $72 yuans, algo em torno de R$40,00 por este almoço sem graça...

Meu almoço razoável na Pizza Hut, em Hangzhou.


Um pouco depois das 14:00, saímos da Pizza Hut e fomos para a estação Longxiangqiao para pegar o metrô até a estação de trem de Hangzhou, de onde partiríamos de volta a Xangai.

Observação: Sobre o Hard Rock Cafe Hangzhou, cuja visita fazia parte do roteiro, resolvi entrar no site oficial para consultar se ainda estava aberto e, assim como aconteceu em Xangai, o Hard Rock Cafe em Hangzhou também fechou definitivamente suas portas... Mais um Hard Rock Cafe que fecha na China... O de Pequim também fechou faz tempo.

Compramos nossos bilhetes, do tipo "single journey ticket", na máquina automática, que tem idioma em inglês também, ao custo de $4 yuans (aproximadamente R$2,20), para fazer o percurso entre a estação de metrô Longxiangqiao e a estação de trem de Hangzhou.

Às 14:45, já estávamos na estação de trem de Hangzhou aguardando o horário do nosso embarque no trem das 15:19 rumo a Xangai.

Como de costume, comprei nossos assentos na primeira classe para viajarmos mais confortáveis. O vagão era o 1, assentos 02A e 02C, que são lado a lado. Como estávamos no primeiro vagão do trem, a quantidade de assentos era menor e a disposição diferente. Apesar de ser mais espaçoso, os assentos não reclinavam, o que nos causou certo incômodo. Então, se puder escolher (que não foi o nosso caso), fuja dos assentos do primeiro vagão do trem!

Estação de trem de Hangzhou, na China.

Um dos trens rápidos que circulam pela China.

Interior do vagão de primeira classe do trem G7516 (Hangzhou/Xangai). O primeiro vagão do trem não é tão confortável.


Na volta, nossa viagem durou 1h10min e chegamos a Xangai no horário previsto, por volta das 16:30. Da estação de trem (Hongqiao Railway Station), pegamos o metrô da linha 2 (sentido Pudong International Airport) e descemos na estação People's Square. Foi um percurso de um pouco mais de 30 minutos.

Quando saímos da estação People's Square, nos deparamos com um fim de tarde lindo, com céu limpo, bem diferente do dia anterior, cheio de neblina de poluição (veja a postagem do nosso dia de passeios por Xangai).

Resolvemos, então, pegar a Fuzhou Road e ir caminhando até o Bund, para tentar tirar uma foto decente e bonita do famoso skyline de Pudong. O trajeto é um pouco longo, de quase 2km, mas fomos aproveitando a paisagem.

Chegamos ao Bund às 18:00 e estava lotado! Todos tiveram a mesma ideia! Mas valeu à pena! O sol se pondo (nesta época um pouco depois das 18:00), os edifícios se iluminando... foi uma vista incrível! Enfim consegui umas belas fotos do skyline de Xangai!

Belíssimo e famoso skyline de Pudong, em Xangai, visto a partir do Bund. I love Shanghai!

Muita gente visitando o Bund para apreciar o famoso skyline de Xangai.

Skyline de Pudong, em Xangai, visto a partir do Bund.


Infelizmente, não podíamos demorar, pois tínhamos que nos preparar para partir de Xangai.

Às 18:30 deixamos o Bund pela Nanjing East Road. A quantidade de pessoas era impressionante. Havia guardas para organizar o intenso fluxo!

Antes de voltarmos às nossas hospedagens, paramos rapidamente em um Burger King para fazer um lanche. Pedi um combo com sanduíche, batatas fritas e refrigerante, por $34 yuans (aproximadamente R$19,00).

Depois do rápido lanche, pegamos a linha 2 do metrô na estação Nanjing East Road (sentido East Xujing) rumo à próxima parada na People's Square. Segui para o Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde estava hospedada, para arrumar a mala e descansar um pouquinho... Cheguei ao hotel às 19:15.

Fachada do Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde fiquei hospedada em Xangai.


Às 20:40, deixei o quarto e fui fazer o check-out no hotel. Havia combinado de encontrar meu amigo na estação People's Square às 21:00 para seguirmos ao Aeroporto Internacional de Pudong, onde pegaríamos um voo de Xangai a Tóquio.

A forma mais rápida de chegar ao Aeroporto Internacional de Pudong é utilizando o Maglev Train (magnetic levitation train ou trem de levitação magnética), que parte da estação Longyang Road.

O Trem Maglev utiliza o princípio da atração e repulsão que se cria entre dois campos magnéticos. Tanto o trem quanto os trilhos possuem potentes eletroímãs, por isso, a repulsão permite que o trem se eleve uns centímetros sobre os trilhos, ao mesmo tempo que a atração magnética permite que o trem deslize com suavidade. Atualmente, o Maglev de Xangai é o serviço regular mais rápido do mundo, alcançando uma velocidade máxima de 431km/h, fazendo o percurso de 30km entre a estação Longyang Road e o Aeroporto Internacional de Pudong em apenas 7 minutos. (Fonte: site Tudo Sobre Shanghai)

Para acessar o Maglev, pegamos o metrô da linha 2 (direção Pudong international Airport) na estação People's Square e descemos na estação Longyang Road. Foram uns 20 minutos de percurso.

Informação Importante: O trem Maglev funciona das 6:45 às 21:40 aproximadamente e sai da estação Longyang Road a cada 20 minutos. À época, o bilhete estava custando $50 yuans (cerca de R$28,00).

Chegamos à estação Longyang Road quase às 21:30 e saímos correndo em busca da bilheteria para comprar os bilhetes do Maglev. Ainda bem que um chinês nos ajudou com a direção, porque estávamos quase nos perdendo!

Às 21:35 embarcamos no Maglev! Ufa! Lembrando que o último trem sai às 21:40!

Interior do Maglev Train (trem de levitação magnética) que leva até o Aeroporto de Pudong, em Xangai.

Maglev Train (trem de levitação magnética) que leva até o Aeroporto de Pudong, em Xangai.


Chegamos ao Aeroporto Internacional de Pudong antes das 22:00 e fomos fazer o check-in na Peach Aviation, uma companhia aérea japonesa "low-cost", pela qual faríamos o percurso Xangai/Tóquio, com saída prevista à 01:10 (09/09/18) de Xangai e chegada a Tóquio (Aeroporto de Haneda) às 05:05 (09/09/18). A duração do voo é em torno de 3 horas. Além do mais, o Japão está uma hora na frente da China, ou seja, um fuso de 12 horas com relação ao horário de Brasília e 13 horas com relação à Manaus.

Para entrar na área de embarque, passamos primeiramente pela checagem de segurança e, em seguida, pela imigração para registrar nossa saída da China. Havia apenas uns dois guichês de atendimento, fazendo com que o processo ficasse bastante lento.

Quando finalmente chegou minha vez de atendimento, entreguei o passaporte e o formulário de entrada/saída do país que recebi no momento em que passei pela imigração no aeroporto de Pequim. Meu passaporte foi devolvido devidamente carimbado com a saída da China.

Aeroporto Internacional de Pudong, em Xangai.


Ficamos aguardando o momento de embarque em uma sala VIP, onde aproveitamos para jantar. Por conta do cansaço, acabamos caindo no sono e, quando acordei, simplesmente já estava acontecendo o embarque! Ainda bem que a sala VIP era próxima ao portão de embarque. Já pensou se não acordo? Teríamos perdido o voo!

E, assim, encerrei minha rápida visita à China, mais especificamente Pequim e Xangai. Com certeza, a China conquistou meu coração! Mas não meu estômago!

MAPA INDICATIVO:



GASTOS DIÁRIOS (em yuans):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Transporte (West Lake): 70 Transporte (West Lake): 10 60
Passeio de Barco (West Lake): 55 Passeio de Barco (West Lake): 55 0
Maglev (trem): 50 Maglev (trem): 50 0
Alimentação: 350 Alimentação: 114 236
525 229 296
Saldo Anterior: 932 / Saldo Final: 703 / Economia Geral: 614*

Observação(*): O valor de saldo final que restou em yuans e o valor da economia geral que fiz durante a viagem pela China não estão coincidindo porque, ao invés de trocar apenas $3.167 yuans, eu troquei $3.256 yuans, uma diferença de $89 yuans a mais no saldo final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...