16 março 2019

[China/Japão 2018] Considerações Finais

Nesta última postagem sobre a viagem de duas semanas que fiz a China e Japão, em setembro de 2018, tecerei algumas considerações finais relacionadas às cidades visitadas, aos hotéis, gastos estimados e gastos efetivos, dentre outros assuntos gerais da viagem.

1. Cidades Visitadas

Na China, visitei as cidades de Pequim e Xangai. Já no Japão, só tive tempo para visitar Tóquio. Então, a seguir, um pouquinho da minha impressão sobre cada uma dessas cidades.

- Pequim

Cheguei a Pequim cheia de expectativa, por conta da diferença cultural e do idioma. Além do mais, muito se fala sobre a China e os chineses, na maioria das vezes questionando higiene, organização e educação.

Fiquei uns cinco dias em Pequim, explorando os principais pontos turísticos da cidade, utilizando bastante o transporte público, principalmente metrô, e caminhando muito pelas ruas.

Encontrei uma Pequim super desenvolvida, organizada, limpa e bonita, totalmente preparada para receber seus visitantes da melhor forma possível. O aeroporto, o metrô, as atrações turísticas são sinalizadas também em inglês. Contudo, já aviso que é raro encontrar chineses falando inglês. Então, a comunicação vai se resumir à mímica! A não ser que você fale mandarim! Recomendo ter aplicativos de tradutor e mapa no smartphone.

A China é rica em cultura e história. E Pequim possui quatro atrações consideradas como Patrimônio Mundial da UNESCO: Muralha da China, Templo do Céu, Cidade Proibida e Palácio de Verão. A arquitetura histórica desses lugares é simplesmente incrível!

Não posso deixar de mencionar aqui a questão política da China, um país cujo governo tenta controlar e filtrar todo e qualquer tipo de informação e comunicação, principalmente pela mídia, como a internet e televisão. Um exemplo disso é o acesso bloqueado a Google, WhatsApp, Facebook, Instagram, dentre várias outras redes sociais. Uma forma de burlar este bloqueio é utilizando uma VPN (vide item 9 da postagem de Planejamento Inicial).

Para acessar estações de metrô, trem e muitas atrações turísticas, é necessário passar por uma checagem de segurança, onde bolsas, mochilas e malas devem ser passadas por um scanner. O fato é que me senti muito segura circulando por Pequim.

Como nem tudo são flores, devo confessar que não consegui me adaptar à comida local, e, por algumas vezes, passei fome... perdi quase 1kg durante minha estadia em Pequim! Não tive oportunidade de comer em bons restaurantes. E dentro, ou perto, das atrações turísticas não havia muita opção. Recorri muito ao KFC, uma rede americana especializada em frango frito. Contudo, o consumo excessivo desse tipo de comida já estava fazendo mal ao meu estômago!

Sobre o clima, ainda era verão no hemisfério norte. Os dias estavam ensolarados e quentes (chegando até a 33ºC), com céu limpo e azul. A exceção foi no dia em que visitei a Muralha da China, que estava bem nublado e com pancadas de chuva.

- Xangai

Xangai é uma cidade cosmopolita, repleta de modernidade, desenvolvimento, muito consumo e prédios altíssimos, tanto que o skyline de Pudong é um dos cartões postais de Xangai. Porém, a cidade ainda guarda no seu centro histórico a beleza da arquitetura antiga, o que gera um contraste muito interessante.

Infelizmente, passei apenas dois dias em Xangai, e, ao contrário de Pequim, foram dias de chuva e muito fog (neblina de poluição), com temperatura média de 25ºC. Mas, mesmo assim, adorei Xangai e espero um dia voltar para explorar melhor a cidade.

Aqui comi bem melhor, pois há uma variedade grande de restaurantes de outras culinárias. Então, desisti da culinária local chinesa e me acabei numa boa comida italiana! Não me julguem!

Com relação ao idioma, o metrô e as atrações possuem também sinalizações em inglês, e é mais fácil encontrar chineses que falem inglês fluente.

- Tóquio

Fiquei uns seis dias em Tóquio, uma cidade enorme, moderna, desenvolvida, bonita, limpa e vários outros adjetivos positivos! E o que falar dos japoneses? São tão educados, gentis, solícitos.

Devo confessar que Tóquio me conquistou mais por seu povo do que pela cidade em si. Explico... com relação às principais atrações de Tóquio, poucas são as de relevância histórico/cultural, como, por exemplo, o distrito de Asakusa, o Templo Zojoji e o Santuário Meiji Jingu. Visitei também alguns parques históricos, como o Parque Ueno e o Jardim Nacional de Shinjuku Gyoen. A verdade é que achei Tóquio dominada pelos grandes edifícios, alta tecnologia e telões de led com propagandas, como Nova York ou São Paulo. Acredito que as atrações mais culturais e históricas do Japão devem estar em outras províncias, como Quioto, Osaka, Hiroshima e Nara.

Meus dias em Tóquio foram mesclados com chuva, sol e calor, bem típico do verão. A temperatura variou de 24 a 32ºC.

Achei o sistema de transporte público de Tóquio bem complicado, com inúmeras linhas de metrô e trem. Acabei me perdendo algumas vezes... E olha que sou muito boa com mapas! Não costumo me perder no metrô!

Por sua vez, comi muito bem! Tive a oportunidade de ir em ótimos restaurantes indicados pela minha amiga Bianca, do perfil @conhecendojapao.

Sonhando em voltar ao Japão o quanto antes para passar mais tempo e explorar melhor o país.

2. Hotéis

Abaixo, minha opinião sobre cada hotel onde fiquei hospedada durante a viagem. Lembrando que todas as reservas (quarto individual) foram efetuadas pelo Hoteis.com (mais detalhes no item 3 da postagem de Planejamento Inicial).

- 01/09/2018 a 06/09/2018 (Pequim): Park Plaza Beijing Wangfujing

Definitivamente, a região onde fiquei hospedada em Pequim é muito agradável. A localização do hotel é ótima, próximo à famosa Rua Wangfujing, com estação de metrô perto, shopping center, restaurantes, lanchonetes e muitas lojas. Além do mais, me senti bastante segura ao caminhar pela região, seja à noite, seja de dia. A avaliação do hotel no TripAdvisor é muito boa.

Achei o hotel bem bonito e fiquei bastante satisfeita com o meu quarto, nº 608, amplo e confortável, com duas garrafas de água de cortesia, repostas diariamente.

Com relação ao check-in, apesar de a atendente falar inglês, o sotaque chinês era bem forte, e, por várias vezes, eu pedia para ela repetir porque não conseguia entender nada do que ela falava!

Resolvi não pegar diária com café da manhã por considerar não valer à pena no quesito custo x benefício. O valor do buffet de café da manhã do hotel estava custando $161 yuans por pessoa (aproximadamente R$85,00). Obviamente, se você quer ter várias opções de comida e quer comer à vontade, o valor do buffet pode compensar. Não era o meu caso.  Por conta disso, na maioria dos dias, tomei café da manhã na Starbucks que ficava em frente ao hotel.

Meu amigo ficou hospedado no Beijing Saga Youth Hostel, a 700 metros de distância do Park Plaza Beijing Wangfujing. Um dia fui tomar café da manhã lá e gostei bastante da comida.

Fachada do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing, em Pequim.

Recepção do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing, em Pequim.

Meu quarto de nº 608 no Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing, em Pequim.

Banheiro do quarto nº 608 do Hotel Park Plaza Beijing Wangfujing, em Pequim.


- 06/09/2018 a 09/09/2018 (Xangai): Shanghai Marriott Hotel City Centre

Hotel maravilhoso com ótima localização, próximo a People's Square (onde está a estação de metrô de mesmo nome) e a Nanjing Road. Além de possuir excelente avaliação no TripAdvisor.

O check-in foi rápido e tranquilo. Meu quarto era o de nº 1507, amplo, bonito, super confortável e com duas garrafas de água de cortesia, que eram repostas todos os dias. Simplesmente fiquei maravilhada! Acho que foi o quarto mais bacana dos hotéis (não confundir com resorts) onde já me hospedei. A rede Marriott arrasou em Xangai!

Optei por uma diária sem café da manhã incluído e, nos meus dois dias em Xangai, tomei café da manhã em cafeterias próximas do hotel.

Meu amigo ficou hospedado no hostel The Phoenix, a cerca de 2km do Shanghai Marriott Hotel City Centre.

Fachada do Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde fiquei hospedada em Xangai.

Interior do Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde fiquei hospedada em Xangai.

Interior do Shanghai Marriott Hotel City Centre, onde fiquei hospedada em Xangai.

Meu quarto de nº 1507 no Shanghai Marriott Hotel City Centre.

Banheiro do quarto de nº 1507 no Shanghai Marriott Hotel City Centre.

Produtinhos (amenities) do Shanghai Marriott Hotel City Centre.


- 09/09/2018 a 14/09/2018 (Tóquio): Millennium Mitsui Garden Hotel Tokyo

Hotel bem localizado, no elegante distrito de Ginza, com ótima avaliação no TripAdvisor. Há uma entrada para a estação de metrô em frente ao hotel.

Ginza é um moderno e elegante bairro, em Tóquio, com um dos metros quadrados mais caros do mundo. Há inúmeras lojas, restaurantes e cafés, incluindo marcas luxuosas de grifes internacionais.

O check-in no hotel foi rápido e tranquilo, com atendentes super simpáticos e atenciosos. Meu quarto era bastante confortável e amplo (para os padrões japoneses). O chuveiro (com banheira) ficava separado do sanitário, que, por sinal, era super tecnológico! Além dos produtinhos (amenities) convencionais, havia também produtinhos Shiseido! Achei chique! Também havia duas garrafas de água de cortesia, repostas diariamente.

Optei por uma diária sem café da manhã incluído. No primeiro dia, tomei café da manhã em uma konbini (loja de conveniência) ao lado do hotel. Nos demais dias, tomei café da manhã no restaurante Denny's, também em Ginza, pois a comida era boa e com um preço acessível.

Meu amigo ficou hospedado no Prime Pod Ginza, um hotel cápsula a apenas 150 metros de distância do hotel Millenium Mitsui Garden.

Atualização: Infelizmente, o hotel cápsula The Prime Pod Ginza Tokyo está marcado atualmente (março/2019) como permanentemente fechado.

Fachada do hotel Millennium Mitsui Garden, no bairro de Ginza, em Tóquio.

Interior do hotel Millennium Mitsui Garden, no bairro de Ginza, em Tóquio.

Interior do hotel Millennium Mitsui Garden, no bairro de Ginza, em Tóquio.

Meu quarto no hotel Millennium Mitsui Garden, em Tóquio.

Meu quarto no hotel Millennium Mitsui Garden, em Tóquio.


3. Gastos Estimados X Gastos Efetivos

Conforme apresentei na postagem de Planejamento Financeiro, os valores de gastos estimados para esta viagem foram:

VALOR TOTAL ESTIMADO PARA A CHINA:  $3.167 yuans
VALOR TOTAL ESTIMADO PARA O JAPÃO: $43.040 ienes

Na época do planejamento desta viagem, a cotação do dólar para yuan estava 1USD = 6,64CNY e para iene estava 1USD = 110,34JPY.

Sendo assim, fazendo as devidas conversões, daria um valor total aproximado de $870 dólares ($480 para a China e $390 para o Japão). Por via das dúvidas, comprei $1.000 dólares para levar nesta viagem.

Como é possível ver no final de cada postagem desta série, há uma tabela comparativa entre os gastos estimados e os gastos efetivos. Somando-se todos os gastos diários da viagem, tem-se a tabela abaixo:

GASTOS ESTIMADOS GASTOS EFETIVOS ECONOMIA
China: $3.167 yuans China: $2.553 yuans China: $614 yuans
Japão: $43.040 ienes Japão: $36.619 ienes Japão: $6.421 ienes

De acordo com a tabela, posso dizer que a minha estimativa de gastos diários para a viagem deu super certo! O dinheiro que sobrou em yuans, usei para comprar ienes, e o dinheiro que sobrou em ienes, usei para fazer umas comprinhas em Tóquio! Portanto, gastei os $1.000 dólares que levei para a viagem.

4. Custo Total da Viagem

Por fim, resolvi montar a tabela abaixo discriminando todos os custos desta viagem separados por categoria.

TIPO VALOR EM REAIS VALOR EM DÓLARES* VALOR EM YUANS VALOR EM IENES
Passagens Aéreas 5.967,38 119,48
Hospedagem 8.216,91
Visto Chinês 525,00
Visto Japonês 86,00
Seguro Viagem 172,51
Bilhetes de Trem 201,26
Chip Internacional 72,87
VPN 13,78
Ingresso teamLab 30,32
Ingresso Museu do Snoopy 17,39
Ingresso DisneySea 71,53
Gastos Diários
    - Alimentação 1.331 28.162
    - Transporte   730 4.707
    - Atrações   492 3.750
TOTAL BRL 14.967,80 USD 526,63 CNY 2.553 JPY 36.619

Observação(*): Como estas foram compras internacionais efetuadas com cartão de crédito, houve a cobrança de IOF na alíquota de 6,38%. Os valores da tabela já estão com o valor do IOF aplicado.

Transformando os gastos em yuans ($2.553) para dólares, utilizando as cotações de $5,860 e $6,675 yuans por dólar (cotações durante a viagem - setembro/2018), temos um gasto aproximado de $395 dólares para a China.

Transformando os gastos em ienes ($36.619) para dólares, utilizando as cotações de $107,79 e $109,17 ienes por dólar (cotações durante a viagem - setembro/2018), temos um gasto aproximado de $340 dólares para o Japão.

Somando-se essas duas conversões ($395 + $340 = $735) ao valor gasto em dólar antes da viagem ($526,63), temos um gasto de $1.261,63 dólares.

Sendo assim, o custo total desta viagem, separado por reais e dólares, foi:
  • R$   14.967,80
  • US$   1.261,63

Para se ter uma noção do custo total em reais, utilizando-se uma cotação de R$ 4,00 para o dólar turismo na data atual, temos um custo total de, aproximadamente, R$ 20.000,00. Lembrando que viajei sozinha! Definitivamente, foi a viagem mais cara que já fiz na vida! Muito por conta dos hotéis caros que escolhi.

Provavelmente, você deve ter se assustado com esse valor, né? Eu também me assustei! Ainda mais viajando sozinha e pagando tudo sozinha. Bem, poderia ter me hospedado em hostels e economizado um montão... mas, esse não é meu perfil. Não sou mochileira, nunca me hospedei em hostels e não tenho curiosidade/vontade/necessidade. Gosto de me hospedar em bons hotéis, bem localizados, com quartos individuais, amplos e confortáveis, para me sentir segura e satisfeita.

Sendo assim, tenho certeza que é possível adaptar tudo que foi visto aqui para a realidade financeira de cada viajante.

Enfim, espero ter ajudado compartilhando todo o meu planejamento e relatos. Até a próxima viagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...