03 fevereiro 2019

[China/Japão 2018] 10º dia: Odaiba (Tóquio)

Mais um dia em Tóquio, no Japão! E hoje o dia está reservado para conhecer Odaiba, uma ilha artificial na Baía de Tóquio, repleta de opções de entretenimento.

Pela parte da manhã, visitei o Trick Art Museum, um museu de arte ilusionista, ótimo para fotos incríveis! E sabe quem me acompanhou nesta visita? Minha amiga Bianca Shibuya do perfil @conhecendojapao! Se ainda não segue a Bia no Instagram, começa a seguir, pois ela tem dicas maravilhosas sobre o Japão!

A Bia ainda me proporcionou uma experiência gastronômica ótima! Fomos almoçar no Wako, restaurante especializado em "tonkatsu", uns empanados crocantes e deliciosos!

À tarde, nos despedimos e fui visitar a exposição teamLab Borderless, que está permanente no MORI Building Digital Art Museum, ainda em Odaiba. Claro que essa foi mais uma super dica da amiga Bia!

O teamLab é um grupo que desenvolve arte digital interativa com o objetivo de oferecer aos visitantes uma experiência sensorial aguçando principalmente os sentidos visual e auditivo. O teamLab possui exposições temporárias e permanentes que já passaram por diversas partes do mundo. Vale muito à pena conhecer as exposições.

A seguir, o relato detalhado deste dia em Tóquio, incluindo fotos, informações e uma comparação entre os gastos estimados com os gastos efetivos.

ROTEIRO ORIGINAL (Segunda-Feira 10/09/2018):

Odaiba (ilha artificial de Tóquio)
    Observar a Estátua da Liberdade, a Baía de Tóquio e a Rainbow Bridge
    Trick Art Museum  
    Almoço: Tonkatsu Wako
    Exposição teamLab Borderless (ingresso comprado antecipadamente)
    Observar o robô Gundam de 20 metros de altura do Shopping DiverCity

RELATO DO DIA:

Às 07:40, encontrei meu amigo para tomar café da manhã em um restaurante chamado Denny's, uma franquia americana que oferece cardápio tanto ocidental quanto oriental. Esta unidade fica em Ginza, bem próximo das nossas hospedagens.

Achei o ambiente tranquilo, com uma boa quantidade de mesas e cardápio em inglês para facilitar nossa vida! Pedi um dos combos especiais de café da manhã, contendo pão, ovo, queijo, linguiça e café, no valor de $592 ienes (aproximadamente R$20,00), com a taxa de 8% já incluída.

A atendente já deixa a conta na mesa depois de servir os pratos. Ao fim, basta pegar a conta e ir direto ao caixa pagar.

Dica: O Japão não possui o hábito da gorjeta. Recebi orientação de não oferecer gorjeta aos atendentes, pois pode ser considerado uma ofensa. Além do mais, no momento de pagar, não dê o dinheiro diretamente ao atendente. O correto é colocar o dinheiro em uma bandeja que sempre está disponível no caixa.

Depois de tomar café, seguimos nosso rumo a Odaiba, uma ilha artificial em Tóquio, onde pretendemos passar o dia visitando algumas de suas atrações. O melhor é que nossa amiga Bianca Shibuya, do perfil @conhecendojapao, tentará nos encontrar lá para passear conosco.

De acordo com a Bia, a melhor forma (mais interessante e com um visual bonito) de se chegar a Odaiba é por meio do trem da linha Yurikamome, que sai da estação U01-Shimbashi. Isto porque a linha Yurikamome é constituída de trilhos suspensos sobre a superfície e sua rota para Odaiba passa pela Rainbow Bridge sobre a Baía de Tóquio.

Para chegar até a estação Shimbashi, pegamos o metrô da linha Ginza na estação Higashi-ginza, que fica pertinho das nossas hospedagens.

Por volta das 08:40, chegamos à estação Shimbashi. Contudo, ainda não valia à pena pegar o trem para Odaiba, uma vez que suas principais atrações costumam abrir somente às 11:00. Sendo assim, meu amigo decidiu visitar o parque Hamarikyu Gardens, que fica próximo à estação. Como eu estava sentindo dores na coluna e quadril, não quis acompanhá-lo na pernada até o parque e fiquei em um centro comercial anexo às estações Shimbashi e Shiodome, que são estações vizinhas. Aproveitei para comprar uma garrafa de água a $108 ienes (aproximadamente R$3,50), já com a taxa de 8% incluída.

A origem do parque Hamarikyu Gardens remonta ao Período Edo (1603-1867), tendo sido aberto ao público em abril de 1946. Está situado à foz do Rio Sumida e possui um fosso com água do mar preenchido pelas águas da Baía de Tóquio. (fonte: Japan Guide e Wikipedia)

Abaixo, algumas fotos do Hamarikyu Gardens que meu amigo tirou e me cedeu para compartilhar aqui no blog:

Visitando o parque Hamarikyu Gardens, em Tóquio.

Visitando o parque Hamarikyu Gardens, em Tóquio.

Visitando o parque Hamarikyu Gardens, em Tóquio.


Às 10:00, nos encontramos novamente na estação Shimbashi para pegar o trem da linha Yurikamome rumo a Odaiba. Embarcamos na estação U01-Shimbashi e desembarcamos na estação U07-Daiba, umas das estações da linha Yurikamome existentes em Odaiba. O percurso dura em torno de 16 minutos e, de fato, a vista é muito bonita, principalmente quando nos aproximamos da Baía de Tóquio e da Rainbow Bridge.

Por sorte, eu consegui ficar no primeiro vagão e encostada no vidro frontal junto com as crianças, tão empolgadas quanto eu para ir apreciando a paisagem!

Rainbow Bridge vista a partir do trem da linha Yurikamome rumo a Odaiba, em Tóquio.




Às 10:20 já estávamos visitando o terraço com vista para a Baía de Tóquio, a Rainbow Bridge e a réplica da Estátua da Liberdade de Nova York (EUA). O dia estava bonito, com sol, mas bastante nuvens, e quente... muito quente!

Um pouco de história...

Odaiba é uma ilha artificial situada na Baía de Tóquio, inicialmente construída com propósitos de defesa nos anos de 1850, ainda no Período Edo (1603-1868). Contudo, foi drasticamente expandida no fim do século XX como distrito portuário e depois como uma área comercial e de lazer. No fim da década de 1990, muitos hotéis, centros comerciais e a linha de trem Yurikamome foram instalados na região, ajudando no seu desenvolvimento.

Sem dúvida, um dos seus principais acessos é pela Rainbown Bridge, uma ponte suspensa construída sobre a Baía de Tóquio entre 1987 e 1993, possuindo 798 metros de extensão. Sua estrutura, incluindo as duas torres que sustentam a ponte, são na cor branca. Porém, à noite, a ponte recebe uma iluminação colorida especial, inspirando o seu nome. Demais acessos a Odaiba podem ser feitos pela linha Rinkai (além da linha Yurikamome que passa pela Rainbow Bridge), de carro e de barco.

Atualmente, Odaiba é repleta de atrações, incluindo shoppings (Aqua City, Diver City, Venus Fort e Decks), museus, centros de exposições, parques temáticos como a Legoland, o edifício da Fuji TV (com um observatório no 25º andar) e até uma praia artificial com possibilidade de banho.

Outra atração é a réplica da Estátua da Liberdade, que foi erguida em 1998 como uma homenagem às relações exteriores entre o Japão e a França. Para quem não sabe, o projetista da Estátua da Liberdade original foi o escultor francês Frédéric Auguste Bartholdi e sua estrutura metálica construída por Gustave Eiffel (o mesmo da Torre Eiffel, em Paris). A réplica possui escala de 1:7 do tamanho da estátua original em Nova York e a intenção é que ficasse apenas temporariamente em Odaiba, às margens da Baía de Tóquio. Contudo, devido à sua popularidade, em 2000, a estátua passou a ser um item permanente do local.

(Fonte: compilado dos sites Japan Guide, Go Tokyo e Wikipedia)


Informação Importante: Muitas das atrações em Odaiba só começam a funcionar a partir das 11:00. Algumas também não abrem todos os dias, como, por exemplo, o observatório no 25º andar do edifício da Fuji TV, que fecha às segundas-feiras, ou no dia seguinte caso a segunda-feira seja feriado.

Edifícios do shopping Aqua City e da Fuji TV, em Odaiba.

Réplica da Estátua da Liberdade em Odaiba. Ao fundo, a Rainbow Bridge que conecta Odaiba ao resto de Tóquio.

Rainbow Bridge sobre a Baía de Tóquio.


Para a nossa felicidade, a Bia confirmou que nos encontraria em Odaiba para visitar o Trick Art Museum e depois ainda almoçaria conosco! Um reencontro depois de uns 10 anos desde a última vez que nos vimos em Manaus! Para os curiosos, Bia e eu fizemos juntas a faculdade de Ciência da Computação, na Universidade Federal do Amazonas, antes de ela iniciar seu intercâmbio no Japão.

Enquanto a Bia não chegava, meu amigo e eu fomos fazer um lanche na Starbucks do shopping Aqua City. Abaixo, o detalhamento da minha conta:

- Chá gelado pequeno: 290
- Quiche de espinafre: 380
SUBTOTAL: 670
- Taxa (8%): 53
TOTAL: $723 ienes (aproximadamente R$24,00)


Por volta das 11:00, a Bia nos encontrou na Starbucks e foi aquela alegria! Que saudade dessa amiga tão querida!

Daqui, seguimos para o Trick Art Museum, que fica no shopping Decks, ao lado do shopping Aqua City, inclusive os dois estão conectados e fomos pela parte interna, pois lá fora estava um calor insuportável!

O Trick Art Museum é um museu de arte ilusionista, possuindo diversas pinturas bidimensionais que, a depender do seu posicionamento ao olhá-las, passa um efeito tridimensional. O mais divertido desta atração é tirar fotos em meio às pinturas, de forma a causar um efeito de que você faz parte e está interagindo com as imagens. Há dicas de como se posicionar nas pinturas para deixar o ilusionismo nas fotos sensacional!

Informação Importante: O Trick Art Museum está localizado no shopping Decks, em Odaiba, e funciona diariamente das 11:00 às 21:00, sendo que a última entrada é até às 20:30. O ingresso estava custando $1.000 ienes (aproximadamente R$33,00) por pessoa. Na entrada, recebemos um panfleto contendo o mapa do museu, informações e dicas.

A seguir, algumas das fotos que tiramos no Trick Art Museum (todas tiradas com iPhone):

Eu e minha amiga Bianca Shibuya do perfil @conhecendojapao, no Trick Art Museum, em Odaiba.

Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Praticamente irmãs gêmeas! Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Lá se foi o guarda-chuva! Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

O "making of" de uma foto em meio às pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.

Interagindo com as pinturas ilusionistas do Trick Art Museum, em Odaiba.




Ficamos no Trick Art Museum até às 12:30 e foi uma experiência única e bem divertida! Mas tem que ter paciência durante a visitação, para aguardar para tirar as fotos e também para acertar no seu posicionamento em meios às imagens no intuito de melhorar o efeito tridimensional. Nem sempre é fácil, mesmo com as dicas! Ainda bem que, como não era a primeira vez da Bia visitando o museu, ela já tinha experiência para tirar as melhores fotos!

Daqui, seguimos para almoçar no Wako, restaurante especializado em "tonkatsu", também no shopping Aqua City.

Tonkatsu, que originalmente significa "costeleta de porco" é um prato da culinária japonesa e consiste de uma costeleta de porco empanada e frita, geralmente servida com repolho picado e/ou sopa de missô (miso soup). Há variações de katsu feitas com filé de carne de porco, carne bovina, frango, camarões, entre outras.

O restaurante Wako possui um cardápio especial de almoço, e em inglês, para facilitar nossa escolha. Como eu sou gulosa, pedi o prato denominado Kikyo, composto de pequenas porções de empanados de filé de porco, camarão e carne de porco recheada com queijo, acompanhado de repolho, arroz, sopa de missô e picles. Meu prato custou $1.130 ienes (aproximadamente R$38,00), já com a taxa de 8% incluída. Além do mais, é possível pedir refil dos acompanhamentos: arroz, repolho e sopa de missô.

O restaurante Wako, em Odaiba, foi uma indicação da Bia e simplesmente adorei a experiência! Local agradável, comida deliciosa e uma bela vista para a Baía de Tóquio e a Rainbow Bridge.

Meu almoço no Wako, restaurante especializado em "tonkatsu", em Odaiba.


Por volta das 14:30, deixamos o restaurante Wako e nos despedimos da Bia, pois ela tinha que voltar para casa. Nosso momento juntas foi maravilhoso! Espero que possamos repetir a dose em outro dia durante a viagem.

Chegou a hora de visitar a exposição teamLab Borderless, estando permanente no MORI Building DIGITAL ART MUSEUM, ainda em Odaiba. Claro que essa foi mais uma super dica da amiga Bia, em seu perfil @conhecendojapao!

O teamLab é um grupo que desenvolve arte digital interativa com o objetivo de oferecer aos visitantes uma experiência sensorial aguçando principalmente os sentidos visual e auditivo. O teamLab possui exposições temporárias e permanentes que já passaram por diversas partes do mundo, como Japão, China, Coréia do Sul, Cingapura, Taiwan, Tailândia, Indonésia, Turquia, Austrália, Nova Zelândia, Finlândia, França, Mônaco, Itália, Filipinas, Emirados Árabes Unidos, África do Sul, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos. Uau!

Como a inauguração dessa exposição aconteceu recentemente, em 21/06/2018, a procura tem sido intensa. Por conta disso, resolvi comprar nossos ingressos online antes da viagem (veja item 8 da postagem Planejamento Inicial). Para saber detalhes sobre horários e dias de funcionamento, sugiro visitar o site oficial do teamLab Borderless.

A entrada para o MORI Building DIGITAL ART MUSEUM está localizada debaixo de uma roda-gigante, em Odaiba. Apresentamos nossos ingressos e fomos guardar nossos pertences em uma sala de armários. Ficamos só com os nossos smartphones para fotos.

Durante o planejamento desta viagem, já tinha me informado para escolher bem a roupa a ser usada durante a visita à exposição teamLab Borderless. Isto porque muitas salas possuem piso espelhado. Então, atenção!

Além do mais, minha amiga Bia havia comentado que algumas pessoas podem sentir tontura por conta dos efeitos visuais. Para quem tem labirintite, é bom ter cuidado!

Confesso que, no início da visita, achei tudo meio estranho, escuro e um pouco desconfortável. Fica difícil saber para onde seguir, onde estão as salas de exposição... enfim, me senti bem perdida e comecei a duvidar se eu iria gostar da experiência.

Porém, depois de alguns minutos interagindo e brincando em meio às exposições, comecei a me divertir bastante. Mas, tiveram algumas interações que me deixaram um pouco tonta!

A seguir, algumas fotos da minha visita ao teamLab Borderless:

Entrada para o MORI Building Digital Art Museum, onde fica a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Tentando fazer pose de blogueirinha! Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Atenção com a roupa que vai usar! Muitos pisos espalhados na exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.

Fotos conceituais! Curtindo a exposição teamLab Borderless, em Odaiba.




Às 16:30, decidimos deixar o local. Conseguimos aproveitar quase duas horas, mas é possível passar bem mais tempo explorando tudo. Infelizmente, havia exposições especiais que não conseguimos visitar por conta das filas intermináveis de espera. Uma pena...

Quando saímos do MORI Building DIGITAL ART MUSEUM, onde fica a exposição do teamLab Borderless, nos deparamos com uma leve chuva. Mesmo assim, seguimos para o Shopping DiverCity, ainda em Odaiba, pois eu queria ver o robô de 20 metros de altura que fica em frente ao shopping!

O robô atual se chama Unicorn Gundam e foi inaugurado em setembro de 2017, substituindo a versão anterior que foi retirada em março de 2017. O mais legal é que há pequenos shows de transformação do robô (que passa do modo Unicorn para o modo Destroy) durante o dia às 11:00, 13:00, 15:00 e 17:00. E, à noite, shows especiais a cada 30 minutos de 19:30 às 21:30.

Robô Unicorn Gundam em frente ao shopping DiverCity, em Odaiba.


Aproveitamos que estávamos no shopping DiverCity e fomos experimentar uma das diversas dicas gastronômicas fornecidas pela Bia lá no perfil @conhecendojapao: provar o "takoyaki" do restaurante Gindaco, que possui uma unidade no shopping DiverCity, em Odaiba.

takoyaki é um bolinho frito recheado tradicionalmente com polvo. Existem diferentes coberturas para acompanhar os bolinhos, de maionese com queijo a gengibre picado e cebolinha.

A porção com seis bolinhos com molho de maionese no Gindaco custou $580 ienes (aproximadamente R$20,00).

É bom ter cuidado na hora de comer, pois o recheio vem muito quente. Eu até que gostei do sabor, mas achei um pouco gorduroso e o polvo também estava um pouco borrachudo. Mas vale à pena experimentar, principalmente se você gosta de uma fritura, como eu!

Experimentando o "takoyaki" do restaurante Gindaco, no shopping DiverCity, em Odaiba.


Ficamos enrolando um pouco dentro do shopping para esperar a chuva diminuir. Por volta das 18:30, conseguimos pegar o trem para sair de Odaiba e depois o metrô para voltar a Ginza, onde estávamos hospedados.

Lembrando que, para facilitar e agilizar o acesso ao transporte público de Tóquio, estamos utilizando o cartão PASMO.

Dica: O PASMO é um cartão recarregável que serve, entre outras coisas, como sistema de pagamento eletrônico para os meios de transporte público de Tóquio. Para emitir o cartão é necessário um depósito de $500 ienes. Caso o cartão seja devolvido, o depósito será reembolsado, além do valor carregado que não foi utilizado. Para turistas, recomenda-se comprar o PASMO do tipo "blank", ou seja, sem identificação do portador.

Antes de ir para o hotel Millennium Mitsui Garden, passei na konbini Mini Stop que tem ao lado para comprar um lanche caso eu sinta fome mais tarde, totalizando em $428 ienes (aproximadamente R$14,00), já com a taxa de 8% incluída.

Hoje o dia foi muito divertido em Odaiba e adorei ter reencontrado minha amiga Bia depois de tantos anos.

MAPA INDICATIVO:



GASTOS DIÁRIOS (em ienes):

ESTIMATIVA DE GASTOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
Trick Art Museum: 1.000 Trick Art Museum: 1.000 0
Alimentação: 5.000 Alimentação: 3.561 1.439
6.000 4.561 1.439
Saldo Anterior: 32.819 / Saldo Atual: 28.258 / Economia Geral: 7.102

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...